A Garota do Calendário | Agosto - Audrey Carlan

21 março, 2017


O que você faria para salvar a vida de seu pai? A vida é feita de escolhas. Mia Saunders fez a dela. O sexto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Agosto virá com uma tarefa diferente para Mia: ir a Dallas fingir ser irmã do jovem magnata e caubói Max. Mia sabe que sua contratação tem a ver com os negócios de Max, mas nunca poderia imaginar o que está prestes a acontecer.


E agosto finalmente chegou, com um cliente muito interessante para Mia...
"Confie na jornada."
O homem da vez é Maxwell Cunningham (ou simplesmente Max para os mais íntimos), e mesmo já tendo interpretado diferentes papéis ao longo do ano (Mia foi dançarina, modelo, acompanhante, musa inspiradora e mais um monte de coisas) nem Mia poderia prever o que Max quer com ela.

O bonitão é casado, tem uma filha e um bebê a caminho, ah, e é louco pela esposa. Logo, não é sexo. O que Max espera de Mia é que ela se passe por sua irmã. Isso mesmo! O pai de Max era dono de uma grande empresa no ramo de petróleo situada em Dallas, e após seu falecimento, Max descobriu que parte das ações da empresa ficaram para sua irmã, Mia; mas acontece que Max - que foi abandonado pela mãe quando era bebê - nunca conheceu essa irmã, tudo que ele sabe é o nome e a data de nascimento dela, que batem com os dados de Mia Saunders.

Como o prazo para que sua irmã assuma a empresa está se esgotando, Max corre contra o tempo para contratar Mia e fazer com que ela se encaixe no papel... O que é fácil, pois após conhecer Max, um cara tão devotado a família, e sua esposa, que é um amor de mulher, fica fácil para Mia se passar por alguém da família, porque no fundo, ela que cresceu sem mãe, com um pai problemático e uma irmã mais nova, deseja que aquela farsa fosse real. Seria tão fácil se adaptar a um irmão mais velho, uma cunhada e sobrinhos crianças.

Esse livro é a prova de que a história de A Garota do Calendário está muito longe de prostituição e apenas sexo. No início essa era a impressão, sim!, com clientes sempre atraentes e podres de rico, Mia dizia não ser prostituta, mas o sexo era parte constante de seus trabalhos. Mas não mais. Em agosto a vida de Mia dá uma grande guinada e muda completamente de rumo.
"Aprendi com essa jornada a não ser cética a respeito das coisas." 
Com pouco mais de cem páginas, a história foca mais em Maxwell e sua família que na própria Mia, por motivos que ao longo da história ficam bem óbvios, devo dizer. Mas, apesar do clichê e da obviedade de tudo, o fato de a autora lançar livros curtos não a torna maçante, afinal não sobra espaço para ficar enchendo linguiça.

A partir de julho, para mim, a história de Mia ficou mais empolgante, depois de agosto então, é um turbilhão só de emoções! Agora prepara o coração para setembro, porque tem muita coisa para acontecer ainda!

10 comentários:

  1. Oi Thays.
    Fiquei feliz em saber que a história não se trata apenas de sexo, mas ainda não leria. Fiquei muito feliz em acompanhar através das resenhas o crescimento ad personagem.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Achei legal que depois de alguns livros a coisa começou a ultrapassar aquele básico esquema de trabalho dela. Parece que vai acontecendo um monte de coisas novas pelo caminho, situações e momentos diferentes para a personagem e esses últimos livros estão bem mais interessantes. E o bom é que por ser curto não fica enchendo linguiça mesmo. Não tem necessidade de enrolar.
    Tomara que os próximos continuem bons =)

    ResponderExcluir
  3. Thays!
    É bom ver que a série não é apenas de livros eróticos, tem também o lado familiar o que comprova que Mia realmente não é uma prostituta e sim uma acompanhante para diversos eventos.
    Bom ver que a série só melhora.
    Semaninha cheia de felicidade!!!
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. O enredo desse mês é surreal hahahahahaha
    Olha, ainda não sinto vontade de ler essa série, mas me agrada saber que a prostituição deixou de ser algo romantizado. que se a autora quiser pode ir por outros caminhos.

    ResponderExcluir
  5. E bom saber que a série em algum momento toma um caminho diferente, e se aprofunda mais em questões familiares, muda o rumo de Mia, e além de sexo acaba construindo um outro tipo de vínculo. Enfim, vejo que nesse mês vamos ter um turbilhão de emoções, e que a personagem esta ainda mais cativante, e com uma trama envolvente.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Até agora só consegui ler os dois primeiros livros da série, e amei *-*
    Por conta disso só li sua opinião sobre esse, fico feliz em saber que a série não decai, que a autora conseguiu deixar os livros basicamente no mesmo patamar, senão melhor até. Estou bem ansiosa para ler todos.
    Brocas!

    ResponderExcluir
  7. Oi Thays!
    Ainda não li os livros, mas estou ficando cada vez mais ansiosa a cada resenha de um novo mês na vida de Mia. Eu sempre achei que os livros da série se resumiriam a sexo, cenas hots e Mia lutando para não se apaixonar, mas parece que essa jornada vai se tornando mais voltada ao auto conhecimento da personagem do que a "prostituição" e conseguir dinheiro para sanar a dívida do pai. Espero poder ler em breve.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Thays!
    Apesar dessas mudanças a partir do livro do mês de julho e continuando no mês de agosto, eu continuou não me interessando pela história da Mia...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Oii, Thays! Tudo bom?
    Só li o primeiro livro da série e parei, fico dividida se continuo ou não, achei meio que artificial. Lendo a sua resenha fico até com vontade de ler, mas antes que chegue nesse livro vai vim um chato e vou acabar parando novamente rsrs um dia termino!

    ResponderExcluir
  10. Thays,adorei a sua colocação sobre que essa série,a primeira vista pode se pensar que é só sexo mesmo,tanto que quando vi os alardes sobre o lançamento dela descartei na hora comprar,mas com as resenhas fui percebendo que os livros não são tanto o que parece.

    E falando nisso,fiquei bem surpresa,já vi resenhas de vários livros da série,inclusive do último,mas desse ainda não,me surpreende que aqui não tem foco em um possível envolvimento romântico. Acho que é muito legal essa quebrada,ou melhor,variada um pouco de tema,para não deixar a série maçante.. E apesar de não ser fã de livros mais curtos,as vezes ando optando por eles para fugir da encheção de linguiça que vc menciona não ter espaço nos livros dessa série.
    Bjuss 😘

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo