150 Dias de Chile - Museo de la Memoria y los Derechos Humanos

29 novembro, 2014





















Apesar de estar no Chile desde agosto, a gente tem o costume de não conhecer direito o lugar onde estamos quando a estadia é longa, por isso nesse tempo todo que estou aqui, ainda falta conhecer muita coisa! Para tirar o atraso, agora que as aulas chegaram ao fim, estou indo aos lugares que deveria ter conhecido já no início.
Um desses lugares é o Museo de la Memoria y los Derechos Humanos!



O Museo de la Memoria y los Derechos Humanos é um museu chileno, localizado em Santiago, dedicado a homenagear as vítimas das violações aos direitos humanos durante a ditadura militar de Augusto Pinochet entre 1973 e 1990.
O museu foi inaugurado pela presidente Michelle Bachelet, em 11 de janeiro de 2010, como um dos marcos das obras governamentais que celebraram o bicentenário de Chile. O museu conta com três pisos no qual se encontram exibidos diversos artigos relativos ao tema, incluindo documentos governamentais, jornais e revistas, panfletos, cartas, cartazes e fotografias. No percurso há painéis audiovisuais com partes retiradas de documentários e gravações da época que permitem ambientar o que aconteceu.
O museu conta, ademais, com um centro de documentação, uma biblioteca digital e uma área para realização de atividades culturais.




A ideia do museu é retratar o que aconteceu em 11 de setembro de 1973, quando os militares tomaram o poder no Chile, e trás imagens, vídeos, documentários, áudios e objetos que retratam o que os chilenos sofreram por mais de quinze anos.
Golpe de Estado de 11 de Setembro, ocorrido no Chile em 1973, consistiu na derrubada do regime democrático constitucional do Chile, e de seu presidente Salvador Allende, tendo sido articulado conjuntamente por oficiais sediciosos da marinha e do exército chileno, com apoio militar e financeiro do governo dos Estados Unidos e da CIA, bem como de organizações terroristas chilenas, como a Patria y Libertad, de tendências nacionalistas-neofascitas, tendo sido encabeçado pelo general Augusto Pinochet, que se proclamou presidente.
Mas não para por ai, o museu explora a violação aos direitos humanos ocorrida em todo o mundo, e nesses quadrinhos conta sobre quando houve a violação e as medidas tomadas pelo país. O principal é a formação de uma comissão da verdade que revele quem agiu e o que fez para violar esses direitos. A do Brasil, infelizmente, só foi iniciada em 2012 e busca apurar as violações ocorridas de 18 de setembro de 1946 a 5 de outubro de 1988.


Essas fotos eu busquei na internet porque, infelizmente, não se pode fotografar dentro do museu. Digo infelizmente porque a exposição é realmente boa, apesar de eu ter ficado um pouco confusa com o que aconteceu e quando (o dia 11 de setembro está claro, mas alguns protestos e passeatas que aconteceram depois ficaram um pouco confuso de quando [que ano] exatamente aconteceu). O discurso do presidente Allende, que era o presidente no dia em que o golpe ocorreu e que se suicidou para não renunciar, é emocionante e tudo dentro do museu te faz ter uma boa noção do terror que tomou conta do Chile nessa época.
A ideia desse museu para mim é brilhante, porque é muito importante que todos conheçam a história do seu país, por isso voto por um desses no Brasil, afinal nasci em 1992 e não tenho a menor ideia de tudo que se passou quando os militares tomaram o poder aqui, tenho só o conhecimento básico passado na escola.




E como busca honrar os direitos humanos, a frente do museu trás esculpida todos os 30 presentes na Declaração de Direitos Humanos








Então mesmo que as notícias sobre bombas tenham assustado vocês, não deixem de vir para cá, ainda mais se você gosta muito de festas!
No fim de semana conto mais!
Beijooos :*

7 comentários:

  1. Oie,

    Sempre que eu vou a alguma cidade eu deixo tudo pra última hora, pelo que entendendo você fez a mesma coisa. Mas bem melhor fazer as visitas depois que não tem mais preocupações com os estudos.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, é bem interessante mesmo, pra conhecer a história do país né. Sempre que viajo adoro conhecer os museus também, acho uma parte essencial pra quem quer conhecer o local pra que viajou né.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Nossa, o museu é muito lindo! E achei a ideia dele realmente brilhante. Eu sou apaixonada por museus, e com certeza se eu for pro Chile alguma vez, vou visitar esse museu :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro incluir lugares como este quando crio os roteiros das minhas viagens!
    Adorei conhecer um pouco mais e conferir as suas fotos deste lugar incrível!

    ResponderExcluir
  5. Muito legal um Museu que trás a história do oprimido. Sempre nas exposições, só vemos os "heróis", enquanto os outro são postos de lado.
    E concordo com você sobre não comhecermos bem o lugar onde passamos muito tempo.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  6. Esta é uma das colunas que mais gosto e, graças a vc, já me decide: em minha próxima viagem vou para o México.
    É um lugar lindíssimo e cheio de histórias.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei encantada com as fotos do museu. Adorei!
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo