The Forest of Hands and Teeth #1

30 julho, 2013


"O mundo de Mary é um mundo de verdades simples. A Irmandade sempre sabe o que é melhor. Os Guardiões protegem a todos. Os Esconjurados jamais descansam. E você deve sempre tomar cuidado com a cerca que percorre o perímetro do vilarejo; a cerca que protege o vilarejo da Floresta de Mãos e Dentes. Mas, lentamente, as verdades de Mary estão se desintegrando. Ela está aprendendo coisas que nunca quis saber a respeito da Irmandade e seus segredos, dos Guardiões e seu poder, e dos Esconjurados e seu desespero. Quando a cerca é violada e seu mundo é atirado no caos, Mary deve escolher entre sua vila e seu futuro - entre seu amado e o homem que a ama. E ela deve enfrentar a verdade a respeito da Floresta de Mãos e Dentes. Pode existir vida em um mundo cercado por tanta morte?"


          O livro conta a história de Mary, uma garota simples, que mora em uma aldeia que sobreviveu aos ataques de algo que acaba transformando as pessoas em mortos-vivos sedentos por sangue. Ela, e mais alguns (poucos) jovens, fazem parte de uma das gerações desse pós-ataque. Dentre os habitantes dessa pequena aldeia, há também, além dos adultos que casaram e procriaram, os Guardiões, que têm como objetivo manter a segurança na aldeia, verificando sempre os limites das cercas/grades, a modo de que nenhuma esteja um tanto sequer danificada, assegurando também para que os mortos-vivos (Esconjurados) não ultrapassem esse limite; e também há as Irmãs, cujo objetivo é manter a aldeia saudável, instruí-los, educa-los, afim de que possam procriar, e uma nova geração surja. A história começa com Mary praticando seu afazeres diários, que consistiam em larvar a roupa, ajudar a sua mãe em casa, e etc. No entanto, quando a sirene, que há tanto tempo não tocava, começa a soar, Mary já sabia o que estava por vir. Sua mãe, após a “morte” de seu pai, estava muito depressiva, e sentia muita falta dele, e todos temiam que ela pudesse fazer algo contra si mesma, e, naquela hora, quando a sirene toca, Mary passa a ter certeza de que é algo com sua mãe, ainda que não tenha visto nada. Com seu irmão em uma das patrulhas, e consequentemente fora de casa, o medo se instala, não o medo da morte de sua mãe, mas o medo de que ela tenha sido infectada, e portanto era seu dever garantir que ela fosse morta, e não se tornasse mais uma esconjurada dentre tantos. Mas quando o último desejo de sua mãe é transformar-se em exatamente aquilo que ela deveria impedir, cabe a ela tomar a decisão final, sabendo que, de um jeito ou de outro, jamais teria sua mãe de volta.

          Ok, então eu comecei a ler o livro A Floresta de mãos e dentes, da Carrie Ryan. Primeiramente, lembro que esse livro foi indicação da Lívia, do Wishing a Book, e que "fizemos" a maior bagunça no lançamento de The Dark and Hollow Places (3º livro), o que acabamos por fim, com ao menos uma copia autografada do livro! ;) [Link do post da Lívia, falando sobre o Signing Event]

          Mas enfim, então, eu comecei a ler, e confesso que, a princípio estava empolgada, mas ao mesmo tempo não estava, porque, por um lado, já sabia que era uma história de "zumbis", e esse digamos que seja um tema que não me anima nem um pouquinho, mas enfim, e, em contraponto a isso, é uma distopia, tema que me anima bastante, apesar de não ter lido muitos livros bons sobre o assunto, atualmente. Entretanto, e ignorando todas as opiniões já formadas, segui em frente e fui ler o livro, e já bem no início dele, a única coisa que eu conseguia pensar era "PQP! POR QUE a Lívia me recomendou esse livro, sendo que só acontece desgraça na vida dessa guria[Mary]?!" E apesar de já estar um pouco irritada com o caminho que as coisas estavam andando, resolvi continuar lendo, porque algo de bom, ou de diferente tinha que ter nesse livro, para tantas pessoas indicarem a leitura, certo?!

          Então, eu continuei lendo, e no meio da história, em meio ao fato de estar quase desistindo da leitura, acontece algo, quase um ápice, um clímax da história, que a acaba causando uma reviravolta, um impacto, e é aí que a gente sabe, ainda que não diga com essas exatas palavras, que o que aconteceu ali não tem volta. É... E foi aí que eu comecei a pensar "ok, então tem realmente algo de interessante mesmo nessa história!"

          E assim continuei a ler sem parar, e a cada momento algo acontecia, e eu me via segurando a respiração, e tentando ler mais rápido do que os meus olhos podiam ver e que o meu cérebro podia absorver, porque eu só queria enfim chegar ao final dessa história, e ver esse desfecho, saber o que acontece com todos os personagens, e enfim, saber de tudo! E com isso, depois de um dia, eu finalmente terminei! (Não me julguem, porque eu realmente leio muito devagar mesmo, mas juro que não é por opção não :/)

          Enfim, algo que de fato, eu tenho que parabenizar a Carrie Ryan é pelo fato de que, normalmente quando alguém escreve uma distopia, a pessoa se foca em achar que só aquele personagem vai achar a cura, e conseguir libertar todos daquela vida miserável que estavam levando, mas aqui, em The Forest of Hands and Teeth (A Floresta de Mãos e Dentes), o que importa é o momento, é sobreviver até o dia seguinte, é proteger e manter por perto aqueles que você quer bem, não importando os sacrifícios que você tenha que fazer.

          Confesso que a história inteira em si, do inicio ao final, não era o que eu esperava (Mas não era mesmo! Nem um pouquinho com o que eu esperava!). Mas que, apesar disso, não deixa a desejar, só deixa mesmo a gente querendo saber mais e mais! Honestamente, terminei esse livro com tantas perguntas, que a minha vontade era de já começar o próximo agora, nesse instante, mas, apesar de tudo, eu não posso, porque tenho muitos outros a ler antes dele. Só espero que as continuações não me decepcionem...

          Enfim, recomendo esse livro pra todos! Mesmo para aqueles que têm medo de ler historias de zumbi, porque serio gente, eu sou a pessoa que se assusta mais facilmente na face da terra, mas ainda assim, achei que nesse quesito, o livro até que foi "leve", pois tem momentos de sufoco, e angústia, e surpresa, e desespero, e tudo mais, mas medo, medo mesmo, são bem poucos.

          Outra coisa que lembrei agora, e que acho legal comentar, é que, sério, essa série de livro é uma das poucas que tem quase em todos os lugares, a capa, ou a arte da capa, bonito e bem desenvolvido. Vou colocar aqui embaixo pra vocês verem! ;)

U.S. Paperback 2013
Alemanha


Brasileira (Suposta)

E por último, o booktrailer, né galera! :D



 E é isso! Espero que tenham gostado da resenha, e prometo pra vocês que tentei revelar o mínimo possível! Agora só esperar pela continuação! :P
Beijos ;*
Thayná.

4 comentários:

  1. Olhando só pela capa não ia imaginar que falava sobre zumbis. Nunca li nada do gênero e não sei se vou gostar, mas fiquei bem curiosa para ler esse. As capas são realmente muito bonitas, dá até vontade de ler só de olhar pra elas.

    Um beijo, Karine Braschi.
    Geek de Batom. (@geekdebatom)

    ResponderExcluir
  2. Amoooooo essa serie!!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho esse ebook a muitooo tempo mas nunca tive vontade de ler.... Assim q terminar o q estou lendo acho q vou ler esse... Eu nem desconfiava q tinha zumbis....

    ResponderExcluir
  4. Eu não curto histórias envolvendo zumbis. ): Achei todas as capas bem bonitas. Se eu fosse julgar pela capa não saberia que a temática é de zumbi. hehe

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo