Ligeiramente Casados (Os Bedwyns #01) - Mary Balogh

13 novembro, 2014

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
               Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.
               Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
               Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...
               Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. 
              
               O coronel lorde Aidan Bedwyn sempre foi um homem honrado e, como tal, cumpre suas promessas à risca. Isso é o que o leva até Ringwood em busca de Eve Morris para levar a palavra de seu irmão, o capitão Percival Morris que foi morto em combate e, segundos antes de sucumbir, fez um pedido a Ainda, pediu-lhe que fosse até sua irmã e a avisasse de sua morte e a protegesse de qualquer coisa a qualquer custo.
               Assim Aidan se viu diante de uma mulher solteira, bonita e de personalidade forte, porém com um coração enorme. Eve sempre pensa primeiro nos outros que em si mesma, e é por isso que quando o coronel lhe pergunta se há qualquer coisa que ele possa fazer por ela, ela omite que está prestes a perder sua fortuna e sua propriedade pois o testamento de seu pai deixava tudo para Percy, mas, com ele morto, é preciso que Eve se case antes do primeiro aniversário da morte de seu pai... o que acontecerá em menos de uma semana.
               Fiel à sua palavra, Aidan lhe propõe um casamento de conveniência. Com o casamento ela poderá manter suas posses e continuar a cuidar de todos que vivem com ela, enquanto Aidan regressará a sua tropa militar como se nada houvesse passado.
               Mas quando a família de Aidan descobre sobre o casamento, seu irmão, o duque de Bewcastle, exige que as apresentações sejam feitas, Eve deve ser levada até a rainha, deve ser conhecida pela sociedade londrina e vestir-se de acordo com a posição que agora ocupa, pois, ainda que Aidan não possua um título, é o herdeiro direto de Bewcastle.
               O casamento que deveria durar poucos dias logo dura semanas e, de repente, Aidan se vê atraído pela vida de Eve, pelas crianças órfãs que ela adotou e por todos os fiéis empregados, a ponto de se perguntar como seria levar esse casamento a sério e não apenas mantê-lo de conveniência.

               Esse é o primeiro livro da série Os Bedwyns e a nova aposta dos romances históricos da editora Arqueiro e trás um enredo diferente dos outros publicados pela editora. Quando nos outros o marcante é a família, quando se trata de Aidan Bedwyn isso fica a parte, ainda que ame incondicionalmente seus irmãos, alguns acontecimentos anos atrás fizeram com que se mantivesse afastado desejando por distância. Já Eve é uma heroína marcante, com um coração enorme que acolhe a todas as pessoas que os outros renegaram, foi assim que acabou como mãe adotiva de dois pequenos órfãos e essa é uma das suas características mais marcantes.

               A beleza está no desenrolar da história, na forma como mesmo tendo um casamento de conveniência ambos estão dispostos a ceder um pelo outro e, principalmente, proteger um ao outro. Ainda que o fim seja previsível, como todo romance, a forma como o enredo foi abordado pela autora tornou a história atraente e cativante até a última página!


6 comentários:

  1. Eu já li e amei esse livro! Apesar de ter percebido algumas características que são comuns a todos os romances históricos achei que o diferencial desse está em como a autora aborda a história e nos próprios personagens! A frieza dos Bedwyn, a aparente arrogância e tudo mais foi um diferencial que não costumo ver em romances históricos (pelo menos não nos que eu li). Gostei muito do desenrolar todo da história, em como eles se conhecem e vão desenvolvendo o amor, que não surge de cara né. Amei mesmo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Não tem jeito, o livro é um clichê, tem um enredo batido, mas, mesmo assim, é lindo. Fiquei apaixonada pela capa e pela sinopse e a história não decepcionou. E é exatamente o que vc disse... percebe-se que há carinho, que há boa vontade em fazer com que tudo dê certo entre eles. Lindo!

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    A Arqueiro está nessa fase de romances de época, né?
    Te falar que não li nenhum dos que ela lançou, mas tenho grande curiosidade de ler. Ligeiramente casados deve ser uma leitura muito gostosa. Sabe uma coisa que me agrada muito nesses romances? A descrição das roupas e festas. (Li Perdida da Carina Rissi e li Outlander esses dias que acho que se enquadram nesse gênero, ahhh tem As peças infernais da Cassaandra que sou apaixonada.)
    Voltando, espero em breve ler esse livro e ficar ansiosa pelos próximos. Quero conhecer mais de Aidan e Eve.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Eu estou gostando muito desses romances de época que a arqueiro está lançando. Estou doida pra ler esse livro, ele parece ser muito bom. A história realmente parece ser previsível, mas eu acho que vou gostar mesmo assim. E os personagens parecem ser bem construídos, já até gostei da Eve *u*
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Tenho lido muitas resenhas positivas em relação aos romances de época da Arqueiro. O que achei legal nesse foi que ele fugiu um pouco dos "lugar comum" dos outros. Como você disse, aqui as personagens não têm uma estrutura familiar bem forte, como nos outros. Acho que vale a pena dar uma conferida nele.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  6. Apesar de adorar romances, os de época não me atraem muito.
    Já sei que estou perdendo uma super leitura, espero passar dessa fase e dar uma chance!

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo