Outras Palavras Para O Amor

28 dezembro, 2013

Anos 1980. Enquanto o mundo se encolhe com o medo da Aids e as tensões da Guerra Fria, Ari Mitchell tem outras preocupações além do vírus que pululam nos bocais dos telefones públicos do Brooklin. Como ser ofuscada por Summer, a amiga rica e bonita, que estuda numa prestigiosa escola particular em Manhattan. Ou a paixonite pelo cunhado bombeiro. Ou os sonhos de sua mãe castradora. Mas uma herança está prestes a mudar a vida de Ari. Com a morte de um tio, a sensível aluna nota A ganha um visto de entrada, mesmo a contragosto, para o mundo dos privilegiados. Nova aluna da Hollister Prep, ela precisa se adaptar a uma sofisticada realidade. E a outras amizades. Logo, o jeito calma e discreto de Ari atrai a atenção de Leigh, uma jovem em luto pelo namorado. Summer não está acostumada ao segundo lugar. Ainda mais quando a amiga aparentemente sem graça atrai a atenção de Blake, um estudante de direito de excelente família. E elas se afastam. Ao mesmo tempo, a irmã de Ari, Evelyn, decepção para os pais depois de abandonar o ensino médio grávida, sofre de depressão pós-parto numa época em que o termo ainda não existia. E desconta em Ari. Dividida entre o antigo e o novo, o primeiro amor e as expectativas da família, ela precisa encontrar seu próprio caminho. Um caminho que vai levá-la a uma viagem de autoconhecimento, dor e redenção. Uma prova de que a força para alcançar seus sonhos está dentro de cada um.

Ariadne Mitchell não passa de uma garota comum vivendo sua vidinha na década de 80. Filha mais nova, ela é o grande orgulho da família – afinal sua irmã nunca foi para faculdade e engravidou ainda adolescente – o que gera uma grande expectativa sobre ela. Sempre muito inteligente, seu verdadeiro dom é para artes, por isso sonha em ser professora, como sua mãe, e seguir carreira na Universidade.
Como toda garota, ela tem uma melhor amiga, Summer, que é seu total oposto. Enquanto Ari é quieta e tímida, Summer gosta de ter as atenções sobre si, vive trocando de namorados e se diz muito popular na Hollister, a escola particular em que estuda.
Ari não estava completamente feliz com essa vida, mas era segura e tranquila, o que para ela bastava. Até o dia em que seu tio morre, deixando para sua família uma considerável quantia. Agora Ari pode frequentar a Hollister e ir para faculdade, como seus pais sempre sonharam.
A princípio ela tem medo do que a espera, mas a vida na Hollister se mostra tranquila, mesmo quando conhece Leigh, uma garota da sua idade que está de luto pela morte do namorado – que dizem os rumores, morreu por sua culpa.
Leigh é a amiga que faltava na vida de Ari, mas Summer não vai se deixar ficar em segundo plano, muito menos ser ofuscada uma menina mais rica que ela.
Conhecer Leigh é o que muda, definitivamente, o rumo da vida de Ari. Antes ela se achava sem graça e não dava muita atenção aos garotos, o único que despertou alguma coisa em Ari foi seu cunhado Patrick, portanto era uma paixão completamente platônica. Mas conhecer a família de Leigh muda isso; ela tem dois primos, o despreocupado Del, e o estudioso e empenhado Blake.
Del é quem primeiro chama sua atenção, mas a fama de galinha e o fato dele já ter contraído uma DST soam como alarmes para que Ari se mantenha distante. Então aparece Blake, cujo comportamento de cavalheiro é totalmente oposto do irmão e aos poucos ele consegue conquistá-la.
Mas o drama não gira só em torno dos garotos por quem Ari se atrai. O foco principal da história é em sua família e na convivência entre eles, enquanto Evelyn, sua irmã mais velha, acaba de dar a luz ao segundo bebê e parece estar, novamente, em depressão pós-parto, uma doença que na época não era muito conhecida e cujo tratamento é difícil para família de Ari bancar.

Pelo título eu diria que esperava muito romance nesse livro, mas conforme a leitura se desenvolveu ficou claro que o foco é o amor de Ari por todos, as diferentes formas e as diferentes pessoas a quem se ama.
O único ponto que me deixou meio de pé atrás na história foi o grande foco nas doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a AIDS. Por se passar na década de 80/início da década de 90, com personagens que frequentam os bairros menos afortunados de Manhattan, pensei que teria uma ligação maior com as doenças, mais do que apenas aulas sobre sexualidade.
Fora isto foi uma boa leitura, com o detalhe de que esse é um livro um pouco mais denso, não tão rápido de ler. A história é carregada de realidade, que se transmite através das palavras.
Os personagens foram bem delineados e o final me surpreendeu. Esse é um livro em que Ari nos conta a sua história conforme passa a amadurecer, até o ponto em que finalmente encontra um desfecho para sua vida.

Um livro que foge dos clichês que encontramos por aí, ótimo para dar uma diversificada na leitura.


2 comentários:

  1. um livro bastante surpreendente, achei intrigante e forte... resenha incrivel amei

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei muito da resenha, um livro muito envolvente .

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo