Oksa Pollock e a Floresta dos Desgarrados

17 janeiro, 2013

Atenção! Essa resenha pode conter spoilers do primeiro livro Oksa Pollock e o Mundo Invisível!



Em Oksa Pollock e a Floresta dos Desgarrados, nossa heroína está um pouco mais velha e preparada para o que virá, mas ainda não sabe todos os segredos sobre sua família. O desaparecimento de seu melhor amigo, Gus, pode ser a chave para que ela venha a descobri-los. Ele simplesmente se evaporou esta manhã em algum lugar próximo a St. Proximus, a magnífica escola em que ambos estudam, em Londres. O celular do menino, no entanto, ficou jogado no chão de uma sala de aula. Na memória do aparelho, há a foto embaçada de uma mulher. Uma mulher de rosto estranhamente familiar. Ciente dos poderes que descobriu no livro anterior, Oksa sabe que para encontrar seu amigo terá de deixar a segurança de sua escola em Londres e mergulhar num mundo paralelo onde a magia e o medo caminham de mãos dadas. Felizmente, ela pode contar com os atrapalhados, porém prestativos Foldingodos em sua jornada. Mas quando chegar a hora de penetrar na perigosa Floresta dos Desgarrados, nenhuma ajuda será suficiente. Oksa terá de buscar as forças dentro de si e se preparar para o confronto definitivo, no coração de dois mundos.




Pelo que relatei na resenha do primeiro livro da série, não é de se estranhar que eu não estava exatamente empolgada para ler a continuação dessa série, mas como estava aqui, resolvi dar uma chance. E apesar de ainda manter um pouco da infantilidade do primeiro livro, nesse segundo volume Oksa está um pouco mais velha, mais madura, e isso reflete na história, que acabou sendo menos infantil que o primeiro livro e, assim, de uma leitura mais agradável.

Nesta história Oksa tem de lidar com o desaparecimento de Gus, seu melhor amigo e companheiro em suas aventuras; ele sumiu no colégio onde eles estudam deixando para trás um celular com a foto de uma mulher que não é uma completa desconhecida para a família Pollock.

Disposta a tudo para trazer seu melhor amigo de volta, Oksa mergulha em aventuras em um quadro, como retrata a capa do livro, mas que estão longe de serem simples. Mistérios envolvem a floresta dos desgarrados e enquanto busca por Gus, Oksa vai acabar descobrindo ainda mais sobre sua família.



Apesar do amadurecimento dos personagens em geral, esperava um pouco mais do livro, que foi ficar realmente empolgante só mais para o final.

A história de Oksa se passa em um universo construído pelas autoras, e pensei que agora saberíamos mais sobre ele, no entanto, a história focou muito mais nas aventuras dentro da floresta (faz sentido, é claro!) e dos perigos mortais que Oksa e seus amigos tinham de enfrentar, por isso achei um pouco frustrante.

O ponto é que, com o final surge muita expectativa para o terceiro livro da série e, pelo que tenho acompanhado, a história cresce com o passar dos livros, então acredito que o terceiro possa realmente ser muito bom!


5 comentários:

  1. uau essa capa ficou linda adorei !

    ResponderExcluir
  2. Me pareceu muitoo bom.. cheio de mistério.. aventura.. curti..

    ResponderExcluir
  3. A capa do livro realmente é linda!!
    Mas não costumo ler resenhas positivas dos livros dessa série. Me parece que as pessoas esperam muito e não encontram nada. :(
    Que bom que ele se mostrou melhor do que o primeiro!!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Como estou ansiosa para ler a continuação de Oksa! *_*

    ResponderExcluir
  5. a capa me parece ser muito interessante

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo