O Príncipe da Névoa

04 abril, 2013





Em 1943, a família do garoto Max Carver muda para um vilarejo no litoral, por decisão do pai, um relojoeiro e inventor. Porém, a nova casa dos Carver está cercada de mistérios. Atrás da casa, Max descobre um jardim abandonado, que contém uma estranha estátua e símbolos desconhecidos.

Os novos moradores se sentem cada vez mais ansiosos: a irmã de Max, Alicia, tem sonhos perturbadores, enquanto a outra irmã, Irina, ouve vozes que sussurram para ela de um velho armário. Com a ajuda do novo amigo, Roland, Max também descobre os restos de um barco que afundou há muitos anos, numa terrível tempestade. Todos a bordo morreram, menos um homem – um engenheiro que construiu o farol no fim da praia.

Enquanto os adolescentes exploram o naufrágio, investigam os mistérios e vivem um primeiro amor, um diabólico personagem começa a surgir: o Príncipe da Névoa, capaz de conceder qualquer desejo a uma pessoa – mas cobrando um preço alto demais...




 Em 1943, ao completar treze anos, Max Carver soube por seu pai que a família iria se mudar para um vilarejo que fica no litoral, prontos para ocuparem a casa que pertenceu ao doutor Richard Fleischmann e sua família. Um lugar tranquilo onde o pai de Max, um relojeiro e inventor, poderia abrir uma nova loja e viver tranquilamente com a esposa e os três filhos.

Mas tudo naquela casa emanava mistérios. Mistérios que surgiram anos antes, mas que os moradores desse pacato vilarejo parecem não ter ideia do que envolve, só um homem sabe: o faroleiro. O único sobrevivente de um naufrágio que ocorreu anos atrás, e que, depois disso resolveu construir um farol na ponta da praia e se instalar por ali mesmo.

Alheio a tudo que envolve esse naufrágio, Max faz amizade com Roland, o garoto que vive com o faroleiro, e junto de sua irmã mais velha, os três mergulham pelos escombros que restaram do navio... Mas eventos estranhos e surpreendentes começam a ocorrer, o que desperta a curiosidade do garoto que busca descobrir mais sobre a casa. A história da família ele já conhece, agora precisa saber o que cerca aquela casa, e porque nos fundos tem um jardim com estátuas sinistras.

Em uma busca que corre contra o tempo, há muita coisa para ser desvendada, e Max não sabe se está pronto para isso.



O Príncipe da Névoa foi o primeiro livro do Zafón, escrito em 1996 e publicado depois de ganhar um concurso; livro este que veio a ser o primeiro livro de uma série juvenil composta ainda pelos livros O Palácio da Meia-Noite, As Luzes de Setembro e Marina.

Um livro curto e ágil, mas que não me pareceu tão assustador. Fui muito animada começar a leitura, que sim, é boa, mas não a melhor, conseguem entender? As críticas quanto ao autor sempre foram maravilhosas e eu esperava um pouco mais da história. Mas quando li na nota do autor que esse foi o primeiro livro, entendi, afinal com o tempo vem o aperfeiçoamento e muitas melhorias, então vou aguardar por outros livros dele!

É um ótimo livro para se ler em uma pegada só, pois o enredo atrai o leitor e faz você querer saber como vai acabar – o que é muito bom! Não achei tão aterrorizante quanto ouvi falar, tem suspense e mistério, mas nada que te faça ter pesadelos ou perder o sono. Um bom livro que propicia uma ótima leitura – que, na verdade, é o que todo leitor procura.

7 comentários:

  1. Adoro livro de suspense, tenho que ganhar para ler. Depois dessa maravilhosa resenha, com certeza me interessei muito pelo livro.

    ResponderExcluir
  2. eu adoro a escrita do Zafón desde A Sombra do Vento, mas entendo o que você quer dizer por "não ser o melhor". É como me senti quando li Teorema Katherine, que é o primeiro do John Green. O ruim de terem trocado a ordem de publicação aqui no Brasil é que a gente se acostuma a uma referência de escrita do autor que já está muito boa, e quando pega um primeiro livro dele, dá aquela murchada, porque não é tão bom - esquecemos que foram publicados com anos de diferença. Enfim, mas ainda assim tenho boas expectativas em relação ao Príncipe da Névoa, que, como nos outros livros do autor, tem uma premissa meio sombria e muito interessante =]
    Beijocas


    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Dele só li Marina até agora e fiquei fascinada pela construção da trama, pelos personagens. Sabe que em nenhum momento tive a impressão de que O Príncipe da Névoa deveria ser assustador. Claro, não li o livro, mas pela sinopse e resenhas imaginei algo muito mais para o mistério e até suspense, mas não mais que isso. Quero muito ler esse livro, mas acho que antes gostaria de ler os livros mais recentes do autor.

    Bj, Livro Lab

    ResponderExcluir
  4. gostei bastante da capa desse livro achei tão perfeita , misteriosa!

    ResponderExcluir
  5. gostei muito da sua resenha achei bem forte esse livro, uma narrativa incrivel

    ResponderExcluir
  6. Não gosto muito das capas. Os temas são bacanas, mas parecem de filme de sessão da tarde. Não tem jeito de ser uma leitura muito atraente.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei curiosa, mas com um pouco de medo de ser muito assustador, vc disse na leitura q não é tão assustador assim e acho q vou ler, já q gostei bastante da sinopse.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo