A Estrela

12 fevereiro, 2013




Após uma catástrofe ter transformado o Linde em um ambiente hostil e instável, todos os habitantes do mundo precisam aprender a viver em clãs isolados, dentro dos Limites Seguros. As rupturas fazem com que o mundo mude de forma repentinamente e os que não estão preparados podem perder-se para sempre. Durante uma violenta ruptura, Lan, uma garota que vive no clã de Sálvia, não resiste e acorda sozinha e sem mantimentos no meio do deserto. Logo a garota é resgatada, porém, por seu pior inimigo. Destemida e determinada a encontrar sua família, Lan percebe que a única forma de reencontrá-la e talvez encontrar uma cura para o Linde depende unicamente da aliança com um povo nada confiável.




Aqui temos mais um livro que relutei para ler, principalmente por ser mais um por dentro da modinha dos livros distópicos que tanto temos visto por ai, mas, quão feliz foi a descoberta através das páginas desta história.
A Estrela é uma história que se passa há séculos daqui, em um mundo que foi drasticamente modificado e se tornou muito instável, rupturas de terra muito extensas acabaram por separar as pessoas em clãs, grupos que estão sempre juntos nesses lugares cada vez mais isolados. A população já não é muito extensa, e a cada dia todos correm o risco de desaparecer, pois, com as instabilidade que faz essas rupturas surgirem, o mundo muda de forma rapidamente, e quem é pego desprevenido pode se perder em uma dessas rupturas.
É por isso que regras rígidas foram impostas, mas nem elas são o suficiente para garantir a segurança das pessoas. Quando um menininho se perde da mãe, Lan, nossa protagonista, corre para encontrá-lo, e acaba se deparando com um sequestrador, que, em verdade, era um Caminhante das Estrelas, uma pessoa que possui poder para caminhar entre as terras, atravessando os limites seguros; ao ser tocada, Lan sente uma dor intensa, confirmando o motivo das regras de que não se pode tocar um caminhante. Quando dá por si, ela está em seu clã com Ivar, o menino de quem ela foi atrás.
Mas os acontecimentos mal começavam...
Uma ruptura atinge o local onde estão instalados e Lan é atingida, quando acorda, ela se vê perdida no meio do deserto, sem saber como voltar para casa, nem encontrar seu clã, e não tendo consigo nenhum mantimento. Ela não demora a ser resgatada, o problema é que quem a resgata é o inimigo. O sequestrador.
Tudo que ela mais quer é voltar para sua terra, mas para isso vai ter de confiar nesse povo que é tido como inimigo, e assim ela acaba descobrindo mais do que jamais imaginaria.

O enredo de fato me surpreendeu. Um mundo tão bem desenvolvido pelos autores, e descrito com uma riqueza de detalhes que quase o faz se tornar real.
O ritmo do livro é rápido, com um evento ligando ao outro que acaba dando em outro e quando vemos, acabou o livro. Mas o ponto positivo foi algumas diferenças ao desenvolver uma distopia, que acabou criando um mundo completamente novo – e essa é a delícia de ser ler uma distopia, poder imaginar algo totalmente diferente, fora dos padrões e do comum a que estamos habituados, e foi exatamente o que os autores nos propiciaram.
O frustrante é que, com tantos livros tendo continuações a toa, esse que sim merecia mais uma história, foi livro único. A Estrela é um livro tocante quanto as emoções e sentimentos, impressionante quanto ao enredo e uma boa surpresa para você, que como eu, não possuía grandes expectativas quanto a história.


5 comentários:

  1. Concordo quando vc fala que alguns livros que deveriam ter continuação não tem, enquanto outros que não deveriam nem existir tem 5 continuações!
    http://contandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O livro me parece muito bom pra ler, confesso que me lembrei dos livros da Stephenie Meyer.

    ResponderExcluir
  3. acho esse livro bem interessante, ele tem uma capa muito bonita, e todas as resenhas que li tinham pontos que me chamaram atenção.

    ResponderExcluir
  4. oho adorei todas as resenhas que ja vi sobre esse livro, muito interessante, quero muito ler e tira minhas conclusões

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia este livro ainda e fiquei com muita vontade de fazer a leitura. Confesso que a sinopse não me agradou muito, mas sua resenha me motivou a ler. É uma pena que não tenha continuação.

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo