Sangue e Chocolate

25 junho, 2013

Sinopse: Sangue e Chocolate (Blood and Chocolate), escrito por Annette Curtis Klause, conta a história de Vivian Gandillon que saboreia a mudança, a dor doce e poderosa que a leva de garota à lobo. Com dezesseis anos, ela é bonita e forte, e todos os lobos jovens estão em seu pé. Mas Vivian ainda está de luto pela morte de seu pai; seu grupo continua sem um líder e em desordem, e ela se sente perdida nos subúrbios de Maryland. Ela deseja uma vida normal. Mas o que é normal para um lobo que precisa a todo custo esconder a sua identidade dos humanos? Vivian ganha a vida trabalhando numa loja de chocolates e acaba se apaixonando por um garoto humano, bom e gentil, gatoso um alívio bem vindo para ela. Ele é fascinado por magia, e Viviam deseja se revelar para ele. Provavelmente ele a entendêria sua natureza dupla e não sentiria medo ou repulsa como um humano normal faria. A lealdade dividida de Vivian é forçada ainda mais quando um assassinato brutal ameaça expor o grupo. Movendo-se entre dois mundos, ela não parece pertencer a nenhum dos dois e se sente perdida entre as regras de lealdade de seu mundo e a vontade de se revelar seu amado.

          Então galera, faz um tempinho que eu li esse livro, e venho querendo fazer a resenha dele, mas não tenho tido tempo, mas vamos lá! :D

          Diferentemente dos livros onde a personagem principal, além de ser aquela mocinha indefesa, que acaba, sem querer, descobrindo um novo mundo, com criaturas que jamais pensava existir, esse livro se trata da situação inversa, onde, como personagem principal, temos uma menina lobo, que tenta desesperadamente se adequar à vida dos humanos.
          Vivian, a personagem principal, é uma jovem muito bonita, a qual todos os garotos desejam, mas apesar disso, ela esconde sua verdadeira identidade, o fato de que ela pode se transformar em lobo, ou seja, uma loup-garou. Ainda em luto pela morte de seu pai, antigo líder da matilha, Vivian se ve obrigada a se mudar para Maryland, onde tudo o que mais deseja é se sentir normal. Lá ela conhece Aiden, um garoto nerd e atrapalhado que, através de uma poesia que ele escreveu para uma pintura sua, citando a mudança do lobo, acaba por fim despertando sua curiosidade, e até um pouco mais.
          Mas nem tudo é normalidade na vida de Vivian. Enquanto ela tenta se encaixar na vida e dia-a-dia dos humanos, na matilha é necessário eleger um novo líder, onde, um dos principais candidatos, e logo, melhor opção é Gabriel, um homem forte e inteligente que está decidido à conquistar Vivi.
E, entre o amor humano, jovem e inocente de Aiden, e a paixão, carinho, e verdade de Gabriel, Vivi precisa decidir o que fazer, pois tudo que ela mais deseja é se sentir normal, mas como poderia se sentir assim, se ama mais a si mesma quando está em sua forma de lobo?
           Mas, fora a vida amorosa de Vivi, na matilha, à medida que o Ordálio se aproxima, e com isso, a escolha de um novo líder, ela descobre que sua mãe e outra lupina – Astrid – veem brigando pelo posto de rainha do bando, mas que além disso, uma série de acontecimentos  fazem com que humanos apareçam mortos, e para piorar a situação, quando isso acontece, ela sempre se encontra em situações bastante comprometedoras, e sem ao menos se lembrar do que aconteceu na noite anterior, mas apenas com o gosto de sangue em sua boca, o que acaba enlouquecendo-a aos poucos, sem contar que conforme o número de assassinatos vais aumentando, e as suspeitas chamando cada vez mais a atenção de Gabriel, o bando entra em alerta e ameaça de exposição.

           Acho que com isso deu pra perceber mais ou menos sobre do que se trata o livro.
           Notem que, quando eu comecei a lê-lo, estava esperando que fosse quase uma transcrição do filme no livro, e que não mudaria muitas coisas. Eis que, à medida da leitura, eu fui percebendo que ele se distanciava cada vez mais do filme, e consequentemente, melhorando seu enredo. Não nego que houve partes em que pudesse ter sido melhor trabalhada a escrita e tudo mais, mas o que me impressiona mesmo é o fato de que foi primeiramente lançado em 1997, ou seja, há mais de 10 anos atrás, o que é bastante coisa, imaginando o contexto, os personagens, os lobisomens que, provavelmente naquela época não eram tão famosos e queridos como hoje, e a que público atingir. Honestamente e infelizmente, não imagino esse livro fazendo muito sucesso em seu ano de lançamento. Mas, mais de 15 anos se passaram, e com isso, a literatura foi se expandindo e ganhando mais fã mundo afora, e hoje, lendo esse livro que nos parece tão atual, tenho só que parabenizar a autora pelo trabalho basicamente atemporal realizado.

          Mas, voltando a questão de comparação entre o filme e o livro, a primeira mudança drástica que percebemos é a idade dos personagens principais, onde no filme eles são mais velhos, ao contrario do livro, onde eles ainda se encontram no colegial. E comparações como essas voltam à acontecer até mesmo a respeito do contexto e enredo da história, que aparentemente é o mesmo, mas que sofre tremendas mudanças em sua adaptação. Se me perguntarem se eu preferi o livro ou o filme, e eu responder que foi livro, não é uma interpretação clichê, porque, ok, eu confesso de que normalmente, as adaptações das páginas para a telona deixam muito a desejar, mas aqui, quando o enredo muda tanto que nem se parece a mesma história de um para o outro, há como comparar brevemente, e eu gostei muito da história do livro. Pode não ser o que todo mundo acha e prefere, principalmente o seu final, mas achei uma história coerente, realista, e que, nem que seja lá bem lá no fundo, acaba agradando.

              Por isso, e muitos outros motivos, eu super indico a leitura do livro, uma leitura um pouco diferente, e que pode acabar impressionando. :)

Beijoos :*

Thayná.

6 comentários:

  1. Que interessante a mulher ser o ser sobrenatural, estou mais acostumada a ver isso no personagem masculino!
    Gostei muito da resenha! Se eu tiver a chance lerei com certeza!!

    ResponderExcluir
  2. que capa incrivel, a sinopse do livro me deixou super empolgada parece uma leitura incrivel

    ResponderExcluir
  3. A coisa que me chamou mais atenção nessa obra foi o fato dela ter sido escrita há mais de 10 anos atrás, realmente me surpreendi.
    A autora trouxe elementos que não eram tanto explorados como o personagem ser lobisomem, a mocinha realmente é a protagonista e porque não, o famoso triangulo amoroso que tanto é explorado nos romances atuais, já estava marcando presença nesse livro.

    Realmente é um livro atemporal que para aqueles que curtem o gênero deve ser uma ótima leitura. :)

    ResponderExcluir
  4. Gostei da capa, a premissa de uma garota lobo se adaptando parece ser bem legal, geralmente sempre prefiro o livro à o filme, tive curiosidade quanto a ele.
    Bjsss ;*

    ResponderExcluir
  5. bem a um tempo a tras li uma resenha que fava que o livro nao era muito bom nao, por conta disso desistir de um dia ler ele, porem agr me deu vontade, como faz? Bem vou esperar mais um pouco antes de me decidir.

    ResponderExcluir
  6. De cara não me interessei por ser uma história envolvendo lobos. Não gosto muito. Mas se eu tivesse a oportunidade de lê-lo, eu o leria, pois muitas vezes podemos nos surpreender com algo que julgamos não gostar, não é? Mas eu realmente não curto muito a temática não. ;)

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo