Black Para Sempre (Trilogia Forever #01) - Sandi Lynn

10 maio, 2016





O primeiro livro gira em torno de Ellery, que sempre imaginou que seu futuro estaria ao lado de seu namorado perfeito e seus felizes para sempre estava garantido. Entretanto, quando ele faz suas malas e pede espaço, ela vê seu mundo ruir e decide focar somente em suas pinturas e desistir de relacionamentos, até que em uma noite ajuda um homem completamente bêbado a chegar a sua casa em segurança. Um homem que logo estará disposto a brigar por um futuro ao lado de Ellery e apoiá-la quando seu mundo estilhaçar novamente.






Ellery Lane ainda está se recuperando do fim de um relacionamento quando seu caminho se cruza com o de Connor Black. Ela, que tem um espírito bondoso e não pode deixar de ajudar qualquer pessoa em apuros, o leva para casa depois de encontrá-lo podre de bêbado na saída de um clube. Se fosse um pouco mais cuidadosa, Ellery o teria largado na porta de casa, mas não, ela decidiu ajudá-lo o máximo que pode, para, no dia seguinte, ser surpreendida com sua aspereza.

O que ela nem imaginava era que aquele era Connor Black, um grande CEO, um dos mais ricos do país, e definitivamente o tipo de homem que não atura mulheres que passam a noite em sua cama, ou mesmo só no seu apartamento.

Por isso ele a expulsa na manhã seguinte, mas Ellery tem um gênio forte e não deixa barato, ela não está ali para ser chutada e nem está disposta a aturar o mau humor dele. É justamente essa atitude que desperta o interesse de Connor, nunca antes uma mulher reagiu assim, normalmente elas choram e imploram para não serem mandadas embora, prometendo mundos e fundos para lhe dar prazer e manter sua atenção. Ellery não, ela estava mais do que disposta a lhe dizer algumas verdades e depois voltar para casa, sem aceitar desaforos e muito menos o dinheiro dele.

Atraído por Ellery, Connor faz de tudo para chegar até ela e uma vez que se tornam amigos, Connor não pôde mais deixá-la ir embora, mas ambos têm segredos que ameaçam acabar com qualquer sentimento que tenha surgido entre eles.



Por alguns motivos esse livro não me conquistou. Primeiramente, quem em sã consciência levaria um homem bêbado para casa? Pior, um completo estranho! Mas ok, você pode pensar que existe gente louca no mundo para tudo, só que depois disso Connor se torna um leve stalker e conquista a amizade dela.

De todos, o maior problema foi a superficialidade. Claro que mantém muitos clichês como ele ser um CEO dominador, não ter relacionamentos, ter um trauma, se apaixonar por uma garota comum que em nada tem a ver com o seu mundo de riqueza - são todos dramas e clichês que se tornaram sucesso depois de cinquenta tons de cinza, então a trilogia Forever não é a primeira a tentar repetir esse sucesso, mas faltou intensidade. A escrita da autora não me passou todos os sentimentos que os personagens realmente sentiam - Ellery passa por alguns momentos dolorosos em sua vida, mas em nenhum deles eu me senti tocada pela história.

Na parte sexual do livro também me pareceu muito fraca, ainda que tenham várias cenas de sexo, o livro acaba sendo um romance comum, são cenas "normais" que fazem parte do romance em si, em nenhum momento isso se torna o foco da história ou a deixa mais intensa.

Black Para Sempre simplesmente não funcionou para mim. Tudo acontece muito rápido, para alguém que se julgava incapaz de amar uma mulher, Connor se vê apaixonado muito rapidinho e toda sua personalidade muda com isso. Ellery também se apaixona rápido, mas ela além de ser durona - não abaixa a cabeça tão fácil para Connor - é louca, do tipo mulher barraqueira que faz você sentir vergonha alheia.

Com o epílogo que a autora criou a história está bem encerrada nesse livro, não vejo necessidade de outros dois livros, tampouco sei quando vou lê-los, porque a história ficou bem redondinha - superficial, mas os fatos foram concluídos.

Apesar da capa linda e do clima de romance que ela passa, a superficialidade da história, o machismo de Connor (leiam, tem horas que dá vontade de entrar o livro e bater na cara dele até aprender a tratar uma mulher de forma correta!) e falta de intensidade - alguns releases que li na época do lançamento prometiam um livro sexualmente forte - acabaram por deixar a leitura arrastada e esse foi simplesmente mais um livro lido, não teve nada que me marcou ou tirou o fôlego, infelizmente.

7 comentários:

  1. Oi Mays, que pena! Eu não li ainda, mas tenho a série na minha lista. Pelo menos não vou com tanta sede ao pote.
    Tenho certeza que vou querer bater no Connor por conta do machismo excessivo dele.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Eu to querendo livros que fujam de NA ou YA... ando meio cansada desses dramalhões adolescentes. Apesar de achar que vem dramalhão nesse tbm, fiquei curiosa pra saber da grande tragédia pessoal de Black pra ele se encontrar no fundo do poço.

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Tenho que concordar que esse estilo de livro é bem clichê, depois de cinquenta tons surgiram milhares deles, e eu já to meio de saco cheio. Gosto de cinquenta tons, mas parece que os outros não tem criatividade, querem entrar na onda. Que pena que você não gostou, acho irritante ler um livro e não gostar, parece que perdi meu tempo...

    ResponderExcluir
  4. Já vi muita resenha como essa por aí e me tirou toda curiosidade pra ler o livro. Não é um tipo que gosto mais e ainda por cima parece muito superficial e irritante...
    Mas também vi elogios para o 2 e 3, então talvez seja o começo que é incômodo. Não pretendo ler, mas boa sorte se for tentar ler os outros e que goste mais =)

    ResponderExcluir
  5. Nunca senti vontade de ler essa triologia, e agora sei que meu subconsciente tomou a decisão certa. Não gosto de histórias superficias, ainda mais com paixões instantâneas. E realmente, quem é a pessoa que leva um bêbado desconhecido para casa? Só em livro mesmo! E essa autora já perdeu pontos comigo só pelo fato do Connor ser machista! Enfim, ainda bem que não li! Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Pela resenha deu pra perceber que se trata de mais um "genérico" de 50 tons. Por mim tudo bem ser clichê, mas que ter a tal da intensidade que você sentiu falta.

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Gostei da sua sinceridade em relação ao livro.
    Eu particularmente amei essa série, funcionou muito bem para mim, li em inglês a alguns anos atrás e me apaixonei, apesar de ser bem clichê, foi uma leitura muito agradável.
    Bom Dia.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo