Amor Contra o Tempo (Hourglass #1)

08 janeiro, 2013

"Emerson Cole sempre achou que algo estava errado com ela. Quando passou a ver pessoas deslocadas da realidade - que eram, na verdade, projeções do passado - e que, ao tentar tocá-las, elas desapareciam como fumaça, Em teve certeza. E então vieram os remédios, a depressão, o colégio interno. Agora que seu período no internato chegou ao fim e ela está de volta ao lar, Emerson vê sua sensação de paz prestes a desmoronar. Alguns fantasmas não estão mais desaparecendo com um simples toque. E com a chegada de Michael Weaver, o consultor de uma misteriosa organização que promete ajudá-la a se libertar dessa condição, um simples toque poderá condicioná-la a algo ainda mais perigoso: a paixão."

Emerson tinha começado a ver “fantasmas” há pouco tempo, e seus pais, um pouco com medo do que aquilo era, e querendo tirar a filha da cidade, resolveram fazer uma viagem. Mas o que ninguém esperava era que naquela viagem o pior pudesse acontecer: os pais de Emerson morreram.

Somando a culpa pelo que tinha acontecido com seus pais aos “fantasmas” que estava vendo, acabou sendo muito para Emerson aguentar, entrando em depressão, e sendo internada logo após.

Depois de algum tempo com terapia, mais remédios, ela conseguiu superar um pouco do que aquela lembrança causava, mas o suficiente para que conseguisse voltar a ter uma vida próxima ao normal. Foi então que surgiu uma bolsa de estudos, para um colégio interno. E, como ela não se dava muito bem no antigo colégio dela, resolveu aceitar. E assim, passou os dois anos seguintes naquele colégio, até que sua bolsa foi cortada, e sem opções restantes, voltou a morar com seu irmão e a cunhada, Thomas e Dru.

O problema era que Thomas é restaurador, e prédios antigos realmente não combinavam com Emerson, principalmente porque tinha deixado de tomar seus remédios, e assim, começava a ver esses “fantasmas” novamente, o que, em um “cenário”/edifício antigo, ajudava bastante a tornar essas aparições cada vez mais comuns. Foi assim que, depois de ter visto mais uma vez essas pessoas do passado, que seu irmão resolveu intervir novamente e contratar alguém que pudesse ajuda-la. E assim, ela conheceu Michael.

Michael era um universitário, mas trabalhava para a Hourglass, uma empresa que trabalhava apenas com esse tipo de pessoas que tem esses “dons especiais”. Sua parte era de consultoria e aconselhamento, mas ao conhecer Emerson, houve uma química muito grande, e ele sabia que com isso, tudo o que ele esperava e que ela conhecia estava prestes a mudar.

Eu sinceramente achei que o livro não fosse me agradar muito, mas então, no primeiro parágrafo do livro já menciona que o irmão da protagonista era um restaurador, e aí me ganhou na curiosidade. Sei que é um fato super aleatório, e que pra muitos deve ter passado despercebido, mas o fato é que o livro primeiramente me atraiu por causa disso, rs.

Enfim, o livro traz uma trama envolvente sobre viagem ao passado e ao futuro, e o jeito que a autora traz esse tipo de ficção YA é realmente criativo, interessante e único. No início da história eu sinceramente, não sabia que ia dar no que deu, e acontecer o que aconteceu, então, com certeza, é um ponto positivo pro livro. Mas, ao mesmo tempo que eu achei interessante o modo como ela (a autora) abordou esse tema, também achei que faltou algo, sabe? Como se as coisas acontecessem muito fácil e rápido demais, o que de fato não me agradou muito, e acabou perdendo uma estrela. Acho que ela poderia ter trabalhado um pouco mais nas “dificuldades” que os outros teriam pra chegar àquele final, e também, acho que ela poderia ter começado a contar a história um pouquinho antes, sei lá, quando a Emerson estava no hospital, não sei. Só achei que ela realmente poderia adiar um pouquinho mais os acontecimentos, pra ter aquele gostinho de “finalmente isso vai acontecer!”.Mas ainda assim, com prós e contras, é um livro muito bom, que foge dos clichês atuais (principalmente os distópicos que estão super na moda agora), e que vale a pena ser lido!

E é isso!
Espero que tenham gostado.
Beijos :*
Thayná.



9 comentários:

  1. Eu vi esse livro com a capa em inglês, e confesso que não entendi como foi essa tradução do título. Coisa doida!!
    A história parece ser bem legal! Mas acredito que tenha cara de: mais do mesmo. Ou estou enganada?
    Vi que você disse que ele foge um pouco do habitual. Acho que estou precisando de um livro que me arrebate. ahauhauhaua

    bjus

    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Inicialmente eu achei a capa muitoo linda.. então compraria só pela capa, mas com a resenha, acabei gostando um pouco mais da história.. acho que nunca li um livro neste estilo.. a personagem vê fantasmas,ou não lembro se li.. deve ser interessante.

    ResponderExcluir
  3. essa resenha esta otima incrivel

    ResponderExcluir
  4. Oi Carol! Então, eu reafirmo: Ele sim foge um pouco da habitual, mas, ao menos pra mim, não foi um livro arrebatador :/

    ResponderExcluir
  5. Quero muuuuuto ler esse livro *_*

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a resenha, me deu muita vontade de ler esse livro

    ResponderExcluir
  7. Que legal que voce gostou!!! Mas acho que a traducao deve ter perdido muito dos comentarios sarcasticos da Emerson, assim como aconteceu em Mortal Instruments com o Jace.

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha! Já tinha ouvido falar, mas não consegui focar em algo que me chamasse atenção! Agora quero na minha bookshelf! *_*

    ResponderExcluir
  9. a resenha esta otima, eu adorei a capa, muito linda ! tem detalhes belos

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo