Redenção de um Cafajeste - Nana Pauvolih

08 junho, 2016


Pioneira da autopublicação no segmento erótico nacional, com mais de um milhão de visualizações de suas histórias na plataforma online Wattpadd e sucessivos primeiros lugares na lista dos e-books mais vendidos da Amazon, Nana Pauvolih estreia na Rocco com a trilogia Redenção, um de seus maiores sucessos.
Em Redenção de Um Cafajeste, a autora narra a história de uma garota simples, que sonha terminar a faculdade e ser professora, e que conhece um empresário, dono de uma das revistas masculinas mais escandalosas do país. Uma história que mistura doses certeiras de paixão, romantismo e erotismo, tendo o Rio de Janeiro como cenário.






Em uma comunidade no Rio de Janeiro foram criadas Maiana e Juliane, ambas muito bonitas, mas completamente opostas. Criadas por uma mãe que se nega a trabalhar, as meninas ouviram a vida inteira que deveriam encontrar um marido rico que as tiraria da vida de pobreza, caminho este que Juliane tentava seguir de bom grado, aparecendo em eventos e grandes festas, vendendo seu corpo aos ricos da cidade para realizar o "sonho" de se casar por dinheiro. Mas Maiana pensava justamente o contrário sobre isso, horrorizada com os ideais da própria mãe, ela tentou alertar a irmã mais nova o quanto pode, inclusive dando o exemplo ao sair cedinho para trabalhar e conciliar sua rotina com os estudos da faculdade.
O atual "amante" de Juliane se chama Arthur Moreno, um empresário bem sucedido no ramo de publicações, sendo dono de algumas revistas, inclusive da Macho, que é voltada exclusivamente para o público masculino e da qual Juliane sonha em ser capa. Quando um incidente acontece com Juliane, Maiana vai em busca de Arthur para tirar satisfações, mal sabia ela que despertaria um desejo desenfreado nesse conquistador.
Mimado pela avó, Arthur foi criado com a ideia de que é um rei e todos os seus desejos devem ser atendidos, principalmente os que se referem aos desejos do corpo. Usa e abusa das mulheres sem peso na consciência, e quando Maiana cruza seu caminho, ele decide que ela será sua próxima vítima, mesmo que para isso tenha que continuar a aturar sua irmã insuportável, afinal Juliane pode ser uma grande aliada se tiver lucro com isso. Ao descobrir que Maiana é virgem, seu desejo cresce ainda mais.
Mas não é uma missão fácil. Aos poucos ele se aproxima e se faz presente, até ter certeza que Maiana está sempre pensando nele. Pela primeira vez na vida Arthur luta por uma mulher - o que não significa que sua atenção está voltada só para Maiana, enquanto ela não lhe dá o que ele quer, tem muitas outras mulheres dispostas a darem.
Quando quer, Arthur sabe ser galanteador e é assim que conquista Maiana a ponto dela se apaixonar por ele e se entregar a essa paixão. Tudo que acontece é muito bom para ambos, mas Arthur cresceu ouvindo que não poderia ceder a nenhuma mulher, que todas só querem o seu dinheiro, então antes que alguma coisa mais séria se passe entre eles, Arthur põe seu lado cafajeste em ação e parte o coração de Maiana. Seu maior arrependimento.

Por todo o caminho que Nana Pauvolih trilhou até a publicação de seus livros pela Fábrica 231, decidi investir na leitura de seus livros, afinal com tanto sucesso em plataformas online o livro deveria ser muito bom, certo?! Mas não foi.
Claro que essa é uma opinião pessoal, então deixo claro que para mim o livro não funcionou.

Clichês a parte quanto a mocinha pobre que se apaixona pelo mocinho rico, foi a parte erótica que mais me decepcionou. O livro é extremamente erótico/sexual, repleto de cenas, posições e descrições que o tornam muito intenso, mas a forma como essas cenas foram desenvolvidas não me agrada. Depois de ler muitos livros eróticos como Cinquenta Tons e os livros da Sylvia Day, estou acostumada a um conteúdo pesado mas bem escrito, enquanto que nesse livro a autora partiu para a baixaria na hora do sexo que não se adequa ao romance que ela queria mostrar.
E outro fator negativo é a incoerência na construção da personagem principal. Maiana é toda tímida, centrada e romântica, que tem a ideia de esperar pelo cara certo e tudo mais. Até aí ok. Mas quando Arthur a provoca um pouquinho sexualmente, ela se transforma em uma máquina de sexo que anula tudo que foi dito até então. Óbvio que pessoas tímidas podem gostar de sexo e aproveitar. Óbvio. Mas quem espera vinte e tantos anos para perder a virgindade e tem uma ideia toda romântica, não vai fazer sexo o dia inteiro em todas as posições possíveis e imagináveis. Simplesmente não condiz com o personagem.
Sem falar que além de cafajeste, Arthur é extremamente machista e qualquer relacionamento com ele claramente se destaca como relacionamento abusivo, e a boa e tão inteligente Maiana não se dá conta de nada disso, iludida na sua bolha de amor. Para alguém tão centrada com tudo, esperava mais dela.
Outro detalhe que me deixou um pouco revoltada com a história, quando Maiana procura Arthur é porque sua irmã foi violentada. Achei positiva a cena no sentido de mostrar que o caminho de Juliane é perigoso, mas assim que a menina estava bem voltou a fazer as mesmas putarias, então já me frustrei no início do livro.
Por questões como essas conclui a leitura bem desestimulada. Os personagens não me cativaram em nenhum momento, a única coisa que me despertou foi raiva da família de Maiana. E o problema de não ter gostado nem um pouco desse livro é que os próximos livros me parecem um pouco mais promissores pelas sinopses, mas não tenho vontade nenhuma de lê-los no momento.
No skoob encontrei uma resenha que define exatamente o que pensei desse livro: "Achei o cara doente, violento, um relacionamento venenoso, desrespeitoso, frio, nem um pouco saudável, sabe?"

São poucas as resenhas totalmente negativas aqui no blog, então quero deixar claro que o conteúdo do livro não me agradou, mas de forma alguma busco ofender a autora ou seu trabalho! Só busquei ressaltar tudo que fez o livro ser uma decepção para mim, em termos de conteúdo.

Para quem busca sexo puro e cru, com direito a palavras de baixo calão (bem filme pornô) esse livro está repleto de cenas assim que podem agradar.

7 comentários:

  1. É uma pena que as cenas HOT ( que deviam ser um ponto alto do livro) tenham te decepcionado, principalmente pelas palavras de baixo calão que eu também não gosto, achei desnecessário a personalidade dos personagens, tomara que os próximos livros sejam melhores

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sinceridade de sua resenha, ainda não li esse livro mas tinha curiosidade e os tópicos negativos que você levantou me fizeram crer que esse livro não vai me deixar interessada, um livro que investe muito em cenas mais quentes e deixa a história a desejar me frustra e em geral saio pulando parágrafos pra terminar a leitura, como o livro tem uma base de fãs, sei que é questão de opinião.

    ResponderExcluir
  3. Não gosto muito do tipo e esse não chamou atenção por isso. Mas sei lá, vi algumas coisas legais dele e parecia bom. Mas tem que funcionar pro leitor né, depende de cada um. Alguns clichês arrebentam na hora de ler e isso foi o que mais me desmotivou pra ler esse tipo de livro. Não pegaria esse =/

    ResponderExcluir
  4. Acho que blogueiro nenhum tem a intenção de ofender autor, mas no que a autora tava pensando quando criou um personagem machista, violento, um doente mesmo? Não sou leitora dessas plataformas e a sua resenha é de fato a primeira que leio e foi decepcionante. Sou a primeira a afirmar que adoro histórias que tratem de temas atuais, mas histórias bem estruturadas, não algo que seja sobre abuso e dominação.

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Eu amei a sinceridade da sua resenha.
    Sei bem como você se sentiu lendo esse livro, por que comigo ocorreu a mesma coisa.
    Ela não é protetor, não é romântico ele é simplesmente o tipo de homem que toda mulher que preze quer bem longe, o sexo chegou ao um ponto que pensei. Merda, de novo? O livro sinceramente foi um decepção porém irei ler os seguintes, me recuso a não completar essa série.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  6. Chega a ser triste ver esses livros escritos por mulheres nos quais as personagens femininas têm esse papel quase de objeto.

    ResponderExcluir
  7. Eu já tinha visto esse livro, mas confesso que nunca sentir vontade de lê-lo, ainda bem né? que pelo visto eu ia me frustar tanto quanto você!
    O cara já começou a ser machista e abusivo, simplesmete não rola, nem nos livros e nem na vida real! E uma das coisas que eu mais gosto nos livro são personagens bem construídos, e é uma pena que pelo visto, esse livro não tem. Enfim... Beijo!

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo