Lady Almina e a Verdadeira Downton Abbey

20 dezembro, 2012

        O castelo de Highclere, na Inglaterra, é o cenário principal da série de televisão Downton Abbey, ambientada no início do século XX. Na vida real, foi a moradia de lady Almina, a quinta condessa de Carnarvon e herdeira do banqueiro Alfred de Rothschild. Sua fortuna assegurou a sobrevivência da propriedade e ajudou a financiar as escavações da tumba do faraó Tutancâmon.
        A partir de registros em diários, cartas e fotografias, sua atual sucessora, lady Fiona, faz em Lady Almina e a verdadeira Downton Abbey um retrato de uma corajosa mulher que, além de bela e rica, teve participação na vida política de seu país e tornou-se a mais célebre moradora do Castelo de Highclere.


         Bom, eu resolvi ler esse livro mesmo por causa da série Downton Abbey, que tem feito muito sucesso, e eu com certeza já sou fã! Então, quando recebi o e-mail da intrínseca dizendo que eles estariam lançando esse livro fiquei bem empolgada, porque, apesar da série de TV ser muito boa e de uma qualidade que eu nunca havia visto antes, eu sempre tive curiosidade de saber um pouco mais sobre a história da “verdadeira” Downton Abbey, mas ainda assim, de início, eu fiquei meio indecisa se pedia ou não, porque às vezes, as histórias e livros de não-ficção e/ou biografias são meio parados, monótonos, ou até superficiais e secos demais, se tornando pouco atrativos pra mim, ao menos. Mas a verdade é que descobrir o que se passou naquele castelo me entusiasmava muito mais do que o receio quanto ao estilo do livro.

          Esse livro fala sobre o Castelo de Highclare (nome real da “Downton Abbey”), e foca principalmente na história de Lady Almina, filha ilegítima de Alfred Rothschild, que tornou-se a Quinta Condessa de Carnarvon. Escrito pela atual condessa, Fiona Carnarvon, descreve detalhadamente os acontecimentos que antecederam o casamento de Lady Almina com o Conde, passando pela mudança do casal à Highclare, a descoberta do Conde em uma viagem ao Egito, e as atividades que foram exercidas em Highclare durante os anos da guerra.


          A família Rothchild tinha muito dinheiro, no entanto, Alfred de Rothchild nunca se casou, mas gostava muito de sua única filha, Almina. Quando Almina entrou na “temporada de casamento” – idade ideal em que as garotas debutavam, e eram convidadas para outros bailes de debutantes a fim de atrair a atenção de algum moço, ou até mesmo homem da sociedade, e por fim arranjar casamento – , Alfred fez com que ela arranjasse um bom casamento, onde não só estaria bem casada, mas também bem cuidada. E bem casada ela foi – em um dos bailes de debutantes que frequentou, Almina chamou a atenção de George Herbert, quinto conde de Carnarvon. Quando eles se casaram, Lorde Carnarvon elevou o status social de Almina, enquanto que o dinheiro de Almina ajudou a garantir o futuro não só do Castelo de Highclere, mas da família também.

          Nunca faltou dinheiro para Lady Almina, e logo após a mudança para Highclare, passou imediatamente a trabalhar como uma esposa da alta sociedade, tornando Highclere a “jóia da coroa” dentre as casas Edwardianas. Foi fascinante ler sobre todas as visitas reais, os convidados da alta sociedade – e até superiores –, além de bailes e jantares que ocorriam na casa; e também sobre como as coisas funcionavam abaixo das escadas, ou seja, na ala dos criados.

          Já o Lorde Carnarvon levava uma vida muito interessante.... Ele era um aventureiro por excelência, e navegou mundo afora, vivenciando coisas que a maioria das pessoas só leem nos livros. Ele viu óperas italianas na Argentina, participou de safaris africanos, e mais famosa de todas: escavou no Egito. Lorde Carnarvon era o financiador e parceiro de Howard Carter e ambos descobriram a tumba de Tutancâmon.

          A família de Carnarvon e Almina também ajudaram durante a Primeira Guerra Mundial, deixando o castelo de Highclare como uma instalação para os cuidados médicos e reabilitação de soldados feridos durante a guerra. Foi assim que Almina descobriu que sua verdadeira vocação era a enfermagem, e justamente quando o país mais precisava de ajuda. Alfred de Rothchild, pai de Almina, ajudou-a a financiar a conversão de Highclere em um hospital da guerra. Almina fez todos os esforços possíveis para ajudar os soldados a se recuperarem, seja por estado de saúde ou psicológico, sendo assim, um exemplo para outras famílias abastadas da nobreza, para fazer tudo o que podiam para o bem de seus guerreiros.


          Por fim, o que tenho a dizer é que a história é um relato fascinante de como uma grande propriedade é organizada, com criados e tudo mais, e as atividades que eram feitas/organizadas pela família proprietária, além dos bailes e outras grandiosas atividades que lá ocorriam. Apesar de muito fascinante, e realmente uma história incrível, achei só que faltou um toque “pessoal” na história. Ela é muito boa, mas acho que a questão de não haver diálogos me incomodou um pouco. Confesso que quando li a sinopse do livro, pensei que seria realmente os relatos diretos de um diário da Lady Almina, e que pudéssemos vivenciar as emoções que ela sentiu em cada estágio de sua vida. Por isso, achei que o livro careceu um pouco quanto à transmitir emoções ao leitor. Mas como um livro não-ficção e meio biográfico, achei muito bom, qualidade excelente, e que merece ser lido, principalmente pelos fãs de Downton Abbey.



E é isso!:)
Espero que tenham gostado...
Beijoos :*
Thayná.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro nem a série e confesso q tenho um pré-conceito sobre livros históricos e raramente os leio, e esse não me chamou a atenção.

    ResponderExcluir
  3. para quem gosta desse tipo de leitura a resenha ficou interessante

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo