Os Tambores do Outono | Parte 1 (Outlander #04) - Diana Gabaldon

04 outubro, 2016

Neste livro emocionante, repleto de ação, intrigas e detalhes históricos, as barreiras do espaço e do tempo são postas à prova pelo amor de um casal e pela coragem de sua filha em mudar o destino para salvá-los.
Será possível alterar o passado?
Após tomar a difícil decisão de deixar a filha no século XX e viajar no tempo novamente para reencontrar seu grande amor, Claire Randall tem mais um desafio: criar raízes na América colonial do século XVIII ao lado de Jamie Fraser. Eles partem rumo à Carolina do Norte para encontrar um novo lar e contam com a ajuda de Jocasta Cameron, tia de Jamie e dona de uma propriedade na região.
Enquanto isso, em 1969, Brianna Randall se une a Roger Wakefield, professor de história e descendente do clã dos MacKenzie, para encontrar as respostas sobre as próprias origens e sobre Jamie, o pai biológico que nunca conheceu.
Em meio às buscas, ambos encontram indícios de um incêndio fatal envolvendo os pais de Brianna. Mas Roger não pode lhe contar isso, porque sabe que a namorada tentaria voltar no tempo e salvá-los. Por outro lado, Brianna também não compartilha sua descoberta, pois tem certeza de que Roger tentaria impedi-la.

Por já ser o quarto livro da série fica difícil se controlar no spoiler dos livros anteriores, por isso a resenha de hoje vai se limitar a analisar o enredo, sem mergulhar muito - até porque essa é só a primeira parte, no livro seguinte muita coisa ainda acontece!

Em alguns momentos a história que Claire Randall contou a sua filha Brianna parece surreal, viajar por meio das pedras e viver um grande amor, mas desde que Claire voltou pelas pedras para reencontrar Jamie depois de descobrir que ele não havia morrido na batalha de Culloden, Brianna sente cada vez mais saudades da mãe. Sua vida não é mais a mesma, desde que o pai morreu não há nenhum grande vínculo que a prenda aos Estados Unidos, tampouco à Escócia... exceto por Roger.
Ele a ajuda a buscar notícias nos livros e jornais da época, como forma de tentar descobrir se tudo correu bem para Claire, se ela encontrou Jamie e como eles estão se virando na América na época da colonização. Até que uma notícia de um incêndio acende todos os alertas: Roger pensa que Brianna jamais poderá saber disso, enquanto ela pensa que não pode contar a Roger, porque a essa altura ele já a conhece bem e tentaria impedi-la de fazer o que precisa fazer.

Enquanto isso, duzentos anos e muitos mil quilômetros de distância, Claire e Jamie estão se reerguendo no novo mundo que chamam de América. Graças a Jocasta, uma tia de Jamie que veio anos antes para a América e tem uma produtiva fazenda - inclusive com direito a escravos - os dois têm a oportunidade de se situar no ambiente e aprender como tudo é feito.
Mas Jamie tem um senso de honra para com a sua família e uma gana de ter algo para se orgulhar e chamar de seu, uma herança que possa passar adiante, e busca junto com todo o ensinamento de Jocasta, encontrar uma forma de construir o seu caminho e a sua vitória na América.

A cada livro que leio dessa série, mais boquiaberta Diana Gabaldon me deixa!
Com uma riqueza de detalhes, a autora é capaz de transportar o leitor para ambas as épocas, tanto para o ano em que Brianna vive quanto para os Estados Unidos na época em que era colônia, isso sem perder o brilho nem o fio da meada.
Por mais que a autora descreva com perfeição os locais, a narrativa nunca é monótona, sem falar que de um jeito mágico a autora sempre consegue reunir os personagens, até mesmo aquele "fulaninho" que apareceu no navio no livro passado mais para frente vai ter relevância, ou seja, todo o enredo é muito bem entranhado e tudo que acontece uma hora é explicado, por isso que é impossível não se apaixonar pela escrita da autora e por toda a história em si.
Com mais de quinhentas páginas, a história flui tão bem que os capítulos voam, intercalados entre o passado e o presente, entre Claire e Jamie e Brianna e Roger.

6 comentários:

  1. É, o jeito que ela escreve faz a gente pensar que está naquele tempo. É muita riqueza de detalhes e o clima bem da época que ela escolhe. Tanto o passado quanto o "presente" são bem feitos nos livros dela. O que achei interessante nesse foi o clima de colônia, bem rural mesmo e de fazenda. E a narrativa dela continua fazendo a gente querer ler mais e mais sobre esses personagens. Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho muita vontade de ler esse série. Todos os livros parecem ser ótimos, e a escrita da autora parece ser perfeita! Eu comecei a assistir o seriado, e gostei bastante da primeira temporada, mas parei de assistir, porque quero ler os livros antes :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Já tinha ouvido falar da série muitas vezes, e confesso que estou muito curiosa, mas o tamanho me Deixa com um pé atrás com medo de que no decorrer da trama a estória se torne extremamente cansativa e igual, gosto muito de livros históricos e ficção, estou ansiosa, mas porem ainda não me convense.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  4. Amo a história, mas acompanho o seriado e nunca li a série impressa... Não troco o Jamie do seriado por nada ♥
    Creio eu que a próxima temporada deva enveredar por esse rumo, já que algumas coisas da temporada passada já pude perceber na sua resenha.
    Não tenho a pretensão de ler a série, já que ela é imeeensa, então vou tentando me esquivar dos spoilers hahahahah

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Quero muito ler essa serie, sempre vejo muitos comentários positivos sobre a escrita da Diana Gabaldon e acho esse mundo que ela criou muito rico, ainda mais o trabalho de pesquisa que a autora faz. Gostei muito dessa historia principalmente por termos novos personagens que parecem ser bem interessantes e essa nova jornada do casal !!

    ResponderExcluir
  6. Oi!! Eu acompanho essa série tem 11 anos, então vc imagina como ela é querida pra mim hehe Diana é muito boa escrevendo, mas eu acho que as capas novas são muito feias hahahaha (Jamie vemnimim)

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo