Trono de Vidro #01

21 janeiro, 2014

Depois de cumprir um ano de trabalhos forçados nas minas de sal de Endovier por seus crimes, Celaena Sardothien, 18 anos, é arrastada diante do príncipe. Príncipe Dorian lhe oferece a liberdade sob uma condição: ela deve atuar como seu campeão em um concurso para encontrar o novo assassino real. Seus adversários são ladrões e assassinos, guerreiros de todo o império, cada um patrocinado por um membro do conselho do rei. Se ela vencer seus adversários em uma série de etapas eliminatórias servirá no reino durante três anos e em seguida terá sua liberdade concedida.
Celaena acha suas sessões de treinamento com o capitão da guarda Westfall desafiadoras e exaustivas. Mas ela está entediada com a vida da corte. As coisas ficam um pouco mais interessantes quando o príncipe começa a mostrar interesse por ela... Mas é o rude capitão Westfall que parece entendê-la melhor.
Então um dos outros concorrentes aparece morto rapidamente seguido por outros... Pode Celaena descobrir quem é o assassino antes que ela se torne a nova vítima? A medida que a investigação da jovem assassina se desenrola a busca por respostas a leva descobrir um destino maior do que ela jamais poderia ter imaginado. 


     O livro conta a história de Celaena Sardothien, a maior assassina de Adarlan – talvez até mesmo a maior assassina de toda Erilea, mas que, apesar do título, e devido à uma traição, Celaena acaba sendo capturada e se torna prisoneira das minas de sal de Endovier. Mas o que impressiona não é só o trabalho pesado que as pessoas que vão para lá têm que aguentar, mas sim o fato de que, normalmente, ninguém sobrevive mais de alguns meses na mesma. No entanto, Celaena acaba sendo exceção à regra, o que acaba chamando a atenção de algumas pessoas, e a leva a ter uma chance de ouro, onde poderia resultar em sua liberdade tão sonhada. O rei governa o seu povo de seu trono e pune impiedosamente os rebeldes, e para continuar mostrando sua grande imponência, ele precisava de alguém que ajudasse o império a lidar com as “pessoas difíceis”. Para isso, organiza uma competição e convida 23 integrantes do conselho para que cada um patrocine um candidato. Com isso, surge o príncipe Dorian, com uma proposta à Celaena, para que ela o represente. Se ela vencer, depois de alguns anos, o rei devolverá sua liberdade. Com o sonho de conseguir fugir do seu destino na prisão, ela aceita a oferta. Mas nada é tão fácil quanto parece, e quando vários competidores aparecem mortos e ninguém sabe quem está por trás disso, a competição vai ficando mais perigosa, e todos terão que utilizar de sua inteligência e habilidade para escapar de tal destino. E ao final, quem irá sobreviver?
     Então, primeiro de tudo, sou obrigada a dizer que estava morrendo de curiosidade para ler esse livro por causa da Lívia (Wishing a Book), que falou super bem dele, e, apesar dos nossos gostos não serem muito parecidos, fiquei morrendo de curiosidade sobre como seria o livro, e se era tão bom quanto ela falava que era, por isso, resolvi pegar o livro pra ler.
     Outro motivo era o fato de ser um livro de fantasia medieval, ou High Fantasy, como é conhecido popularmente o gênero, o que me fez ficar mais curiosa ainda, porque eu realmente gosto desse gênero, e esperava me identificar com tal.
     Acontece que, quanto mais eu ia lendo, e entrando na história, eu sentia um misto de estar ao mesmo tempo super envolvida na trama, e estava também olhando como alguém de fora, que acaba não acreditando muito no que estava lendo.


     Honestamente, no início, onde a gente se encontra muitas vezes com os pensamentos e a história da Celaena, eu fiquei durante muito tempo achando que ela ficava só pensando em suas ações assassinas, e que ela mais falava do que realmente fazia algo, o que me fazia duvidar bastante daquela sua fama de assassina perigosa. Mas com o passar da leitura, eu fui me envolvendo mais na história, e aí sim, eu consegui “ver” a evolução da personagem, o que foi acrescentando mais ainda o desenvolvimento da história, e elevando o seu nível.
     Achei que o enredo do livro equilibra bem a questão de ação, aventura, mistério e elementos fantásticos, além de um pouco de romance, com um suposto triângulo amoroso, entre Cealena, o capitão da Guarda Real Chaol Westfall e o príncipe Dorian, mas ao mesmo tempo sem cair naqueles clichês básicos e gerais dos livros de romance, o que realmente acrescenta bastante à história, e não deixa de lado o foco da mesma, que é Celaena lutando por sua liberdade.
     Achei também que os personagens foram muito bem desenvolvidos, e notamos o crescimento pessoal de cada um, seja do príncipe, que ao início da trama era fútil e superficial, e que com o tempo foi ficando mais sensível, compreensivo, e sincero; a até mesmo o capitão Westfall, que ao início se mostrou julgador, cético e agnóstico, mas que com o passar da trama, vemos leves insinuações de que ele realmente tem sentimentos.
     Enfim, eu acredito até que o livro lembre bastante, de um jeito esquisito e totalmente diferente, o livro Sombra e Ossos, da Leah Bardugo, que eu li ano passado, e, ao mesmo tempo que eu gostei bastante da leitura, eu acho que ficou faltando algo, pra ser classificado como 5 estrelas. 
     Mas mesmo assim, em o Trono de Vidro, podemos encontrar uma história emocionante, regada de ação, aventura, mistérios e romance, com um final fantástico, que deixa muitas pontas soltas e portas abertas para uma continuação futura. Indico principalmente para quem gosta do gênero, pois além de todas essas características, possui uma rica e detalhada ambientação, além de personagens super carismáticos, e alguns que vão fazer seu sangue ferver de ódio!

PS: Tenho uma reclamação do livro: Odeeeio personagens principais com nomes complicados! Tipo, porque a pessoa não pode se chamar, sei lá, Summer, Zoe, Mary, Bella (Tudo bem que esses nomes não se parecem, nem um pouco, com nomes de assassinas, MAS ENFIM), porque tem que ter nomes complicados, em? Não curti o nome Celaena!

14 comentários:

  1. Eu sou louca pra ler esse livro. Desde que olhei pra ele sabia que tinha que lê-lo. E agora que eu li sua resenha tenho certeza que vou amar! Amo quando a história envolve de tudo, mas sem exagero, quando tem um equilíbrio entre ação, romance, aventura.. assim fica perfeito!
    Ps: Concordo com você, nomes complicados são o Ó, rs;
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Até onde sei, há vários volumes dessa série e isso me deixa desanimada. Ultimamente estou dando preferência a volumes únicos. No entanto, o enredo me atraiu, gostei bastante da personagem principal. Ela parece ser forte e cheia de personalidade. Se há algo que me irrita também, são histórias com personagens com nomes incomuns. Eu acabo me perdendo toda. Algo que achei interessante e foi citado na sua resenha, foi a questão do romance não ser piegas e também não ocupar muito espaço no enredo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, eu soube também desses outros volumes, mas são estilo "prequel" da série, mais pro leitor se inteirar mais sobre a vida da personagem antes de rolar tudo o que aconteceu no livro, então, pelo que me disseram, não é uma "leitura obrigatória", é só interessante mesmo de ler, pra quem quiser.
      Agora, tampouco é um livro só, infelizmente, porque, devido ao final dele, deu pra ver que com certeza vai ter continuação, e oremos para que seja apenas uma trilogia, porque cansei também desses livros/séries infinitas! Parece que a gente lê, lê, e não sai do lugar! HAHAHAHAHA

      Excluir
  3. Opa, o livro me pareceu bom! E concordo plenamente com o seu ps. nomes complicados me embaralham toda na leitura do livro e eu demoro pra decorar nomes complicados como em O Chamado do Cuco, demorei pra lembrar o nome de todo mundo! Mas fiquei bem interessada com a sua resenha sobre o livro!

    ResponderExcluir
  4. Quero muito ler esse livro! Achei a trama bem diferente e original.
    Também não sou fã de nomes difíceis (sofri um pouco para me acostumar com Feita de fumaça e osso), mas acho que o nome combina com a personagem. Adorei a personalidade dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Apesar de ter achado difícil, eu acho que combinou como um nome de assassina. Acho que se fosse algum outro talvez não se encaixaria tão bem...

      Excluir
  5. Esse livro é bem interessante, curto muito esses livros fortes ..fiquei fascinada com a capa e com os personagens lindo demais...amei muito tudo isso

    ResponderExcluir
  6. Este negócio de nome é mesmo complicado, tem uns que nem conseguimos ler direito!
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  7. Eu também gosto bastante de fantasias medievais. Aliás, qualquer coisa que seja Medieval, me agrada. Legal ver que, mesmo que o início não tenha te conquistado tanto, no desenrolar da trama, você foi se envolvendo mais, e acabou gostando. Estou bem curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Eu já tava com as expectativas super altas para esse livro, imagina depois de ler essa resenha! Estou super ansiosa para poder ler...E sua resenha me deixou bem animada.Espero poder conferir em breve!! E realmente esta capa é lindíssima!! E também odeio nomes complicados...
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  9. fiquei aqui morta de ansiosa em ler o livro, a resenha ficou de tirar o folêgo, muito boa mesmo, parabéns . o livro é muito bom mesmo..

    ResponderExcluir
  10. Todos estão falando do livro né, incivel!
    Parece ser um lviro memorável.... mal vejo a hora de ler. =)
    Espero não me decepcionar.. espero mesmo.

    ResponderExcluir
  11. Adoro livros que se passam na era medieval com reis, castelos e elementos fantásticos, então logico que esse livro não poderia deixar de chamar a minha atenção. Quero muito ler e espero poder fazer isso em breve e não me decepcionar!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Esse livro também me interessa muito. Nunca li nada onde a personagem principal é uma assassina e fiquei muito curiosa, ainda mais por ser uma estória medieval. Parece ser uma leitura muito cativante, cheia de aventuras e ação, está na minha lista! :)

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo