Nocaute - Anderson Fernandes e Débora Kaoru

29 março, 2016

Está em franca discussão no Congresso e principalmente no País, a possibilidade de redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos. Neste cenário, “Nocaute”, dos jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru, autores do livro “Entre Quatro Poderes”, conta a história de Antonio Silva, Pitbull, que ainda na infância enfrenta a morte dos pais e acaba sendo direcionado para um orfanado e após alguns crimes, para uma unidade de internação de menores. Neste local, o menino conhece o casal Marcos e Claudia, que o ensinam o sentindo da vida, por meio da educação e do esporte.
Após enfrentar muitos desafios, Pitbull, um menino pobre e sem perspectiva alguma de vida, consegue se tornar campeão mundial de UFC. Além da redução da maioridade penal, o livro debate diversos outros temas, como ECA, suicídio, importância da leitura, uma doença rara chamada Machado Joseph, e principalmente a importância de seguir em frente, mesmo frente aos diversos problemas que aparecem durante a vida.



No ano de 2015 uma das maiores discussões já vistas no Congresso brasileiro gira em torno da redução da maioridade penal, com defensores fincados em seus argumentos de cada lado - tanto para reduzir quanto para manter a idade atual - e com o tema tão em destaque os jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru resolveram trazer o tema para a sua obra, contando a história de Antonio Silva.
Como plano de fundo inicial uma favela em São Paulo, Thais, uma adolescente grávida de Jonas, um dos líderes do tráfico na favela, quando o bebê vem ao mundo a mãe não resiste ao parto - e esse é só o início de uma vida de sofrimentos para Antonio Silva. Seu pai logo após é assassinado e os avós maternos, que culpam Jonas por ter engravidado sua filha e a "matado" não suportam ficar por perto, assim o bebê vai parar nos braços de Claudemir, um tio por parte paterna... até que quando Antonio tem cinco anos de idade seu tio, que era policial, também é assassinado e não lhe resta outro destino que não seja o orfanato.
Por já ser uma criança crescida (todos que procuram adotar buscam um bebezinho) e de raça negra, Antonio está longe de ser um dos preferidos para a adoção, somado ao seu temperamento forte e a descrença de que será bem cuidado, o menino cresce na base do medo e da intimidação. Logo criança ele percebe que no orfanato "sobrevive" o mais forte, e destemido como é, Antonio começa a usar a força para se proteger, logo o menino magrinho da favela se torna respeitado pelas outras crianças, que inclusive lhe dão o apelido de Pitbull.
As brigas são apenas o primeiro passo na vida dura desse menino, depois do orfanato a vida nas ruas se mostra ainda mais cruel conforme adolescentes e adultos usam a ele e a outros meninos na cracolândia. E justo quando Pitbull acredita que pode sair dali, uma emboscada complica ainda mais a sua situação.
Mandado para um reformatório, Pitbull conhece Clara, uma professora que tem como missão ajudar jovens a se recuperarem e serem inseridos novamente na sociedade, a princípio Pitbull - já tão desiludido com a vida - não acredita nas palavras de Clara e de seu marido, se mostra arredio e descontente, mas, aos poucos, a sementinha da esperança é plantada e o faz acreditar (e desejar) um futuro melhor quando sair do reformatório ao completar a maior idade.

Eu já conhecia a escrita dos autores pela obra Entre Quatro Poderes, mas além de saber que seria um texto bem construído, o que me chamou a atenção foi justamente o tema. As prateleiras das livrarias a fora estão lotadas de livros mas poucos tocam em um tema tão real e pulsante no Brasil nesse momento; fugindo dos aspectos técnicos que envolvem a redução da maioridade penal, os autores criaram um enredo que demonstra a realidade de muitas crianças no Brasil: a discriminação pela raça, pela cor, pela condição financeira, a rejeição em relação a adoção e, principalmente, o medo quando algum casal parece demonstrar um interesse, afinal nunca foi bem tratado por que seria agora?
Em alguns momentos é de apertar o coração justamente por retratar tão fielmente a história de Pitbull - que representa milhares de crianças do nosso país.
Uma escrita direta e bem estruturada, um tema polêmico e a realidade contida em cada página desse livro tornaram a história palpável e muito atraente do início ao fim. A diagramação foi bem cuidada, a revisão também está impecável... a edição mencionada nessa resenha é a lançada em 2015 pela Editora Buriti, porém este ano o livro está sendo relançado pela Editora Publicar e confio que manterá o mesmo padrão para oferecer um livro nacional de muita qualidade aos leitores desse país afora.

"Em uma sociedade marcada pela extrema desigualdade social, as populações pobres e negras são as mais vulneráveis às violações de direitos humanos, sendo que as mais graves violações se dão justamente na infância e adolescência e que resultam em que resultam em consequências muitas vezes irreversíveis."

9 comentários:

  1. Excelente abordagem para ser tratada num livro! Fiquei com muita vontade de ler.

    ResponderExcluir
  2. Parece um livro muito bom e sem muita enrolação, a escrita é bem direta e fácil de ler. O tema é mesmo forte, só por isso já deu uma curiosidade pra ler. Vale a pena pelo jeito.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha. Costumo dizer que é um livro para provocar debate e reflexão. Se as pessoas estão procurando distração, melhor realmente ler outra publicação.

    Quanto ao livro, depois de enfrentar muitos desafios, Pitbull, um menino pobre e sem perspectiva alguma de vida, consegue se tornar campeão mundial de UFC. Além da redução da maioridade penal, o livro debate outros temas, como o ECA, suicídio, importância da leitura, uma doença rara chamada Machado Joseph e principalmente a importância de buscar a superação frente aos problemas cotidianos.

    Em uma sociedade marcada pela extrema desigualdade social, as populações pobres e negras são as mais vulneráveis às violações de direitos humanos, sendo que as mais graves violações se dão justamente na infância e adolescência e que resultam em consequências muitas vezes irreversíveis. Mesmo sendo um romance, apresentamos o debate desta situação no livro.

    Acrescento ainda que o livro também passa mensagens positivas. Apesar de trazer a discussão da maioridade penal, nosso livro aborda diversos outros assuntos e acredito que um dos principais seja como buscar a superação frente aos problemas cotidianos. O desafio foi tentar transmitir a mensagem de que as pessoas devem se manter fiéis ao que realmente acreditam.

    Portanto, muito obrigado pelo interesse e pela parceria. Seguimos à disposição. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Anderson Fernandes e Débora Kaoru são fantásticos. Fizeram um ótimo trabalho em “Entre Quatro Poderes” e acredito que com "Nocaute" a qualidade do trabalho deva ser a mesma. Livros com temas atuais, que obriguem as pessoas a pensarem.

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Estou com o livro Entre Quatro Poderes, e gostei muito da resenha desse livro achei bem interessante como o Anderson Fernandes e Débora Kaoru abordam esse tema tão importante, através da historia do Antonio que acaba nos fazendo refletir !!

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nenhum livro que abordasse esse tema e por isso fiquei interessada em ler e entender um pouco mais do assunto, tenho o livro Entre Quatro Poderes e pretendo fazer a leitura do livro.

    ResponderExcluir
  7. Nossa!
    Quanto sofrimento passou Pittbull...
    Deve ser um livro bem interessante porque aborda assunto que devem ser debatidos.
    “Para ganhar conhecimento, adicione coisas todos os dias. Para ganhar sabedoria, elimine coisas todos os dias.” (Lao-Tsé)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista especial de aniversário em abril: com 6 livros 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. O livro parece ser bem interessante uma vez que aborda vários temas!! São assuntos atuais, e que servem para informar, e de repente orientar os leitores!! Já quero ler!!

    ResponderExcluir
  9. A capa é muito boa e a premissa é bem interessante, tem coisas que devem ser difundidas e abordadas, temos que parar e refletir. O bom é que o livro não parece enfadonho e tem um ritmo bom, to bem curiosa pra ler!

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo