Eleanor e Park - Rainbow Rowell

26 junho, 2014

Eleanor e Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.


Tudo com esse livro é difícil, inclusive fazer a resenha, isso porque Eleanor e Park não é um romance qualquer, não é uma típica história de amor entre dois adolescentes, nem um mero drama, é uma história que carrega ambos e se faz única ao seu modo.
Eleanor é a mais velha de cinco irmãos, ela tem um cabelo ruivo indomável e um porte grande que ela define como gorda, somado as suas roupas um tanto masculinas e desajeitadas, é a personificação da garota estranha com quem ninguém quer conversar, e por que deveriam? É o que ela pensa, com sua mente bagunçada por uma família complicada, pai ausente, mãe submissa a um novo marido violento, muitos irmãos, pouco dinheiro. Nada lhe é permitido e, principalmente, nada vem fácil para Eleanor, depois de passar um ano fora de casa, parece que a sua volta não foi muito bem vista, e agora estando em um colégio novo tudo é mais difícil ainda.
Park é o único que se dispõe a abrir um espaço em seu assento para que ela possa se sentar, um gesto que vai ficar marcado, afinal ele não tem obrigação de fazer isso, ele poderia simplesmente entrar na onda do resto dos garotos (e garotas) no ônibus e ficar cochichando sobre seu cabelo ou suas roupas, mas não, ele foi gentil. Essa gentileza se deu não apenas pela educação de Park, mas porque, em parte, ele sabe o que é ser excluído. Os garotos não mexem tanto com ele, mas sendo baixinho e mestiço (metade americano metade coreano), as coisas não são tão fáceis para ele também.
A relação entre eles começa pela amizade. Todos os dias Park leva uma revista em quadrinhos para ler e isso desperta a atenção de Eleanor, que começa a ler junto com ele até ele passar a lhe emprestar as outras, assim, acompanhando a história dos X-Men e de Watchmen, o próximo passo é compartilhar música, Park tem uma lista infinita delas enquanto a Eleanor não é permitido ouvir nada, muito menos gastar pilhas com um walkman. É nos pequenos gestos que tudo cresce entre eles, é com as revistas, com as pilhas, com as fitas e até o walkman. De repente, os dois estão juntos e apaixonados.
Mas isso não é suficiente para afastar os cochichos no corredor, não transforma a família de Eleanor em uma família melhor, pelo contrário, faz surgir uma teia de mentiras entre eles enquanto ela segue com esse relacionamento escondido, que, de certa forma, está fadado desde o início.

Confesso que eu esperava sentir um pouco mais com a leitura desse livro, mas o que senti foi suficiente para me apegar a história. Eleanor e Park não é uma história igual as outras, é um pouco despretensiosa e vem tratar de temas que vão além do romance, como o bullying e a própria amizade, além dos relacionamentos familiares, enquanto Park tem pais amorosos e um teto seguro sobre sua cabeça, a vida de Eleanor é baseada na incerteza, não sabe até quando vai suportar a vida que leva, até quando sua mãe vai sobreviver a um marido violento, até quando eles vão ficar ali, naquela casa que é apertada demais para tantas pessoas; e isso faz de ambos personagens únicos.
Pela profundidade de sentimentos e emoções que permeiam os dois, a história acaba sendo uma leitura fluída, não tão leve, mas emotiva em alguns pontos. O enredo foi bem delineado do início ao fim, fazendo o leitor torcer por esse casal, por esse romance enquanto espera que tudo melhore na vida deles – e é a realidade do fim que torna a história ainda melhor.
Esse não é um conto de fadas, é uma história carregada de sentimentos que vem dar um choque de realidade, porque existe casais assim por aí, existe bullying e rejeição, existem famílias que não se amam e pais violentos.

Uma leitura que vale a pena, mas para qual você deve estar preparado porque não é nenhum mar de rosas.


9 comentários:

  1. Não gosto de ler livros assim, sempre acho que são reais demais e gosto de finais felizes, esse tipo de livro não combina comigo exatamente porque me faz sentir demais. Mas deve ser uma leitura muito interessante, tem um tema muito bom e pouco abordado nos livros.

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros assim, recentemente li um livro e ele não tinha emoção nenhuma, quando terminei o livro não senti absolutamente nada, então prefiro livro com uma certa carga emocional ...

    ResponderExcluir
  3. A capa é bem fofa, mas adorei saber que este não é um romance qualquer...os assuntos abordados são muito interessantes e o enredo parece cativar o leitor, junto com os personagens. Gostei muito da resenha, fiquei curiosa!

    ResponderExcluir
  4. Esse livro parece ter uma história muito boa mesmo. Adorei o fato de que aborda não apenas romance, mas também temas complicados como: relacionamento entre os pais, bullyng e principalmente a amizade. Fiquei bem curiosa pra ler.

    Bjok

    ResponderExcluir
  5. Gosto de livros que carregam uma alta dose de realidade como esse, o romance dos personagens começa em uma amizade e com o passar do tempo se intensifica, transformando-se em amor, Eleanor me parece uma garota insegura e também forte passando por vários problemas tendo em Park seus momentos felizes e seu porto seguro, farei a leitura para saber como termina essa história, já indo preparado para o vier e com grandes chances de gostar.

    ResponderExcluir
  6. Acho a capa desse livro bem fofa, mas pelo jeito a história não tem nada de fofa, né? Gostei do livro mostrar personagens mais próximos da realidade e fiquei muito curiosa em saber como termina o livro. Com certeza quero ler.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  7. "um porte grande que ela define como gorda, somado as suas roupas um tanto masculinas e desajeitadas" essa sou euzinha...kkk mas quanto aos outros problemas que Eleonor enfrenta, não tenho nenhum.
    Deve mesmo ser um livro bem interessante e próximo a realidade.
    Gostei da premissa.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Olá!! Estou com este livro na lista de desejados desde seu lançamento e por que li muitas resenhas positvas como a sua sobre o livro, creio que deva ser uma leitura super leve e agradável, mas ao mesmo tempo rica na sua mensagem! Beijos♥

    ResponderExcluir
  9. Um livro bem livro eu digo.... contudo bem bonita e pensativa, daquelas que faz você avaliar de como sua vida está. Adoro histórias assim, principalmente quando estou para "baixo".......
    Bjsss

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo