Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - J. K. Rowling

08 novembro, 2016

Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia,marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.

Harry Potter e a criança amaldiçoada é a edição impressa do roteiro de ensaio da peça escrita por J.K. Rowling em parceria com Jack Thorne e John Tiffany, que está em cartaz em Londres e se passa 19 anos após os acontecimentos narrados em Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Ponto forte: A oitava história, dezenove anos depois. Franquia de maior sucesso do mercado editorial mundial.
Prateleira: Para novos e antigos fãs de Harry Potter e leitores de fantasia em geral.

Novo livro de Harry Potter? Eu T-I-N-H-A que ler!
Mas é possível resumir esse livro em uma só frase: fanfic (não muito boa!) que virou livro.
Não desmerecendo as fanfics, mas o leve foco romântico que permeia o enredo é puramente sonhador, do tipo que autores de fanfic se matariam para escrever e ver acontecer, finalmente, o casal que (na sua ideia) é perfeito juntos.
Ah, por sinal, já li muitas fanfics de Harry Potter melhores que esse livro.

Por mexer com o universo de Harry Potter tantos anos após o fim do último livro, havia um receio quanto a esse livro, afinal no decorrer dos anos a autora amadureceu muito e até mesmo voltou sua escrita para outro gênero, direcionado mais ao público adulto. Tudo bem que o roteiro é assinado por John Tiffany e Jack Thorne, mas se a J. K. permitiu ter o nome dela (e os personagens!) vinculados dessa forma, podia ter tido um critério um pouco melhor.

A história segue a partir do epílogo do último livro, com o famoso trio Harry Potter, Hermione Granger e Ronald Wesley adultos e com suas famílias formadas. Casado com Gina, Harry teve três filhos, e agora é a vez de seu filho mais novo, Alvo, aventurar-se no mágico universo de Hogwarts.
Passados dezenove anos desde os acontecimentos na batalha de Hogwarts, o nome de Harry Potter ainda é mundialmente conhecido, e ser filho de um herói no mundo bruxo é um fardo que Alvo não aguenta mais suportar (em grande parte pelas atitudes de Harry como pai, que não condizem com o personagem amado pelos jovens durantes anos de saga!), ainda mais quando o Chapéu Seletor o manda para Sonserina, a casa tão temida.
Lá, Alvo se torna melhor amigo de Escórpio, o filho de Draco Malfoy - que em nada se assemelha ao pai - e cuja descendência gera burburinhos maldosos. De alguma forma, os dois acabam melhores amigos e realmente se completam, como ocorreu anos atrás na amizade entre Harry, Hermione e Rony.
E assim como o trio icônico, Alvo e Escórpio tem uma missão: encontrar o vira-tempo apreendido pelo Ministério da Magia e viajar no tempo para salvar Cedrico Diggory.
Um parenteses para expressar minha frustração:
Que diabos salvar Cedrico Diggory? Ele só chamou a atenção porque morreu!
A missão de encontrar o vira-tempo é importantíssima, pois depois de todos os eventos que envolveram Voldemort, os vira-tempo foram destruídos e banidos do universo mágico, mas um bruxo que foi preso pelo Ministério mantinha um arsenal de objetos proibidos, dentre eles um vira-tempo que foi confiscado pela Ministra da Magia, Hermione Granger.
Vencida essa etapa, os dois precisam bolar um plano que permita salvar Cedrico sem mudar drasticamente o curso dos fatos - e essa é a maior missão de todas!
Entre erros e acertos, os sentimentos de Alvo são postos em perspectiva, em especial o valor de sua amizade com Escórpio e a grandeza dos sentimentos de Harry por ele, na relação de pai e filho. E essa percepção é fundamental para salvar a todos!

Pelo fato de ser uma peça de teatro, é nítida a diferença na estrutura narrativa, os diálogos são divididos com o nome do personagem antes da fala, por exemplo, e não tem a mesma riqueza de detalhes encontrada em uma narração literária, porque essa é a parte textual, mas no teatro tem todo o conjunto cênico que dá vida a história.
Eu tinha conhecimento de que é uma peça de teatro e, consequentemente, teriam essas diferenças, mas até agora não consigo imaginar como fizeram funcionar nos palcos. Os capítulos são, na verdade, cenas de cada ato, mas em alguns momentos a história muda tão bruscamente que não imagino isso em um teatro. Claro que a expectativa, pela peça ao menos, é grande; mas as características do texto são o menor dos problemas.
A história é pouco madura e se desenvolve com uma rapidez assustadora - aparentemente terá uma versão completa/estendida que narre com precisão os fatos, mas a peça de teatro já foi tão decepcionante que mais páginas dessa história não são nem um pouco atraentes.
A leitura é muito rápida, a divisão das cenas é curta e isso gera uma celeridade na leitura, mas o roteiro traz ideias absurdas e pouco envolventes de forma que só não abandonei a leitura porque a curiosidade falou mais alto, não pela excelência do trabalho.
No fim há uma lição de amor entre Alvo e Harry - que fica claro desde o início que vai acontecer - e apesar de ter uma moral bonita, não foi suficiente para salvar o resto do livro.

9 comentários:

  1. Oi Thays.
    Uma pena que o livro não funcionou para você, eu confesso que não curto muito esse universo Harry Potter não, a capa é espetacular, a premissa no começo me pareceu legal mas a perspectiva que tive era que apesar da mansagem que o livro trás a leitura não flui, mas enfim esse livro com certeza não é para mim.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  2. Eu lembro de uma vez ter pensado em criar uma fanfic com um vira tempo, jk roubou a minha ideia hahaha. Mas eu TENHO que ler esse livro o mais rápido possível. Não vejo a hora de poder, finalmente, comprar o meu exemplar e devorar cada página. Adorei a sua resenha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Estou louca pra ler.
    Uma pena que vc não tenha gostado... li outras resenhas e todos amaram. Vc, obviamente, tem sua razão pra não gostar... mas pra entender isso, eu tenho q ler. Estou ansiosa e receosa ao mesmo tempo. Espero não me decepcionar..

    ResponderExcluir
  4. Oi, Thays!
    Eu tô nesse momento "tenho que ler esse livro", mas tô tentando diminuir minhas expectativas pra não me decepcionar. Adorei essa parte do vira-tempo, e que coisa mais linda que a Hermione tenha virado Ministra da Magia, adorei!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, é muito chato quando você tem uma alta expectativa em relação a um determinado livro e no fim acaba se decepcionando com ele... Nunca li os livros de Harry Potter mas sou fã dos filmes e perdi as contas de quantas vezes assisti cada um rsrs, é que em se tratando do gênero fantasia prefiro assistir e não ler algo sobre o gênero... Mas a respeito de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, achei interessante os filhos de Harry e Draco se tornarem amigos, foi genial... aliás, falando deles, concordo com você, por que salvar Cedrico Diggory, havia tantos personagens mais interessantes do que ele que acabaram morrendo ao longo da série...

    ResponderExcluir
  6. Thays!
    Nossa! Na maior ansiedade para a leitura desse livro.
    Mesmo que seja um roteiro de peça teatral e a linguagem seja totalmente diferente, quero demais poder ler porque tudo que vem da autora é bom.
    “Capacidade de saber cada vez mais sobre cada vez menos, até saber tudo sobre nada.” (Millôr Fernandes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Se eu fosse fã não sei se iria animar pra ler esse livro. Ele não parece muito bom..
    Mas acho que serve ao menos pra matar saudade desse universo, não? Vi muita gente decepcionada com o livro no entanto e isso é bem chato =/

    ResponderExcluir
  8. Este livro é um tanto desnecessário, parece um estratégia da editora para alavancar as vendas novamente, mas quem é fã de Harry Potter com certeza vai adorar. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Devo ser a única pessoa que ainda não leu ou assistiu Harry Potter. Não sei, mas o enredo não me chama a atenção e custei a acreditar que HP e a criança amaldiçoada realmente viraria livro, visto que é o roteiro de uma peça.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo