O Advogado da Vida

14 março, 2013




Quando começa o direito à vida? Essa pergunta fica quase impossível de ser respondida quando o médico Arthur Galanidel é preso por supostamente realizar abortos ilegais em sua clínica, inclusive em uma menor de idade. O advogado David é escalado para defender o caso, sofrendo a pressão da imprensa e da sociedade, que discutem se uma mulher tem ou não o direito de abortar e se o médico é ou não um criminoso. Será que David conseguirá convencer os jurados a inocentar o médico? Em quais situações é permitido a uma mãe optar por dar ou não à vida a seu filho? Neste emocionante thriller jurídico, as perseguições, tramas e provas são misturadas a todo momento, criando um romance fantástico, de tirar o fôlego. Tudo isso para, no final das contas, o caso ser julgado por sete jurados que decidirão onde começa e até onde vai o mais fundamental dos direitos: o direito à vida.




Dizer que esse livro pode gerar polêmica é o mínimo... Na história, Arthur Galanidel é um médico idealista, ciente de suas ações, mas convicto de que só as faz por um bem maior. E continuaria a fazer, até que uma reportagem leva a uma investigação que o põe atrás das grades, acusado por cometer abortos em gestantes com o consentimento delas, sem que houvesse qualquer risco na gestação para mãe ou para o bebê, e, inclusive, de ter realizado um aborto em uma menor de idade. Tamanho escândalo, claro, choca toda a sociedade que se vê indignada por um médico tão renomado, conhecido por ser médico de gente rica e tudo mais, pôde cometer tamanha atrocidade?
Como todo réu, Arthur tem direito de se defender e é então que David surge em cena. David é um advogado novo, cujo escritório não tem muita visibilidade nem é muito rentável; que, depois de alguns argumentos persuasivos, se vê aceitando defender um cara que pode ir a júri popular e já está condenado perante toda a sociedade. Formular a defesa por si só já é extremamente complicado, ainda por cima tem a presença de uma promotora linha dura que não aceita perder, e um réu que parece não querer colaborar com a sua tática de defesa... Tudo para acabar em um júri em que sete pessoas da sociedade decidirão o futuro de um homem.

Essa é a história que Jean Postai criou e nos procurou para que fosse divulgada aqui no blog, e tenho de dizer que foi uma escolha acertada ter aceitado. Mas, tenho de deixar claro que o grande envolvimento que tive com a história foi, principalmente, por ser estudante do curso de direito, então todo o trâmite que é tratado no livro desde a prisão até o tribunal de júri são coisas que eu já tive contato e achei interessante – veja bem, esse é o motivo por ter me agradado, se você não tem relação nenhuma com o curso mas acha o tema interessante, fique a vontade para ler sem medo, pois o autor fez um ótimo trabalho ao explicar certinho como ocorre cada fase.
Sendo um livro dessa editora, há sempre um pezinho atrás quanto a correção, e tenho de dizer que há erros, pouquíssimos, mas há. Só que não altera em nada a qualidade da história, que trata de um tema tão polêmico com argumentos tão fortes para cada personagem, que a cada depoimento você se vê concordando e questionando junto, é o tipo de história que te prende e te deixa em dúvida sobre o final – o que já conta inúmeros pontos em qualquer história!

5 comentários:

  1. Oi , já conhecia o autor que está fazendo muito sucesso nos blogs, confesso que de inicio o livro não me agradou, mas depois gostei bastante (=

    ResponderExcluir
  2. é interessante o autor trata de assuntos interessante
    http://issoaquiloemuitomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Não conhecia esse livro..bem interessante a resenha =]

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Obrigado pela resenha e pela oportunidade, gostei demais!
    Espero que se interessem cada vez mais pelo Thriller Jurídico!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. não faz muito meu estilo esse livro, parece ser bem parado , naum me interessa em ler

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo