Diga Sim Ao Marquês (Castles Ever After #02) - Tessa Dare

06 setembro, 2016

Vossa Excelência está convidada a comparecer ao romântico castelo Twill para celebrar o casamento da senhorita Clio Whitmore e… e…?

Aos 17 anos, Clio Whitmore tornou-se noiva de Piers Brandon, o elegante e refinado Marquês de Granville e um dos mais promissores diplomatas da Inglaterra. Era um sonho se tornando realidade! Ou melhor, um sonho que algum dia talvez se tornasse realidade…
Oito anos depois, ainda esperando o noivo marcar a data do casamento, Clio já tinha herdado um castelo, tinha amadurecido e não estava mais disposta a ser a piada da cidade. Basta! Ela estava decidida a romper o noivado.
Bom… Isso se Rafe Brandon, um lutador implacável e irmão mais novo de Piers, não conseguir impedi-la. Rafe, apesar de ser um dos canalhas mais notórios de Londres, prometeu ao irmão que cuidaria de tudo enquanto ele estivesse viajando a trabalho. Isso incluía não permitir que o Marquês perdesse a noiva. Por isso, está determinado a levar adiante os preparativos para o casamento, nem que ele mesmo tenha que planejar e organizar tudo.
Mas como um calejado lutador poderia convencer uma noiva desiludida a se casar? Simples: mostrando-lhe como pode ser apaixonante e divertido organizar um casamento. Assim, Rafe e Clio fazem um acordo: ele terá uma semana para convencê-la a dizer “sim” ao Marquês. Caso contrário, terá que assinar a dissolução do noivado em nome do irmão.
Agora, Rafe precisa concentrar seus punhos e sua força em flores, bolos, música, vestidos e decorações para convencer Clio de que um casamento sem amor é a escolha certa a se fazer. Mas, acima de tudo, ele precisa convencer a si mesmo de que não é ele que vai beijar aquela noiva.


Oito anos atrás Clio Whitmore foi pedida em casamento, uma boa proposta com um bom homem (leia-se com um bom título!), como deve ser. No auge de seus dezessete anos, a promessa de um bom casamento era tudo o que sua família desejava, mas oito anos se passaram e Clio continua esperando por Piers Brandon, seu noivo.
Piers além de Marquês de Granville, é um grande diplomata da Inglaterra e como tal vive em missões em outros países, por isso ainda não haviam marcado uma data, mas depois de esperar oito anos Clio cansou de esperar sentada por um casamento que aparentemente não aconteceria mais, além de não aguentar mais ser a piada da sociedade.
Depois de herdar um castelo, Clio tem o plano perfeito para seguir com a sua vida, mas para isso ela precisa que Rafe Brandon - irmão do Marquês e o responsável pelo título enquanto Piers está no exterior - concorde com a ideia e a libere desse noivado.
Decidido a fazer tudo certo na ausência de seu irmão, Rafe se nega a desmanchar o noivado, mas está disposto a fazer um acordo: ele propõe organizar o casamento de forma a mostrar para Clio a magia do matrimônio e convencê-la a se empolgar novamente com a ideia.
Para isso eles partem para o castelo de Clio, e Rafe tem que usar todos os seus recursos para mostrar a ela os melhores vestidos e bolos - ao mesmo tempo em que tenta se convencer a se comportar como o cunhado que irá ser, e não como o homem que deseja estar ao lado de Clio no altar.

“Eu passei muito tempo sozinha nos últimos oito anos. Comecei a conhecer melhor a mim mesma e minhas possibilidades. Sou resiliente. Consigo aguentar um pouco de fofoca. Muita, até. Eu consigo herdar uma propriedade e não só preservá-la, mas também melhorá-la. Porque tive todas essas aulas que deveriam fazer de esposa ideal de um diplomata e as usei em proveito próprio. […] eu declarei discretamente minha independência. Agora sou a nação soberana de Clio. E não há rendição possível.”

Primeiro, não se assuste nem pense que haverá spoilers, porque apesar de ser o segundo livro da série Castles Ever After, os livros são completamente independentes entre si, assemelham-se nos contexto por se tratar de uma série com mulheres independentes que buscam garantir suas propriedades sem a necessidade de um casamento.

Ainda que a premissa soe um pouco clichê, a velha história do irmão mais novo que deseja se casar com a noiva do mais velho - que, nos romances históricos sempre tem um "quê" a mais, já que o mais velho é quem herda o título e boa parte do dinheiro da família, é graças a protagonista feminina que a história fica realmente marcante.
Tessa Dare nos apresenta uma mocinha que cansou de ficar à beira da sociedade, no aguardo de um marido e do status de casada, enquanto nesse tempo todo fica aprendendo apenas como ser uma boa esposa ao invés de investir em si mesma como pessoa. De certa forma Clio é muito semelhante à Rafe, quem se afastou dos salões de baile e do glamour da sociedade para viver nas redondezas e se sustentar a base de sua própria carreira de lutador.
A química do casal é notável, e aos poucos a casca grossa de Rafe cai para revelar um verdadeiro cavaleiro - muito mais homem que seu irmão que tem se esquivado do casamento indo de um lado para o outro. Os personagens secundários trazem humor a história, principalmente o velho cachorro de Piers.
Com uma escrita fluída e notável, a autora nos carrega para o interior da Inglaterra de séculos atrás e reconta uma história de amor e independência com muita paixão e uma pitada de drama, tudo na medida certa.

7 comentários:

  1. Eu amo romances de época, e estou morrendo de vontade de ler algum livro da autora. A autora parece ser ótima, e todos os livros dela parecem ser super interessantes. Eu também devo gostar bastante desse livro, e eu acho que também vou gostar bastante da Clio. O livro já vai entrar para minha listinha também :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    Eu amei de paixão o primeiro livro, a ainda não tive a oportunidade de ler o segundo, mas espero em breve mudar esse fato.
    Amei a premissa, clichê com certeza, mas bom, o mocinho com certeza é mais homem que seu irmão, simplesmente adorei.
    Boa tarde.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não sou muito de ler romances, mas os de época sempre me encantam. Não conhecia ainda este livro e pelo que li na sua resenha (muito boa, por sinal) percebi que se assemelha um pouco com a série os Bridgertons. Já adicionei a minha lista de leitura, e adorei o fato deste e dos outros livros da série falarem sobre as mulheres e a busca por independência.

    ResponderExcluir
  4. Li uma série dela recentemente e uma coisa que ela faz bem é o romance e com personagens fortes e super independentes. Que não aceitam o clichê da sociedade, principalmente. Acho isso bem legal nesse tipo de livro.
    Esse além de ter essas coisas ainda vem recheado com bom humor. Tem um romance que parece que vai sendo construído aos poucos e nos fazendo ficar apaixonados também e uma mocinha que vale a pena acompanhar.
    O bom dessa série é que é independente, assim a gente não fica no aguardo de continuações de histórias e pode ler aquela que mais agradar. Queria conferir todos de qualquer forma.

    ResponderExcluir
  5. Adoro esse clichê e geralmente torço pelo irmão "fura-olho". Não era ou é fácil ser mulher: enquanto o noivo viaja a trabalho, negligenciando a noiva, ela sofre os inconvenientes e piadas sobre um casamento que não acontece... Rafe tem mais caráter que o irmão, detentor do título.
    A única ressalva que faço quanto ao livro, são as aspas substituindo os travessões... não dá, nunca vou me acostumar a isso.

    ResponderExcluir
  6. Aaah, que fofo! Não sou muito fã de romances de época porque às vezes parece que todos seguem uma certa fórmula, mas adorei a premissa desse. A Clio me lembrou a America de A Seleção com essa atitude de se proclamar soberana de si mesma hahahah O fato de ser uma série me quebrou um pouco, mas vou pôr na lista dos que quero ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desanima não! O livro faz parte de uma série, mas eles são completamente independentes entre si ;)

      Excluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo