Uma Carta de Amor

15 abril, 2014

Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se envolveu seriamente com ninguém. Convencida pela chefe de que precisa de um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Durante a semana de folga, depois de terminar sua corrida matinal na praia, Theresa encontra uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro. 
Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim: “Minha adorada Catherine, sinto a sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos.” 
Comovida pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor, que assina apenas “Garrett”. Após uma incansável busca, durante a qual descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos, Theresa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte. Quando o conhece, ela descobre que há três anos Garrett chora por seu amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também.
Unidos pelo acaso, Theresa e Garrett estão prestes a viver uma história comovente que reflete nossa profunda esperança de encontrar alguém e sermos felizes para sempre.

Faz três anos que uma traição acabou com o casamento de Theresa e com toda a sua fé nos homens e no amor, durante esses três anos ela até tentou conhecer outras pessoas, mas o status de divorciada e o fato de ter um filho nunca ganharam do fator beleza – mesmo Theresa sendo estonteante – o que só lhe serviu para provar que não há homem que valha a pena... E esse pensamento perdura até Theresa finalmente decidir tirar férias com a sua chefe, elas vão passar alguns dias na praia e, em uma das manhãs depois de voltar de sua corrida matinal, uma garrafa presa na areia chama a atenção de Theresa, porque essa não é uma garrafa de bebida qualquer, é uma garrafa com uma mensagem dentro. Com a mensagem mais tocante que ela já leu na vida e que a faz chorar.
Convencida pela chefe, ela acaba por publicar em sua coluna no jornal o texto que encontrou, trocando os nomes para proteger a identidade do autor desconhecido, e, para sua surpresa, outras cartas aparecem e são tão apaixonadas e emocionantes quanto a primeira. Por isso Theresa se deixa convencer novamente: ela precisa descobrir quem é o misterioso homem que escreve essas cartas. Durante a busca seu fascínio por ele só aumenta, é como se esse Garrett tivesse surgido em seu caminho com o propósito de mostrar que homens podem ser bons e apaixonados e fieis, e isso aumenta ainda mais a sua vontade de conhecê-lo.
Acontece que Garrett trabalha e mora em uma cidadezinha litorânea na Carolina do Norte, e sofre por amor há tanto tempo quanto ela, a diferença é que Garrett perdeu a esposa em um acidente e ainda não conseguiu superar isso e seu amor por ela não foi abalado, o que o faz sofrer ainda mais.
Poucos minutos de convivência mostram muito em comum entre ambos, e a cada palavra Theresa percebe todas as qualidades de Garrett e se vê desejando que o tivesse conhecido antes... mas com o passar dos dias, ambos começam a perceber que talvez dar uma chance para o momento possa fazer a diferença.
Só que antes de se entregarem, ambos precisam lutar com seus demônios e fantasmas, para só então seguirem em frente.

Já tinha ouvido falar de que esse era um dos livros mais tocantes do Nicholas, e quem me disse tem razão! Os personagens foram bem construídos, Theresa com seu medo de se apaixonar e ser machucada novamente, Garrett fiel ao amor que sentia pela esposa, são ambos os personagens profundos e cativantes, a dor deles prende o leitor ao livro na esperança de ver a luz no fim do túnel.
O desenrolar da história mostra o crescimento de um sentimento entre eles, e de diversos conflitos cada um contra si próprio, as famosas lutas diárias que cada um enfrenta assim que abre os olhos, principalmente pelo medo de ser feliz, afinal aquele torpor já havia prendido ambos em uma rede que parecia sem fim.
As palavras de Nicholas se juntam para formar cartas profundas, cenas românticas em uma história que foge aos clichês e promete uma leitura inesquecível.

Quanto a diagramação, digo que está impecável, o livro foi todo bem cuidado e é uma felicidade que a Editora Arqueiro tenha relançado esse livro, porque sempre tive curiosidade em ler mas as edições aqui já estão esgotadas há anos.


9 comentários:

  1. Não tenho nenhum livro do Nicholas em minha coleção. Adorei a sua resenha e quero ler estas cartas também. Quem sabe num compro em breve este.

    Visite: Paradise Books /+/ Participe: Top comentarista

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Já li um livro do Nicholas Sparks e gostei. Confesso que não é um autor que sou fã ou que leria outros livros, mas a escrita dele é boa, só é um pouco "doce" demais pra mim. Das resenhas que já li sobre seus livros, esse enredo é o mais diferente que já li, os outros parecem que ele só trocou o nome das personagens, os romances são bem semelhantes. Fiquei sabendo que essa história tem uma adaptação, lembrei porque minha mãe adora o filme, embora sempre me diga que trata-se de uma história triste. Acho que daria uma chance para esse romance do Sparks.

    ResponderExcluir
  3. Não gosto muito de Nicholas Sparks porque sempre acho os livros previsíveis e melosos demais. Mas de vez em quando tenho um "momento meloso" e acabo lendo algum dele. É inevitável. Até hoje só li Um amor pra recordar, Diário de uma paixão e Um porto seguro. Gostei muito dos três.
    Acho que essa parece uma história muito tocante, mas (pelo menos comigo) tem que ter um momento certo pra ler. E atualmente não é o momento pra mim, rs.
    Isso não quer dizer que eu não vá ler, num futuro não tão distante pode ser que eu o leia. Gostei bastante da premissa do livro, e gosto de histórias onde o personagem evolui conforme o andar da carruagem. Acho que gostaria de ler esse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Não me interesso muito pelos livros do Nicholas Sparks, então não me interessei muito por esse.

    ResponderExcluir
  5. Que fofo!! Falta esse na minha coleção! Adoro Nicholas Sparks e ainda não li esse, mas fiquei encantada com a história. Parece ser realmente emocionante.

    ResponderExcluir
  6. Não importa se é livro novo ou antigo, Nicholas sempre consegue tirar grandes emoções de nossos corações. Lógico que alguns livros são mais rasos que os outros, mas todos são tocantes. Me lembro vagamente do filme, mas estou animada para ler este. Sempre preciso ter alguns Nicholas na minha estante.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nada deste autor, mas tenho muita vontade, sempre vejo muita gente elogiando. Este livro parece ser mesmo muito bom, parece ser mesmo um livro tocante e gostei do enredo e de saber que os personagens foram bem construídos. Parece ser mesmo uma ótima leitura, já está na minha lista! :)

    ResponderExcluir
  8. O único livro do Nicholas que li foi Querido John, gostei. Eu tenho até vontade de ler as outras obras dele, mas não são leituras prioritárias... Achei a história desse bonitinha e leria de boa, provavelmente, é o tipo de história pra chorar horrores.

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho o livro O casamento e não gostei nem um pouco. Muitos falam super bem das histórias dele, mas eu nem sequer consegui terminar o livro. Então, eu não tive mais nenhuma vontade de ler os livros dele.
    Acho que a sinopse dos livros na maioria das vezes são sempre de uma pessoa que perde sua fé no amor. A resenha é super legal, mas eu não conseguiria ler essa história sobre traição, perda e encontrar o amor novamente.

    Bjos.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo