Prazeres da Noite (Dream Guardians #01) - Sylvia Day

01 abril, 2016


No limiar entre o sono e a consciência, uma batalha se trava entre o sonho e o pior pesadelo. Capitão Aidan Cross é uma lenda, tão hábil em criar sonhos eróticos quanto em matar seus inimigos. As mulheres o veem como parte de suas fantasias... Exceto Lyssa Bates. Esquisita, enigmática e desejável, Lyssa desdenha deste sedutor imoral, porque ela o vê como ele realmente é. E, enquanto ele tenta desvendar seus segredos, o impensável acontece: Aidan se apaixona.
Lyssa tem tido os sonhos mais incríveis com esse homem de olhos azuis que promete prazeres intensos e profunda intimidade. Até que ele aparece em sua porta. Mas na sua rendição, há também um grande perigo...
Aidan está em uma missão e a paixão que os consome poderá ter consequências terríveis. Amar a mulher que veio para destruir o seu mundo não é só apenas impossível... é proibido.



Sylvia Day leva seus leitores a um mundo diferente, o do subconsciente.
Quando uma pessoa dorme, fica submissa aos devaneios (e desejos) de seu subconsciente, oportunidade perfeita para os pesadelos atacarem. Para que isso não aconteça, há um grupo de guardiões de elite no Crepúsculo - mundo "paralelo" em que os guardiões vivem - que lutam justamente para espantar os pesadelos e garantir que os seres humanos tenham uma vida plena sem pesadelos.
Um trabalho dos sonhos, literalmente, rechear os sonhos das mulheres com fantasias eróticas, assumindo a imagem que a sonhadora desejar, e, no meio tempo, um pouco de luta contra pesadelos para dar uma ação à vida. Essa é a vida de Aidan Cross, mas depois de tantos anos fazendo isso - os guardiões são imortais - ele começa a questionar alguns dos preceitos que os anciões lhes passam, principalmente em relação a busca incansável pela Chave, alguém que, segundo os anciões, é capaz de libertar os pesadelos no mundo e, por isso, tem que ser destruída.
A mais recente missão de Aidan é entrar nos sonhos de uma mulher, algo que até então nenhum dos outros guardiões conseguira fazer. Quando ele atravessa a porta que ela tão duramente estabeleceu, Aidan se depara com uma mulher que lhe tira o fôlego. O nome dela é Lissa, ela é veterinária e desde criança têm problemas para dormir, porque ela sempre teve problemas para controlar os próprios sonhos e acabava presa em um lugar escuro.
Com a ajuda de Aidan, Lissa é capaz de realmente sonhar, e, para surpresa dele, ela é capaz de vê-lo. Não o imagina como alguém muito bonito, como o paquera ou alguém famoso, Lissa é capaz de ver a real identidade de Ainda, e isso desperta um alerta. Sem saber ela é poderosa, é capaz de manter os guardiões longe, controlar seus sonhos e ver a identidade verdadeira de um guardião... Entre eles surge um sentimento que Aidan nunca pensou que sentiria, um amor avassalador que o faz colocar tudo em prova quando se trata de poder ficar com Lissa.

Apesar de parecer uma temática um pouco fantasiosa demais, Sylvia Day conseguiu criar um ambiente único nessa história, com características próprias e originais. O Crepúsculo, onde vivem os guardiões, é um universo alternativo que parece existir mesmo, e a luta de guardiões contra pesadelos é interessante, como forma de vencer o mal através dos sonhos.
Mas confesso que foi por se tratar de um romance erótico que comecei a ler esse livro, e nesse quesito me desapontou um pouco. Já conheço outras histórias da autora e tinha noção de como ela é capaz de criar cenas sensuais e descrever o ato sem baixarias ou vulgaridade - justamente por isso quis conhecer outras obras dela - mas ao mesmo tempo que a ideia de uma história que envolve sonhos ser interessante, encher de cenas sexuais os sonhos ficou muito forçado.
Basicamente a descrição inicial de Aidan é de que alguém que faz sexo várias vezes por dia, nos sonhos de diferentes pessoas, e se satisfaz assim. Que muita gente sonha com sexo, ok, mas todos os guardiões parecem seguir o mesmo caminho, como se entrassem nos sonhos só para isso, e acabou estragando a história para mim.
As cenas são bem construídas, o final é bem elaborado de forma a deixar o leitor curioso pelo que acontece no livro seguinte, mas muitas cenas de sexo foram desnecessárias - ao invés de explicar a origem dos guardiões, do Crepúsculo ou mesmo dos pesadelos, a autora optou por incluir muitas cenas de sexo e preencher páginas a toa.
Acabou por ser uma leitura que despertou amor e ódio. Como fantasia já não é o meu gênero preferido e houveram essas cenas que não precisavam estar ali, conclui a leitura um pouco decepcionada com o que encontrei.

- Você a esqueceria, se pudesse?
- Não - Aidan sorriu pesarosamente. - É melhor ter amado e perdido do que nunca ter amado.

9 comentários:

  1. Este da Sylvia eu não li ainda, mas tenho interesse. Uma pena que esta parte ligada ao gênero fantasia te decepcionaram.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Que mistura estranha a autora fez nesse livro! Apesar de não curtir livros eróticos, achei interessante a premissa.

    ResponderExcluir
  3. A premissa do livro chamou bastante a minha atenção, além de ser muito criativa, já que ainda não vi nenhum outro livro em que o enrendo se desenrola no subconsciente das pessoas. Confesso que não gosto quando os autores enchem as páginas com cenas de sexo e esquecem de focar no resto da história, isso acaba se tornado chato e faz com que, na maioria das vezes, eu acabe abandonando a leitura. E só pelo fato de haver isso nesse livro já me deixou com um pé atrás.
    No geral parece ser um bom livro, mas ainda não sei se vou lê-lo. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Livros dela já me chamaram atenção quando deu aquela febre de eróticos no mercado. Mas nunca cheguei a gostar completamente das histórias da autora. Ela enfia cena de sexo pra comer página, faz uma coisas que são desnecessárias e todo livro que leio dela fico irritada com alguma coisa. Quando esse saiu já nem pensava em ler mais. A ideia foi boa, adorei a sinopse dele. Só que já sabia que irritação é o que mais teria com a obra da autora e pela ideia geral que tive é isso que o livro é em muitas partes. É de amor e ódio mesmo, tem que gostar do tipo de livro. Se algum dia tiver coragem ou curiosidade pra ler, leio. Mas não agora...

    ResponderExcluir
  5. Da Sylvia, só li os sobrenaturais e os de época e gostei bastante. Mas essa série venho protelando desde o lançamento por não ter curtido a sinopse. Isso de mundo dos sonhos acho bem cansativo.

    ResponderExcluir
  6. Ainda não tive a oportunidade de ler Silvia Day, pois não faz muito meu gosto o gênero de livros dela, mas gostei dela ter mudado um pouco e feito um livro meio para fantasia, minha chance de conferir alguma obra dela

    ResponderExcluir
  7. Confesso que livros da autora nunca me chamaram atenção e infelizmente não posso dizer que foi diferente com esse livro, gostei da sinopse e resenha mas o enredo não me atraiu.

    ResponderExcluir
  8. Oi...

    Eu gostei bastante da resenha, sou muito fã de livros de fantasia e fiquei muito curiosa a respeito dessa obra.
    Porém eu peguei trauma da escrita da Sylvia Day, essa leitura para mim no momento não funciona.
    Gostei muito da premissa do livro, essa coisa toda de guardião de sonhos me conquistou de primeira.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Nunca li nenhum livro da Sylvia, nao costumam ser do estilo que goste, mas esse parece ser diferente, nao hot, mas fantasioso e fiquei muito curiosa e com vontade! vou por na wishlist

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo