Cidade da Penumbra

16 março, 2011



Bem-vindo à cidade da penumbra! Todos tem direito à Beleza, à Juventude, ao Conforto Mínimo. Syd Paradyne, tira da série B, barba de dois dias, alcoólatra, investiga o suicídio de um obeso. O sol não aparece há muito, muito tempo. A corrupção reina. Aparece uma garota linda e estigmatizada. Blue tem os olhos azul-metálicos e segredos inconfessáveis: é uma possibilidade de amor em um mundo sem esperanças. Nessa sátira a uma sociedade utópica baseada na premissa da felicidade obrigatória, em uma atmosfera de policial noir, Lolita Pille faz referências a pesos-pesados da ficção científica, como George Orwell [...] Cidade da penumbra é um retrato muito bem-acabado do consumismo e do endividamento bancário, do uso indiscriminado de remédios e drogas e da ditadura da felicidade a qualquer preço. Ao lidar com esses temas que já assombram o presente, a autora cria polêmica e aborda o totalitarismo, o racismo, a desinformação, a vigilância big brother, as cibertecnologias e assim, mais uma vez, desafia convenções.

Bem vindo a Cidade da Penumbra, um lugar onde o sol não aparece mais, tudo é vigiado e tecnologicamente programado. Um lugar que foi criado e monopolizado, onde todos possuem rastreadores e o sistema sabe o que você vai fazer, onde ninguém envelhece devido as maravilhas da cirurgia plástica, todos têm mais idade do que aparentam e vários já perderam muitas de suas características devido a isso, não há mais rostos individuais, depois de muitas cirurgias muitos acabam criando semelhanças com vários outros.
É nesse lugar que sentindo que a vida não tem mais sentido, todos o controlam, todos o observam então não lhe resta mais que comer e esperar pela morte – é no relato de um suicídio que a história começa a se desenvolver.
Um apagão fez com que o caos se instalasse na cidade, e assim ninguém pode ir ao socorro de um obeso chamado Colin. Era esse suicídio que Syd deveria ter evitado, esse e outro anteriormente em sua carreira, e quando Colin é encontrado morto, para Syd a situação se agrava.
Em um mundo regrado, permitir que tal fato ocorra é um desrespeito, afinal os rastreadores servem para isso, todo o sistema foi criado para que você encontre alguém, tenha seu trabalho, siga em frente e futuramente não queira mais abandonar essa vida. As drogas estão liberadas e desde que você se mantenha na linha ninguém vai incomodá-lo.
Mas com Syd as coisas não correram como deveria, ele sabe muito e presenciou diversos fatos que o fizeram se revoltar contra o sistema; e quando Blue Smith aparece, sua vontade de ir contra tudo que foi criado ali só aumenta, fazendo-o embarcar em uma viagem de muitas descobertas, e talvez até de seu próprio fim.
Afinal quando se sabe demais, você acaba se tornando uma ameaça.

A bem da verdade é que a história possuía, realmente, um tema interessante e instigante, há suspense e mistério, e eu como fã das histórias da Lolita mal podia esperar para ler. Mas a impressão que essa história me deu foi de que faltou algumas partes, o que faz o texto algumas vezes se tornar confuso, o que faz com que se tenha de prestar muita atenção para não se perder na própria história – e na minha opinião isso as vezes é chatinho.

10 comentários:

  1. Você não foi a primeira a dizer que o texto, em alguns momentos, é um tanto confuso e que se perdeu na leitura.
    Eu nunca li nada dessa autora, mas estou curiosa para conhecê-la. Ainda assim, acho que não irei começar por esse livro não...

    ResponderExcluir
  2. Confesso que este tipo de leitura com um misto de ficção científica não me agrada muito, apesar de eu ter me surpreendido com Jogos Vorazes, mas vc como fã se frustrou então provavelmente nã vai entrar na minha listinha, quem sabe no futuro rss.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Nossa achei bem confusa a historia, me perdi na sinopse comofas?? haha

    ResponderExcluir
  4. Virginia de Oliveira10:35:00 PM

    Será que não foi esse livro que deu origem ao filme cidade das sombras? Porque quando estava lendo essa resenha eu vi diversas semelhanças, não fiquei muito interessada nesse livro depois do que li o que você escreveu.

    ResponderExcluir
  5. só li ate agora Bubble Gum da autora, ela é bem criativa mas a escrita intensa (e as vezes confusa) me desgastou bastante. muito bizarro essas distopias, agora sempre lembro de "1984" do George Orwell. deve ser um bom livro esse o dela (:

    ResponderExcluir
  6. Li a resenha olhei pra capa do livro mas não me conquistou muito ! Eu particulamente gosto de outros generos ! Bem acho que esse eu deixo passar ! BEIJOS !

    ResponderExcluir
  7. O livro não me interessou muito não....
    Adorei sua resenha (=

    ResponderExcluir
  8. Nunca tinha ouvido falar desse livro. Mas não me interessei. Mas a capa é lindissima!

    ResponderExcluir
  9. Conheço a autora e ela é super talentosa os livros dela são fantásticos e esse não parece ser diferente...Adorei a resenha...parece ser um ótimo livro

    xoxo

    ResponderExcluir
  10. tdas as obras dela é otimo, a autora é perfeita!

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo