A Máquina de Contar Histórias - Maurício Gomyde

08 janeiro, 2016




Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V.
Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.





Vinícius Becker alcançou o auge em sua carreira, apaixonado pela escrita lançou diversos livros que o tornaram um autor best-seller; seus romances contém histórias perfeitamente delineadas, moderadas na maneira certa para cativar a atenção dos leitores e unir fãs. De fora, sua vida profissional pode ser descrita como perfeita, em compensação a vida pessoal vai de mal a pior. A princípio ele dividia o tempo entre a escrita e a família V, sua família composta pela esposa Viviana e as filhas Vida e Valentina, mas após o nascimento da mais nova Viviana foi diagnosticada com leucemia, e apesar de amar todas as três incondicionalmente, Vinícius está tão mergulhado na própria carreira, nos eventos e na escrita, que acaba por deixá-las de lado. É assim que na noite de lançamento de seu mais recente livro, sua esposa falece sozinha em um quarto de hospital – quando ele deveria estar lá com ela.
A ausência da esposa o joga de volta em casa para lidar com as filhas Valentina, de 16 anos, e Vida, de 4 anos, e tudo se torna um baque ainda maior. Viviana lutou contra a leucemia por cinco anos, e mesmo nos seus piores momentos soube como lidar com as filhas, enquanto que ele parece um completo estranho nessa família e só depois da tragédia é que ele se dá conta de todo tempo que perdeu.
Para tentar se reconectar com as filhas, Vinícius tenta fazer o que pode, mas não é fácil, Vida, apesar de ser mais fácil de lidar por ainda ser pequena, está muito fragilizada pela morte da mãe, enquanto Valentina, no auge da adolescência depois de ter sofrido por anos com a ausência do pai, impõe a regra do silêncio, decidida a ignorá-lo. Em busca de um caminho a seguir, Vinícius acaba por encontrar um vídeo gravado por sua falecida esposa no qual ela conta seus últimos desejos.
Esse era o impulso final que ele precisava para se empenhar ainda mais em reunir a sua família, logo planeja uma viagem e, por mais difícil que seja, parece ser a sua última oportunidade de demonstrar as filhas o quanto as ama e, por fim, recuperar a sua família.

Pela sinopse eu já esperava uma história emocionante, porque apesar de soar corriqueira – um pai de família vidrado no trabalho – acaba não sendo um tema muito explorado na ficção, nunca o problema é só esse, por isso tinha grandes expectativas para o livro, e elas foram correspondidas.

No início da história algumas partes me pareceram mecânicas, não tão fluídas, mas ao pegar o ritmo de escrita do autor a leitura melhorou bastante e deslanchou, ainda mais sendo um livro tão curtinho (não tem nem 200 páginas!) foi devorado num piscar de olhos.

Foi o primeiro trabalho que tive a oportunidade de ler do Maurício Gomyde, mas sua sensibilidade e emoção no enredo soube me tocar profundamente. Cada personagem possui a sua história e o seu carisma, Valentina, por exemplo, apesar de ser um pouco difícil de lidar, age assim porque sente falta do pai, Vida, por outro lado, adoça e encanta a história com sua ingenuidade infantil. Um trabalho muito bem desenvolvido, uma leitura rápida, mas marcante.


"- A gente não aprende lendo, aprende vivendo. E a vida, por mais que uma quantidade enorme de pessoas acredite nisso, não é feita de métodos, fórmulas, dicas ou listas de recomendações. Ela é feita de sentimentos pelas pessoas que estão ao lado, ou por aquelas que estão longe, mas que, só por pensarem na gente, já fazem toda a diferença."



9 comentários:

  1. Gostei do enredo, bem interessante um escritor criar um personagem que também é escritor. Parece ser bem emocionante mesmo, e pela citação deu pra perceber que a escrita dele é boa.

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvidas a trama de A Máquina de Contar Histórias possui todos os aspectos para conquistar o leitor. Eu, particularmente, gosto bastante de dramas familiares retratados em histórias e este livro parece ser o perfeito.

    ResponderExcluir
  3. A Máquina de Contar Histórias é um livro que está em minha lista de desejados há muito. Entretanto, não o comprei ainda por motivos de: procrastinação. Essa história de um escritor com desligamento de sua própria família e o combate com as dificuldades é sensacional.

    ResponderExcluir
  4. Maurício Gomyde é isso, histórias lindas, emocionantes, personagens cativantes, frases de efeitos... enfim, fico super feliz quando vejo mais e mais pessoas prestigiando este ótimo autor!

    ResponderExcluir
  5. O Maurício Gomyde me conquistou com o livro Surpreendente!, não sabia que havia outro do mesmo autor. Foi assim que, lendo essa resenha, encontrei A Máquina de Contar História, há histórias melhores do que com protagonistas escritores? Sem contar que os problemas pessoas e familiares são muito bem abordados e discutidos. Adorei.

    ResponderExcluir
  6. Amei que o protagonista é escritor etc, mas ai, parece muito triste, nao pretendo ler tao cedo, pra ser honesta. To precisando de coisas que me deixem mais pra cima, nao que me faça chorar mais haha
    A capa tá uma gracinha, amei a maquina de escrever <3
    To ouvindo falar bastante do outro livro dele, "Surpreendente!", quem sabe eu nao comece por ele?

    ResponderExcluir
  7. Confesso que no momento não tenho interesse em ler o livro mas gostei bastante da resenha e da para perceber que é um livro bem bacana.

    ResponderExcluir
  8. A historia me lembrou muito Tio Nicholas, mas gostei da trama me parece ser bem construida e os personagens serem bons, espero poder ler logo.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Já tinha visto esse livro mas ainda não tinha lido a resenha e gostei da historia, pensei que a historia fosse totalmente diferente, mas fiquei com vontade de ler !!

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo