Dia de Banca #24 - Castelo de Paixão

14 outubro, 2016


Dia de Banca é uma coluna destinada a esse outro "gênero" da literatura, que muitas gostam e acompanham e agora está ganhando um espacinho aqui no blog!





Sem compromisso? Os planos de negócios de Brady Finn não incluíam uma irlandesa desafiadora. Porém, Aine Do­novan, a gerente do hotel que ele acabara de comprar, está determinada a impedir que Brady destrua a tradição do lugar... e a resistir aos encantos do chefe. Quando o romance casual resulta em uma gravidez inesperada, Aine foge! Mas Brady não desistirá dela nem do bebê facilmente! 















Brady Finn está a um passo de dar um grande passo em sua carreira: junto com dois amigos eles criaram um jogo de videogame que logo se tornou febre entre os jovens de todo o mundo, com gráficos impecáveis e um mundo mágico, o próximo passo é trazer esse mundo para a vida real. Os planos são inaugurar três hotéis que reflitam o universo do jogo e possam proporcionar a quem se hospedar atividades únicas e inesquecíveis.
O primeiro dos hotéis fica na Irlanda e será montado em um castelo que está abandonado. Claro que o investimento para torná-lo o lugar perfeito será alto, mas a magia que um castelo traz faz todo esforço valer a pena, pelo menos era assim que Brady pensava até ter que voar até a Irlanda e lidar pessoalmente com Aine Donovan, a gerente do hotel e encarregada por toda a obra.
Impressionantemente teimosa, Aine quer lutar pelas características originais do castelo e pela valorização do povo nativo, ao invés de gastar rios de dinheiro com operários americanos, e toda essa teimosia irlandesa mexem com a cabeça de Brady mais do que ele gostaria de admitir.
Além do mais, ele não pode negar que se sente atraído por Aine, uma mulher jovem e linda, independente e cheia de atitude, como não se atrair?! Ele também não é de todo mal, mas com a distância entre eles (Brady jamais se imaginaria morando na Irlanda, e Aine certamente nunca iria para os Estados Unidos) e a relação profissional, ambos devem se contentar com um rápido caso.
Logo Brady volta para casa, lidando com Aine a distância sem imaginar o grande segredo que ela lhe esconde: está grávida.
Mas uma barriga de gestação não é algo que se pode disfarçar facilmente, e quando Brady põe os pés no castelo novamente, Aine sabe que está enrascada, porque esse americano não está disposto a desistir do bebê, e nem dela. 

Castelo da Paixão carrega todos os elementos de um romance de banca: uma história rápida, sem grandes mistérios, só muito amor no nível água com açúcar. Quem nunca teve um dia que deseja ler uma história bem assim? Os três livros que integram essa trilogia Jogos do Amor seguem a mesma fórmula de um caso rápido, problemas com relacionamentos e uma gravidez para lidar - mas depois eu conto das outras histórias!
Bem escrito e empolgante por todo o universo que Brady e seus amigos construíram no mundo dos videogames, acompanhar a transformação de um sonho, ainda mais em um castelo, é bem divertido.
Mas, como a maioria dos romances de banca que já recomendei aqui, é uma leitura gostosa e muito rápida, mas despretensiosa! O livro ficou bem escrito e diagramado, sem erros de digitação (que são comuns na Harlequin!).

6 comentários:

  1. Eu não costumo ler muitos romances de banca, mas fiquei com vontade de ler essa trilogia. A historia é bem interessante, e gostei de saber que o livro é bem escrito e empolgante. Já vou colocar na minha listinha :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Gosto de ler esse tipo de livro quando bate uma ressaca literária ou não estou pra ficar de muita enrolação, sem tempo ou coisa assim. Por serem histórias rápidas e água com açúcar mesmo...
    Ah, é bom pra descontrair. Ele parece legal e acho que gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu não sou muito fã de romances de banca não, justamente pelo toque clichê que eles tem, e esse não poderia ficar de fora, infelizmente a história não me convenceu a coisa toda da gravidez e da mocinha fugir não me cativou.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  4. Amo livros de banca. Foram, pra mim, o início de tudo, o hábito pela leitura. Gosto de histórias assim sem grandes complicações ou grandes reviravoltas, aquela historinha gostosa pra ler numa tarde.
    Gosto desses embates e amo histórias com crianças... já quero ler!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Gosto muito dos romances de banco principalmente por ser historia leves e mesmo sendo clichês ainda sim conquistam o leitor, achei esse historia bem legal e fiquei curiosa sobre esse reencontro dos personagens !!

    ResponderExcluir
  6. Ai, sabe que eu não consigo gostar desses romances de banca?? EU tinha uma tia q era apaixonada por eles, mas a leitura nunca me conquistou...Sei lá, parece novela mexicana e é sempre a mesma coisa ahhaah

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo