A Canção do Súcubo - Georgina Kincaid #1

14 julho, 2011


Quando se fala de empregos no inferno, ser um Súcubo parece bastante glamuroso. Uma garota pode ser qualquer coisa que ela quiser, o guarda-roupa é de matar e homens mortais farão qualquer coisa por apenas um toque. Claro, eles geralmente pagam com suas almas, mas por que ser tão técnico? Mas a vida da Súcubo de Seattle Georgina Kincaid é muito menos exótica. Seu chefe é um demônio de médio escalão com uma queda por filmes do John Cusack. Seus melhores amigos imortais (ou melhores amigas …) ainda não pararam de provocá-la por causa da vez em que ela se transformou na Deusa Demônio, completa, com chicote e asas. E ela não consegue ter um encontro decente sem sugar parte da vida do cara. Ao menos ela tem seu emprego diário em uma livraria local – livros de graça; Todos os mochas de chocolate branco que ela conseguir tomar; e acesso fácil ao sexy escritor de bestsellers, Seth Mortensen, aka Aquele por Quem Ela Daria Tudo Para Tocar mas Não Pode. Mas os sonhos sobre Seth vão ter que esperar. Algo estranho está acontecendo no submundo demônio de Seattle. E, dessa vez, todos os seus charmes e cantadas de cair morto não vão ajudá-la porque Georgina está para descobrir que há algumas criaturas que tanto Céu quanto o Inferno querem negar…

Há séculos atrás Georgina foi uma humana, com outro nome, em outra época, em outro lugar, e com outros sentimentos. Sentimentos esses que a levaram a cometer uma loucura, e que depois dominada pela culpa a fez aceitar qualquer coisa para mudar a situação... Foi assim que entregou sua alma em troca da imortalidade, em troca de se tornar uma súcubo e espalhar entre os homens um certo caos ante sua presença.
É difícil resistir a uma súcubo, assim como para Georgina é difícil resistir a alguns homens, mas ela fez a sua escolha: não se envolver com homem nenhum por quem possa nutrir algum sentimento, pois quando beija um homem acaba por consumir um pouco de sua energia vital, e ela não queria prejudicar ninguém. Até então ela estava bem com esse pensamento, até conhecer Seth Mortensen, um escritor incrivelmente talentoso, responsável pelas melhores histórias que ela já leu e que é incrível como pessoa; e Roman, um homem que entrou por acaso em sua vida e acabou querendo ficar.
O curioso na história de A Canção do Súcubo é que não se trata apenas das criaturas sobrenaturais de sempre, é uma mistura muito bem feita de várias dessas criaturas vivendo na sociedade de Seattle, entre eles um duende, vampiros, anjos, demônios e a súcubo de temperamento difícil, Georgina. Temperamento esse que a colocou em uma grande confusão: imortais estão sendo mortos, o que a pega de surpresa, e sua surpresa só aumenta quando desconfiam que ela pode ter algo a ver com essas mortes.
Buscando limpar seu nome e entender o que de fato está acontecendo, Georgina sai em busca de respostas, entrando num joguinho que parece em muito divertir o assassino.

A Canção do Súcubo trata de um jeito muito bem desenvolvido a relação entre vampiros, demônios, anjos, súcubos e duendes e o que cada um é e tem como responsabilidade. Georgina é direta, não tem papas na língua nem vergonha, adora flertar e fazer piadas. Enquanto no outro lado está Seth, com seu jeito tímido e de poucas palavras faladas, e Roman, que é um verdadeiro galanteador.
Richelle Mead cria os imortais de seu jeito, com um toque de criatividade particular dela, trazendo a história de Georgina sendo relacionada com o que a levou até ali e como seguir em frente. Tem momentos de suspense e faz você ficar cativa do joguinho que o assassino vem fazendo, até por fim ser revelado.
Esse é o primeiro volume da série, e acaba te deixando com um gostinho de quero mais!


10 comentários:

  1. Sou suspeita para falar desse livro..eu realmente adoro a coleção e até hoje só não me empolguei mto com um volume. Mas Georgie é demais. Ela tem um humor as vezes sórdido que a torna cativante..além de Carter se o anjo mais bizarro que eu já li a respeito.
    Simplesmente uma ótima série para mim!
    Bjss

    ResponderExcluir
  2. Virginia4:37:00 PM

    Eu amo essa série é a minha favorita da Richelle.

    O ruim desse livro é a tradução, na verdade Hugh não é um duende, ele é um IMP, porém na hora da tradução não sei onde ela arranjou esse duende.
    Recomendo a leitura desse livro em inglês.

    Adorei a resenha

    bjus

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2:14:00 AM

    Nome: Russara

    OBS.: TENHO PROBLEMAS COM AS MINHAS CONTAS, POR ISSO LHE ESCREVO "ANÔNIMAMENTE". ME DESCULPE.

    Comentário: Bem interessante esse livro ;) gostei (y)

    ResponderExcluir
  4. Adoro a Richelle. Esse livro já está na próxima lista de compras, junto com Aura Negra e Filha da Tempestade. A Richelle está se dedicando mesmo ao mundo sobrenatural... bom para os leitores, não?

    Adorei a abordagem dos súcubos. Não conheço outro livro que já o tenha feito. Isso faz de A Canção do Súcubo uma obra criativa e interessante. Estou louca para lê-lo!

    Boa resenha. Transmitiu a essência do livro e despertou (ainda mais) minha curiosidade.

    Beijos,

    Fátima Menezes - @fatimamd
    http://recantodecaliope.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. eu acho essa capa meio macabra HAHAHA vejo todo mundo louco pela Richelle mas ainda não li nenhum livro dela, e tbm não curto essa tematica

    ResponderExcluir
  6. Eu ja tinha posto um comentario aqui ! Que coisa ! Bem eu ja tentei compra esse livra mas na primeira vez tava um pouco caro de mais e a segunda vez não tinha mas o livro ! Que coisa ! Otima resenha ! Beijos !

    ResponderExcluir
  7. Que capa é essa? Nossa, que estranho HUHAUHAUHAUHu
    Parece ser bem legal (=

    ResponderExcluir
  8. Não gosto da capa mais a estoria supera...acho que deve ser um ótimo livro...

    xoxo

    ResponderExcluir
  9. o livro é super, vale muito a pena!

    ResponderExcluir
  10. A primeira série que li da Richelle foi Academia de Vampiros e eu simplesmente me apaixonei, até hoje releio os livros sempre que possível e me apaixono mais e mais e mais, sempre vejo algo novo que não notei a principio. Em Georgia Kincaid não foi diferente, esta série me atraiu primeiro pelo fato de que a Richelle escreve maravilhosamente bem, depois por eu nunca ter lido nada sobre Súcubos, a única coisa que eu sabia sobre esse ser era que era um demônio que invade os sonhos seja de mulheres ou de homens para ter relação sexual com eles e lhes roubar sua energia vital, havia visto isto em um seriado, mas fora algo rápido, sem muitos detalhes. No livro a espécie é um tanto diferente.
    Achei interessante a Richelle presentear seus leitores com algumas cenas sobre o passado de Georgia, normalmente quando se fala sobre o passado de algum personagem eles são citados na fala do próprio, ele mesmo contado, não li muitos livros em que as cenas passadas são mostradas.
    Eu sou simplesmente apaixonada por esse mundo sobrenatural e agradeço imensamente a Laura (blogueira do Every Little Book) por me indicar esta série maravilhosa, agora realmente não sei mais viver sem ela, será mais uma que vou reler sempre que possível.

    Blog: http://worldbehindmywall.fanzoom.net/
    Twitter: https://twitter.com/Blog_WBMW

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo