Para Onde Ela Foi (Se Eu Ficar #02) - Gayle Forman

23 outubro, 2014

ATENÇÃO! Contém spoiler do primeiro livro da duologia Se Eu Ficar, confira a resenha aqui.



A ESPERADA CONTINUAÇÃO DE SE EU FICAR.
               “Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos – não em milhas, não em continentes, não em anos –, e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado.” Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chama do amor que renasce.

              




               No livro Se Eu Ficar acompanhamos a narrativa de Mia Hall depois que sua família sofreu um acidente, no fim ela foi a única sobrevivente e, ainda assim, encontrava-se entre a vida e a morte, cabendo a ela decidir que caminho seguir. Mas quando sua decisão foi tomada, quando decidiu viver, foi por Adam, pelo seu grande amor que lhe implorou que ficasse, que pôs para tocar sua música preferida e prometeu ser quem ela precisasse que ele fosse, desde que ela ficasse viva.
               Com um final desses, todo fã criou sua própria continuação, sua versão do felizes para sempre que Adam e Mia tiveram juntos, que mesmo que envolvesse muito drama e muitos desafios durante a recuperação dela, não havia um fim diferente: eles ficariam juntos para sempre, afinal o amor retratado na história era profundo e intenso, não eram apenas dois adolescentes tolos que pensavam que estavam apaixonados. Eles de fato estavam.
               Mas, por algum motivo, não foi o bastante.
               Adam permaneceu junto a Mia durante toda a recuperação dela, ajudou-a e lhe deu suporte toda e cada vez que ela precisou, mas quando Mia estava recuperada o suficiente para ir a Julliard, tudo entre eles mudou. De repente as conversas foram ficando mais curtas e com mais intervalo de tempo entre elas, e ainda que Adam tentasse alcançá-la em horários diferentes só para ouvir sua voz, a Mia, a sua Mia, não estava mais ali. E logo não existia mais um nós.
               Isso partiu seu coração, isso destruiu sua vida e mudou o rumo de tudo. Tanta dor, tanta frustração contida deram lugar a uma personalidade de Adam que ele tampouco conhecida, e, ironicamente, Mia finalmente o fez escrever uma música. Uma não, várias músicas que deram origem a um álbum pesado que fez a banda Shooting Star deslanchar.
               Agora, três anos depois do acidente que mudou a vida deles, Adam nos conta sua história e ele não passa de um fantasma do rapaz que foi um dia. Pílulas para dormir, para ansiedade, para o que quer que seja; cigarro, vários em um dia; cerveja, várias também. Cada dia é um desafio, levantar-se e seguir adiante é um desafio e ele sente que está por um fio, não que queira se matar, mas não suporta mais a vida que leva. Namorada famosa, problemas na banda, muito sucesso e nenhuma privacidade, e, como cereja do bolo, ele ainda sente sua falta a cada maldito dia.
               É em uma sexta-feira 13 que a sorte muda. Superticioso, Adam se nega a entrar em um avião nesse dia, e fica para trás para embarcar no dia seguinte e encontrar a banda em Londres. Depois de problemas com uma jornalista, Adam consegue o resto do dia de volta e seus pés, sem que se dê conta, o levam até Mia. Ela está fazendo uma grande apresentação, e como autopenitência ele precisa ouvi-la mais uma vez.
               Famoso como é, Adam não passaria despercebido mesmo em um ambiente em que o público é fã de música clássica. Mia sabe da sua presença e o chama até os bastidores, e para Adam é como um sonho, simplesmente surreal voltar a vê-la pessoalmente, ouvi-la de perto, privilégios que lhe foram tirados sem que ele soubesse o porquê.
               Esse encontro dá início a uma longa noite, mas também trás consigo o desfecho que eles esperam há anos, nenhum dos dois foi capaz de seguir cem por cento adiante, presos nos sentimentos do passado, nos porquês e nas incertezas, atados a seus próprios fantasmas. E ambos sabem que para seguirem em frente precisam passar por essa noite sem perderem a si mesmo.

               Quando leio qualquer livro sempre me questiono sobre o que vem depois, os personagens simplesmente deixam de existir, é claro, mas fica aquela interrogação no ar sobre como seria, se aquela história fosse real como seria o dia-a-dia, o romance permaneceria o mesmo? Com o livro Se Eu Ficar não foi diferente, com um fim dramático como o que ele tem não fica outra dúvida que não seja "e agora?", e para dirimir essa dúvida que tenho certeza que muitos leitores tiveram, a autora nos presenteou com a continuação, e que continuação.
               O primeiro livro teve sua beleza, sua trama girou entorno do que ainda restava a Mia, e se o que restava era suficiente para permiti-la ter uma boa vida. Ela perdeu os pais, perdeu o irmão, mas seus amigos e outros familiares ainda continuavam, nunca poderiam substituir quem ela perdeu, mas, de certa forma, eram uma família que estava ali para recebê-la. Ela ainda tinha a melhor amiga, e Adam, e ainda tinha a música. Sua escolha, que emocionou milhares de leitores em todo o mundo, foi ficar.
               Porém o grande desafio está retratado nesse livro - e talvez justamente por isso esse livro tenha me cativado muito mais -, sob o ponto de vista de Adam, que carrega consigo o peso da dor pelas horas em que achou que Mia morreria, pelo sofrimento dela e por todo o desafio de sua recuperação. Ele esteve lá para ela todo o tempo, para no fim ser deixado para trás.

               O romantismo do primeiro livro dão lugar a uma continuação raivosa, carregada de dúvidas e dor, de uma amargura que o torna ainda mais intenso. Apesar de se passar em um dia, apesar de ser um livro curto e apesar de querer ainda mais desses personagens, é com esse livro que podemos entender tudo, e através das palavras é possível realmente sentir a dor de Adam, a sinceridade em suas palavras e o quão grande era o seu amor, e também a sua destruição.


10 comentários:

  1. Acredita que eu tenho esse livro, mas não tenho o primeiro? Estou ansiosíssima pra ler Se eu ficar, e poder me emocionar com a história dos dois como todo mundo vem se emocionando. Tenho um pé atrás com o livro exatamente pelo sucesso estrondoso que fez o o medo de me decepcionar, mas quero ler logo e ver com meus próprios olhos se é bom mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Ai gente, que tenso.Não pensei que Adam fosse sofrer tanto depois do final do volume anterior. Curiosa para conhecer este enredo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Esse livro parece bem carregado emocionalmente, bem mais do que o primeiro (o que me parece até difícil). Mas eu gostei bastante dessa vertente da história, mostrando o "coitado" do Adam e do que ele passou por conta da Mia.
    Espero ler o livro o quanto antes. Provavelmente também vou ficar mais cativada com ele do que com "Se eu ficar".
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Eu li Se eu ficar, e não gostei muito do livro. Mas pelo jeito esse livro é melhor que o primeiro. Pela sua resenha, parece que a Mia não está tão irritante. Eu também sempre quis saber como seria o "depois" dos livros, e acho que vou gostar desse livro por mostrar isso :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi. =/'

    Eu tenho que comentar em todas as resenhas pra participar o Top comentarista, mas eu confesso que não pude ler a sua resenha, eu quero pegar esse livro sem saber muito o que se passa nele e se eu lesse aqui eu ficaria meio que sabendo o que aconteceu. Outro dia em uma resenha fiquei sabendo que o livro inteiro se passa em 24 horas, e sempre tem uma coisinha ou outra na resenha. Mas depois volto aqui e leio e comento. Devo ler ele no começo do mês que vem.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Até mais.

    ResponderExcluir
  6. Bom, bom, bom, ainda não li o primeiro e acho que nem o lerei. Não sei, mas qdo as sinopses não me agradam prefiro as adaptações... o que vai ser o caso dessa série.

    ResponderExcluir
  7. Tbm gostei muito mais desse livro... Teve momentos que achei que o final fosse ser diferente pelo modo como a trama se desenvolveu... Mas gostei bastante do livro... Ainda não tive a oportunidade de ver o Filme do primeiro livro no cinema :/
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li o primeiro, mas estou com ele aqui em casa e pretendo começar logo. Não vou ler a resenha pois não quero estragar nenhuma surpresa do livro, mas assim que ler eu volto aqui e comento.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li o primeiro, mas fiquei com a sensação de que foi desnecessária esta divisão em dois livros. Acho que um só também seria uma opção válida. Espero estar errada e este não ser mais um exemplo que vi$e $ó os lucro$...

    ResponderExcluir
  10. Lerei ele assim que ler o primeiro =D
    Espero não me decepcionar e ser uma leitura boa.... e não uma continuação ruim =(
    Pela sinopse já da para perceber que o livro é bem intenso.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo