Adivinhe Quem Sou - Megan Maxwell

19 julho, 2016


Como toda jovem, Yanira é inquieta e quer mais da vida do que trabalhar no comércio da família. Por isso, ao deixar sua vida tranquila, ao lado de seus pais e irmãos, na paradisíaca ilha de Tenerife, a cantora e neta de roqueira quer traçar um novo destino para si, mais apimentado e recheado de aventuras. Incentivada por sua impetuosa amiga Coral, ela se muda para Barcelona e se emprega num cruzeiro de férias como garçonete. Sobre as águas do Mar Mediterrâneo, Yanira vai acumular experiências de vida e conhecer pessoas do mundo todo, como o porto-riquenho Dylan, um atraente empregado da manutenção do navio, que a excita só com o olhar. Apesar da forte química que existe entre eles, Dylan não parece ser muito afeito ao que Yanira tem a oferecer, o que a incita ainda mais. 





Apesar de ser feliz vivendo com sua família, Yanira tem ambições maiores, e muito sucesso que pode lhe garantir um futuro promissor. Com isso em mente ela se junta a sua melhor amiga para embarcar em uma aventura, ou um novo emprego, dependendo do ponto de vista. Juntas elas vão para Barcelona e embarcam em um cruzeiro de férias, navegando sobre as águas do Mediterrâneo como garçonetes.

Seu objetivo, claro, é maior que isso, mas o navio é uma forma de viver a vida fora da pequena (e paradisíaca) ilha de Tenerife, onde vive com a família, e também de fazer seus próprios contatos, afinal tem muita gente interessante nesses lugares, mesmo que a maioria não dê bola para meras garçonetes.

Nos acasos da vida, ela conhece Dylan, um porto riquenho que também trabalha no navio, e que além de muito bonito é capaz de excitá-la só com o olhar, a ponto de Yanira não conseguir pensar em nada além dele. Quanto mais Dylan a ignora, mais a atenção de Yanira recai sobre ele, e decidida como ela é, é só questão de tempo para tê-lo onde deseja.



Um dos pontos positivos das histórias da Megan Maxwell são suas personagens femininas, sempre "para frente", independentes e autossuficientes. Com Yanira não é diferente. Ela sabe o que quer e vai atrás, seja na sua vida profissional ou na sexual, ela não tem amarras, não se prende a tabus. Então, a somatória de uma personagem impetuosa com um enredo muito sensual como só a Megan sabe criar eram a promessa de mais uma história muito boa e excitante.

Mas não foi assim.

O início da história fluiu bem - algumas cenas desnecessárias, mas a promessa do centro do enredo estava logo em frente, incitando a continuar - só que não foi esse o caminho. Logo que Yanira embarca no navio, começa a enrolação. Além de incluir muitos personagens na história, a maioria deles com apelidos ou nomes compostos que me faziam confundir quem era quem, a promessa da sedução (característica dos livros da Megan) parecia não chegar nunca.

Seguindo o sucesso de cinquenta tons com uma personagem que ouvia "a deusa interior", Yanira é acostumada a pesar sempre as suas opções, o que a deixa cada vez mais chata, porque muitas das possibilidades são impossíveis. Para tudo ela pensava "faço a, b ou c" - completamente desnecessário. E foi dessa forma que a autora ganhou páginas e enredo, mas ainda não era o suficiente. Com a intenção de criar um enredo cheio de rebuliços, a autora acabou jogando muitas informações sem explicações, algumas foram uma surpresa sim, mas outras quantas eram desnecessárias, ainda mais que o livro tem uma continuação.

Comecei a leitura cheia de expectativas e, mais uma vez, a Megan me decepcionou. Independentemente do trabalho impecável da editora na diagramação do livro, não teve como salvar.

3 comentários:

  1. Ela me decepcionou em um livro pela personagem e a estranheza da história. Sei lá, mas a garota aceitava muita porcaria do cara com que estava. Ficava fazendo as vontades dele mesmo se sentindo desconfortável e caramba se isso não me irritou e me deu nojo em muitas partes. Porque esperei uma garota moderna e forte e encontrei um brinquedo. Não, a autora não me ganhou. Esse parece ser outro dela com personagem irritante. Acho que detestaria as escolhas dessa mulher, de ler a enrolação e tudo mais. É, essa é pra quem curte muito o gênero ou a autora. Não leria =/

    ResponderExcluir
  2. Dela já li Os Príncipes Encantados Também Viram Sapo, que foi bem frustrante com aqueles personagens que se comportavam como crianças, e a trilogia Peça-me o que Quiser, com aqueles cenas absurdas e bizarras. Não curti. Penso que o problema é comigo, eu é que não estava num bom dia, mas por agora não leria outra coisa dela.

    ResponderExcluir
  3. Pela capa e título, não imaginaria o enredo. A primeira vista, os elementos parecem funcionar muito bem, mas se tem enrolação, acaba com o ânimo de qualquer um.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo