Na Sua Pele (Homens Marcados #01) - Jay Crownover

26 novembro, 2016

Quando o tatuador Rule Archer passa, todos os olhares se voltam para ele. O cara é alto, tem o corpo todo desenhado e penetrantes olhos azuis capazes de fazer qualquer garota suspirar. Rule não segue regras. Rule não namora. Ele é do tipo que passa cada noite com uma mulher diferente... um perfeito bad boy. A estudante de medicina Shaw Landon é linda, rica e estudiosa. Ela sempre segue as regras. É o tipo de garota que namora alguém escolhido pelos pais. Mas não é isso o que ela quer. Tudo o que Shaw sempre deseja e sempre desejou é ter Rule Archer. Apesar de se conhecerem há muito tempo, o bad boy nunca havia reparado naquela menina perfeita. Quase ninguém poderia imaginar que os dois formariam um casal. Rule e Shaw são opostos perfeitos. E um relacionamento entre os dois tem tudo para ser explosivo. Na sua pele vai enlouquecer você. Uma história de amor improvável, muitas reviravoltas e cenas picantes. Esse livro marcará você como nenhum outro.

No primeiro livro da série Homens Marcados somos apresentados à Rule Archer, um tatuador que se esconde atrás das suas próprias tatuagens e do visual meio gótico como forma de reprimir seus sentimentos. Ele faz o tipo bad boy, de que não se importa com a família, não entra em relacionamentos sérios e que somente se importa em levar uma mulher diferente para cama a cada noite; e sua vida seria só isso mesmo, esse ciclo sem fim, se não fosse por Shaw Landon.
A boa e doce Shaw é estudante de medicina e conhece Rule a vida toda, e os dois não poderiam ser mais opostos.
Depois que alguns acontecimentos terríveis levaram Rule por esse caminho que beira a autodestruição, Shaw passou a se encarregar de todo santo domingo levá-lo para casa - a casa dos pais dele, para um dia em família, mesmo que isso signifique dirigir por algum tempo e perder preciosas horas de estudos.
Mas Shaw jamais reclama, ela é a única que vê um lado bom em Rule; a única que não o compara aos irmãos e que está disposta a lidar com toda a carga emocional que o acompanha - o fato de ser apaixonada por ele desde sempre é um mero detalhe, no meio de todo o turbilhão que eles têm passado nos últimos anos.

Você nunca quis ser fácil de amar, Rule, e faz de tudo para deixar isso bem claro.

A primeira vista esse parece mais um clichê de romance entre um bad boy e a mocinha rica, mas aos poucos a autora consegue mexer com esse clichê e transformar a história dos dois em um romance ardente e apaixonante.
Shaw é a mocinha rica sim, mas não significa que sua vida e sua família são perfeitas.
Rule é um bad boy, ele se revoltou contra sua família nos últimos anos, mas analisar somente o estereotipo de homem tatuado e "valentão" impede os outros de mergulhar em quem Rule verdadeiramente é e tampouco permite enxergar os motivos que o levaram a ser assim.
Aos poucos, juntos, eles se ajudam mutuamente a lidar com os problemas de suas vidas, para então mergulhar em um ardente romance.

— Porque sempre te quis, mesmo quando não queria querer, até quando isso partia meu coração em mil pedaços. Sempre quis você.

O que mais me agradou nesse livro foi o fato de Shaw e Rule já se conheceram há anos, que foge um pouco do comum. Eles conviveram por muito tempo, mas não era como se fossem melhores amigos, pelo contrário, em alguns momentos apenas suportavam um ao outro, e depois que um acidente abalou suas vidas eles se aproximaram sem nem notar.
O amor narrado entre eles é desses intensos, começa de um jeito inusitado e mergulha numa espiral de sentimentos que é impossível não se apaixonar.
Minha única crítica a escrita é ao vocabulário chulo, faz parte de Rule e da vida que ele leva, mas cada vez que ele se referia a "mina" a nerd dentro de mim pirava.
O livro é uma montanha russa de sentimentos do tipo que prende o leitor e é impossível largar antes do fim! E a melhor parte? Esse é só o primeiro livro de uma série que ainda vai nos apresentar muitos outros homens marcados.

8 comentários:

  1. Thaís!
    Já sei que vou gostar porque romance para mim quanto mais clichê melhor e até nem me importo com a linguagem chula, desde que esteja inserida em um contexto.
    “Só a mágoa deveria ser a instrutora dos sábios; Tristeza é saber.”(George Lord Byron)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá,apesar de ser uma história simples,o fato de os dois protagonistas se conhecerem a algum tempo torna a trama mais profunda e interessante de ler. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ja fiquei feliz na parte que vc disse q foge do clichê... pq é o que mais tenho visto. Às vezes leio livros diferentes, me perguntando se nao to lendo a mesma coisa, mas com abordagem diferente. Isso está chato... então pode ser um bom ponto pra eu querer ler este livro. Não me chama atenção, mas não é um livro q eu diria que não leria. Um dia, quem sabe...

    ResponderExcluir
  4. Ja fiquei feliz na parte que vc disse q foge do clichê... pq é o que mais tenho visto. Às vezes leio livros diferentes, me perguntando se nao to lendo a mesma coisa, mas com abordagem diferente. Isso está chato... então pode ser um bom ponto pra eu querer ler este livro. Não me chama atenção, mas não é um livro q eu diria que não leria. Um dia, quem sabe...

    ResponderExcluir
  5. Oi, Thays!
    Eu super entendo que existam autores e autoras que consigam transformar o clichê máximo que é bad boy + mocinha rica em algo bom, mas eu já enjoei bastante do que acontece até chegar nisso :/
    Vou esperar pra ver mais sobre os outros livros.
    P.S.: Adorei o nome ser "Homens Marcados", que eu imagino se referir às tatuagens e também ao sofrimento deles...

    ResponderExcluir
  6. Pela sinopse, só conseguia pensar em " to cansada desse clichê, dessa mesmice de bad boy que se encanta pela nerd", ou algo do tipo. À primeira vista, não me chamou a atenção, mas lendo sua resenha vi que não era bem assim. Os personagens se conhecerem há muito tempo, é ótimo. Pelo menos, pra mim, tinha aquela impressão horrível que tenho de casais que se conhecem e após 5 minutos já estão fazendo jurando amor eterno.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Thays!
    Vocabulários chulos também me incomodam, mas achei interessante a trama, concordo com você, a primeira vista parece clichê mas lendo sua resenha achei pontos diferentes do que costumo encontrar nos livros desse estilo - os protagonistas se conhecem há anos, uma  mocinha rica em vez de pobre e passando necessidades... - que me deixaram bastante curiosa e interessada em conhecer a história de Rule e Shaw... Então, valeu pela dica Abraços!!

    ResponderExcluir
  8. Humm, até que a história parece do tipo que gosto. Romance, um bad boy, amor que vai crescendo e personagens marcados e com problemas. Tem um lado clichê, mas se for bem feito isso nem fica muito marcante. Parece ser bom de ler e envolvente. É uma boa dica e acho que gostaria dessa leitura.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo