Um Perfeito Cavalheiro (Os Bridgertons #03)

13 março, 2014

Confira as resenhas dos outros livros da série aqui!

          Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica. 

          Sophie sempre soube sua origem, apesar de nunca ter sido reconhecida. Filha de uma empregada que morreu cedo, ela foi criada pela avó até que a mesma não pôde mais assumi-la, entregando Sophie aos cuidados do conde de Penwood, quem a acolheu como sua pupila, tornando-se seu tutor, mas a verdade era clara: Sophie era a filha ilegítima do conde.
          O conde sempre a tratou muito bem, cuidou para que tivesse estudo e boas roupas, não lhe deixando faltar nada – exceto o amor paternal –, até ele se casar com a desprezível Araminta e levar ela e as duas filhas para morarem com eles. Araminta nunca escondeu seu desagrado em relação a Sophie, e por mais que pedisse ao conde para se livrar da menina, ele nunca o fez.
          Então quando o conde faleceu, ela mesma se empenhou em tornar a vida de Sophie miserável. De repente Sophie se viu ser transformada de pupila em empregada, e isso perdurou alguns anos. Apesar de infeliz, Sophie estava resignada de sua situação, mas um de seus poucos ressentimentos era por nunca ter ido a um baile da sociedade; com o passar dos anos ela passou a ajudar Araminta e as filhas a se arrumarem, consertou seus vestidos e sapatos, e sonhou acordada com o dia em que participaria de um.
          Até que esse dia chegou.
          Com a ajuda dos empregados da mansão, Sophie se fantasiou e colocou uma máscara para ir escondida ao baile de máscaras oferecido pela família Bridgerton, da qual ela só tinha conhecimento através das notas nos jornais pela escandalosa e misteriosa Lady Whistledown.
          A noite foi ainda melhor que nos sonhos de Sophie. Ela conheceu Benedict Bridgerton, dançou com ele e viveu uma vida inteira apenas nessa noite. A conversa que tiveram ficou gravada em sua mente, e ambos sentiram que era muito mais que atração, Benedict pôde ver nela todo o mistério de sua existência, muito além de sua beleza; enquanto ela soube ver que Benedict não era só mais um Bridgerton ou o número dois, como muitos se referem a ele. Foi o encontro mais intenso de suas vidas, mas quando soou as badaladas da meia-noite, Sophie teve de partir.
          Por dois anos Benedict não a tirou de seus pensamentos, buscou por toda a Londres e esperou que ela voltasse a aparecer... até o destino se encarregar de colocá-los na vida um do outro novamente. Por não tê-la visto sem a máscara, Benedict não a reconhece quando a salva de um bando de jovens bêbados, ele a acolhe e trata bem, mas continua a sonhar com a bela mulher de prata que conheceu no baile, sem saber que ela está bem ao seu lado.
          Com toda atenção, Benedict consegue que Sophie se torne empregada na casa de sua mãe, e antes que se dê conta do caminho que essa atenção segue, se vê cativo de Sophie. Mas ela é uma serviçal, jamais poderia se casar com ela, por isso propõe que ela seja sua amante.
          Incapaz de se sujeitar a ser amante, como sua mãe um dia foi, Sophie se vê com um coração partido... e Benedict também. Disposto a não deixá-la sair de sua vida, Benedict vai atrás de soluções para que possam ficar juntos e saciarem o desejo que só cresce entre eles... bem como o amor.

          Com uma impecável releitura de Cinderela, Um Perfeito Cavalheiro vem trazer novos ares a família Bridgerton, isso porque nesse livro temos um grande contato com o mundo dos serviçais, que são sempre importantes, mas acabam passando despercebidos nas histórias. Nesse livro, Sophie vive o dia a dia de uma serviçal que faz tudo para Araminta, e quando se muda para a casa da família Bridgerton, passa a auxiliar as irmãs mais novas de Benedict que ainda não se casaram, sendo tutora das meninas.
          O encanto da história ficou justamente nisso, no desenrolar de uma história que, a princípio, soa clichê, mas que a autora soube encher de peculiaridades e guiá-la tão bem para um desfecho que tenho certeza de que agrada a todos.
          O ritmo da leitura foi ainda mais ágil que os anteriores, pois o entrosamento entre os personagens foi sempre sendo postergado, o que causa um leve estado de ansiedade e prende o leitor no livro até o fim. Cada vez que parecia que Sophie ia contar quem era, algo acontecia, ou Benedict tinha certeza de que daria certo sua proposta, algo o fazia voltar atrás.
          Apesar da agilidade, o livro é emocionalmente mais carregado, principalmente por tudo que Sophie viveu, por sorte a família Bridgerton é sempre alegria pura para ajudar a descontrair e animar tudo. Por falar em família, nesse livro lady Bridgerton está ainda mais participativa e amorosa, sua dedicação aos filhos e a vê-los felizes é a mostra de como essa família é unida, o que acaba sendo bem tocante.
          A diagramação foi mantida no mesmo padrão dos livros anteriores, assim como a capa, que está formando uma coleção bem legal ao juntar os livros! As anedotas de lady Whistledown continuam trazendo diversão a história, bem como cada vez mais curiosidade em relação a identidade dessa mulher.

          Com uma escrita deliciosa, Julia Quinn manteve seus leitores cativos em mais essa história apaixonante!

11 comentários:

  1. Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum dos livros desta série,mas de qualquer forma li a resenha e estou encantada com esta historia..Creio que irei amar a leitura, e o mais breve possível pretendo ir adquirindo os livros e lendo ela!!
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  2. Oieeeee, sempre vejo resenhas dos livros da Julia e tenho uma curiosidade enorme de lê-los, mas tenho tantos livros sem ler em casa que comprando menos. Mas com certeza irei comprar a coleção Bridgertons. Adoro a Cinderela. *-*

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Livros de época são muito legais. Julia Quinn e sua coleção Os Bridgertons sempre bem falada pelos blogs. Cindela retratado no livro, deve ser ótimo. Se tiver a oportunidade irei ler.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Eu simplesmente amo livros de época, estou louca por essa série, mas ainda não tive a oportunidade de ler.
    Já ouvi falar muito da escrita da Julia e eu amo autores que sabem fazer um romance com uma pitada de humor sem se transformar em algo forçado... Uma amiga minha leu e me falou um pouco sobre ele eu simplesmente cai apaixonada por esse livro sem nem ao menos ter lido uma palavra se quer dele.
    Eu amo histórias de mocinhas que são maltratadas pela madrasta e no final acabam encontrando seu príncipe encantado é tão perfeito *suspira*

    Blog: http://worldbehindmywall.fanzoom.net/
    Twitter: @Blog_WBMW

    ResponderExcluir
  5. Não acredito que eu ainda não conheço esta autora! Cada resenha que leio dela fico com raiva de mim mesma.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Nunca me interessei por nenhum dos livros sobre está história. Muitas amigas minhas já leram os livros e disseram que são ótimos, eu até gosto do gênero do livro, mas a história deste não me convenceu.

    ResponderExcluir
  7. Eu só tenho o primeiro volume, mas ainda não o li =( Porém, pretendo.... gosto muito de históricos e esse com certeza me chamou a atenção e espero não me decepcionar =)

    ResponderExcluir
  8. Não acredito que ainda não li nada da Julia Quinn. Todas as resenhas que leio sobre seus livros são super positivas, o que só aumenta minha vontade de ler. Preciso corrigir isso já!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Nos últimos tempos, estão fazendo muitas releituras de contos de fadas. Em sua maioria, são bons. Só não esperava que um livro dessa série fosse dedicado a isso. Ainda não li nenhum romance histórico, mas sinto vontade de ler. Essa série tem muitos elogios, se houver oportunidade, darei uma chance a ela.

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito de releituras e esta parece ter ficado ótima. Tenho muita vontade de ler os livros desta série, adoro romances históricos e estes parecem muito bons. Fiquei curiosa para acompanhar o desenrolar, pois apesar de ser parecido com a estória da Cinderela, há muitas coisas diferentes. Espero poder ler em breve! :)
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Aaaah Julia Quinn, sempre me conquistando com seus romances. Ainda não li esse, mas se levarmos em consideração O duque e eu e O visconde que me amava tenho certeza que é muito bom e eu vou amar.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo