Bling Ring

22 agosto, 2013



Entre 2008 e 2009, as residências de Lindsay Lohan, Orlando Bloom, Paris Hilton e diversas outras celebridades foram invadidas e saqueadas. Os ladrões, um grupo de jovens criados em um endinheirado subúrbio de Los Angeles, levaram o equivalente a 3 milhões de dólares em joias, dinheiro e artigos de grife, como relógios Rolex, bolsas Louis Vuitton, perfumes Chanel e jaquetas Diane von Furstenberg. As notícias surpreendentes sobre o caso chocaram Hollywood e intrigaram o mundo. Por que esses garotos, que em nada correspondiam à tradicional imagem dos bandidos, realizaram crimes tão ousados?
A jornalista Nancy Jo Sales entrevistou todos os envolvidos, incluindo os pais e os advogados dos jovens, e até mesmo as celebridades que sofreram os assaltos. Em Bling Ring: a gangue de Hollywood, ela apresenta todos os detalhes de uma das quadrilhas mais audaciosas de nossos tempos. A história real também inspirou o filme de Sofia Coppola, estrelado por Emma Watson.

                Entre 2007 e 2009, um grupo de jovens começou a invadir a casa de pessoas famosas, a princípio foi uma garota realizando seu sonho de conhecer o closet de uma celebridade, acompanhada do garoto que poderia fazer de tudo por ela. Mas foi tão fácil, lá estava a Mansão de Paris Hilton, sem empregados e com uma chave reserva debaixo do capacho, ridículo de simples, que acabou se tornando “um vício”.
                A princípio levavam uma roupa ou outra, bolsas, algum dinheiro que encontravam largado por ali. Mas tudo era tão fácil que ganhou enormes proporções, outras pessoas ficaram sabendo, os desejos foram aumentando ao ponto de saírem da casa de algumas celebridades com malas e malas de coisas.


Quando ouvi sobre o lançamento desse livro, e do filme, fiquei pensando “uau, que ideia que esses garotos tiveram”, não no sentido de que foi uma boa ideia, só achei curioso o fato de adolescentes resolverem invadir mansões de pessoas famosas, porque várias vezes já me perguntei se isso acontecia – os famosos parecem pessoas de outro mundo imunes a tudo. Então fui buscar me inteirar na internet enquanto o livro não chegava, mas assim que chegou, pensei que toda e qualquer dúvida seria sanada e a história ficaria clara para mim.
Só que não foi assim.
                O ponto principal é a autora, Nancy Jo Sales, uma jornalista – ai esta, ela é jornalista, não autora! Ou seja, ela sabe escrever matérias, não necessariamente livros, e este acabou sendo, de certa forma, uma junção de suas reportagens.
                Quando tudo aconteceu ela foi até Hollywood se informar, tentou entrar em contato com as celebridades, mas também com a gangue que fez isso, com seus advogados e conhecidos, a fim de juntar material suficiente para suas reportagens. E depois de ter bastante material reunido, resolveu escrever um livro.
               
                Eu esperava que fosse saber tudo, e confesso que depois de concluir a leitura do livro não sei muito mais sobre o caso do que sabia antes. Não nos é narrada a história com início, meio e fim, ela nem sequer tem certeza de como tudo aconteceu, simplesmente foi uma junção de vários artigos que vão e voltam diversas vezes no mesmo ponto, a princípio focando nos criminosos, depois nas vítimas, sem seguir uma sequência lógica, muito menos cronológica. Consequência? A história se tornou maçante a ponto de eu me arrastar pelas páginas.
                Apesar de ter muita base de pesquisa, a autora não soube como construir isso em um livro e passar ao leitor o que de fato aconteceu, ela própria se perdia sabendo do que estava falando, eu como leitora então, fiquei tonta de tantas voltas para chegar a lugar nenhum. Cada vez que o rumo parecia engrenar, a autora atingia um ponto principal para discutir, focava nele, e a confusão voltava.
                Mas não é tudo 100% ruim... A autora trata o crime como ele é: um delito que merece ser punido, além de ter o lado das vítimas – único ponto positivo para mim, como, por exemplo, a Rachel Bilson conta que levou semanas para voltar a se sentir segura em sua casa. São pequenos pontos interessantes entre muitos que não são e por isso não se sobressaíram.
                Então para quem quer uma versão jornalística dos fatos, o livro pode ser uma boa pedida.
Eu queria a narração de como aconteceu, o ponto de vista deles e a sequência cronológica dos fatos, a motivação de cada um claramente explicitada e o desenvolver da história até chegar ao ponto de serem pegos – totalmente oposto do que foi o livro, infelizmente. 


10 comentários:

  1. Estou com muita vontade de ler esse livro, é uma tema que acho que não tem como não despertar curiosidade (pelo menos em mim rs). Muito surreal o que eles faziam.
    Ah, eu quero ver o filme também!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu estou com muita curiosidade sobre esse livro, sério, muito mesmo, tenho muita vontade de saber os detalhes de tudo que eles faziam, rs.
    Também queria ver o filme, é o tipo de filme que eu gosto (:

    ResponderExcluir
  3. Puts, estou muito curioso para ler esse livro parece super bacana mas estou com medo de me arrepender.

    abraços

    http://livrostrip.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Não sei, não me interessei pelo livro :S

    ResponderExcluir
  5. confesso que tenho bem mais curiosidade para ver o filme que ler o livro. A história é realmente bastante peculiar e curiosa, mas, como você mesma disse, é uma jornalista quem escreveu o livro, e isso faz toda a diferença pra mim! Acho que vou me envolver mais pelo filme mesmo.

    Beijocas
    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. estou mega curiosa em ler esse dai, é demais, parece que prende a gente na leitura

    ResponderExcluir
  7. Queria muito ler o livro, mas poxa, livro maçante? Não obrigada... Respeito muito sua opinião quanto aos livros então acho que não é para mim... Ainda vou buscar outras resenhas e saber melhor, talvez compre o livro para tirar as próprias conclusões sabe?
    Que pena que não gostou...
    Bjsss ;*

    ResponderExcluir
  8. Desanimo define apos terminar de ler a resenha, poxa eu estava mega animada pra ler o livro mas já broxei, nao quero mais.

    xx

    ResponderExcluir
  9. O q me interessou no livro,.foi justamente por ter bastante reportagens!!
    Achei muito interessante e fiquei muito curiosa!!!

    ResponderExcluir
  10. bem interessante, gostei muito da capa e do roteiro do livro, bem gostoso de ler

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo