Devoção

23 fevereiro, 2011



Nascido com uma tetraplegia espasmódica, Rick Hoyt foi desenganado por vários médicos, que aconselharam seus pais, Judy e Dick Hoyt, a internar seu primogênito em uma clínica. Mas os pais de Rick recusaram-se a tomar essa medida. Determinados a dar ao filho todas as oportunidades oferecidas a uma criança considerada “normal”, incluíam Rick em tudo que faziam, especialmente com os outros dois irmãos, Rob e Russ. Mas uma coisa é dentro do seu lar, o vasto mundo é outra coisa. [...] Conhecidos em todo o mundo e carinhosamente chamados de a Equipe Hoyt, permanecem cada vez mais dedicados, inspirando milhões e incorporando em todo o seu lema e marca registrada: “Yes, you can!” (Sim, você pode!)

Tenho que confessar que no dia que recebi um email da Novo Conceito avisando que estavam mandando para mim dois exemplares de Devoção, pensei “okay”, mas nem sabia do que se tratava a história, achei que era mais um livro estilo Nicholas Sparks, ou algo semelhante, então pensem na minha surpresa ao ver que era quase uma história autobiográfica (é em parte!). Logo pensei “puts!”, mas como o livro já tinha sido enviado, resolvi que ia ler e fazer a promoção do outro exemplar no blog... Quando chegou eu encarei a capa por alguns dias até ter coragem de ler, e ninguém tem ideia da minha surpresa ao me ver cativa da história logo nos primeiros capítulos.
Dick sempre foi um cara de “sorte”, ele era um atleta, muito bom por sinal, as garotas o adoravam e sua namorada era líder de torcida – como um americano pode esperar algo melhor? Ele se formou, se casou, e eis que a vida deu um giro quando Judy engravidou. Mas sempre sentindo o bebê mexer na barriga dela, Dick já podia imaginar como seria ter um filho, estava extasiado pela experiência de ser pai pela primeira vez e sonhava com seu futuro atleta... Então como agir quando, depois de uma complicação no parto, ficou claro que seu bebê não era como os outros?
Levou meses para o diagnóstico ser dado, e em uma época que crianças deficientes não eram vistas em qualquer lugar, Dick e Judy ficaram chocados ao descobrir que por ter ficado sufocado pelo cordão umbilical na hora do parto, seu menino, o pequeno Rick, sofria de tetraplegia espasmódica, o que significava que ele não tinha controle de nenhum dos membros, que não falaria e seu desenvolvimento não seria como o de uma criança normal... Melhor definido pelos médicos como vegetal.
Na época bebês deficientes eram levados para institutos apropriados e esquecidos pela família, esse foi o conselho que o médico lhes deu, esquecer que Rick um dia havia nascido e seguir em frente, afinal o risco de que outro filho deles sofresse desse problema era de um em um milhão.
Mas como um pai e uma mãe apaixonados pelo bebê que tinham, foram incapazes de largar Rick em um lugar desses... Foi então que a batalha começou. Na época em que nasceu, 1962, os conhecimentos eram escassos e as limitações a qualquer deficiente eram enormes, mas Rick, ao seu modo, sempre se mostrou um garoto inteligente, ele podia controlar suas vontades, sempre sorria e quase não chorava.
Assim começa a história de Devoção, onde Dick conta desde a alegria do nascimento de seu primeiro filho até suas conquistas mais especiais, frisando o momento em que a vida deles mudou: quando Rick pôde “falar” através de um computador criado e adaptado para ele, e pediu para Rick participar com ele de uma maratona beneficente, em prol de um atleta que havia ficado tetraplégico depois de um acidente jogando lacrosse.
No momento em que disse “sim” para participar dessas corridas junto do filho, a vida de Dick mudou, fazendo-o deixar de ser um adulto sedentário, passando a correr e se preparar para as aventuras que viriam. Mas mais do que as maratonas que Dick e Rick correram juntos, formando a Equipe Hoyt, Devoção é a história de uma família que aceitou seu filho deficiente e lutou com tudo que podia para fazê-lo ser aceito em escola, na faculdade, para que Rick pudesse se comunicar e participar de maratonas.
Definitivamente essa é uma grande história de superação, que conta como uma dupla de pai e filho que decidiram correr em maratonas passaram mudando muito na história dos deficientes, abrindo portas para os que sofrem de qualquer deficiência, fazendo-os se sentir incluído na sociedade, e mostrando que quando se quer, se pode.

“Como qualquer coisa que a vida nos oferece pode ser mais difícil do que ele tem que enfrentar todos os dias?”



Beijooos :*

12 comentários:

  1. Adorei sua resenha, eu não tenho nada contra livros desse tipo, adoro lê-los, aprendo muitas coisas com eles...

    Mil beijos.
    @mariaclarabruno
    www.thecoffeesandbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu já tinha visto uma matéria da história desses dois no Fantástico. Chorei litros quando vi a história - é linda, uma lição de vida mesmo!
    Quando vi que esse livro tinha saído achei o máximo =) Tenho muita vontade de ler!!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, parece ser super interessante, principalmente para mudar um pouco desses livros só de romance que são otimos mais não faz mal para diversificar de vez em quando. Parece ser uma otima opção.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo o livro! Gente, emocionante... fiquei arrepiada! Não costumo muito ler livros desse estilo, mas achei muito interessante a forma como escreveu a resenha =)

    ResponderExcluir
  5. Por mais que ache que deve ser correto "gostar" desse livro não rola =/ Não curto esse clima de pessoa sofredora se superando sabe? Acho muito deprimente =/

    ResponderExcluir
  6. Estou com este livro na estante para ler, mais tem outros na frente =D Depois da sua resenha fiquei com vontade de ler.

    Bjkssssssss

    ResponderExcluir
  7. Virginia de Oliveira11:57:00 PM

    Tenho muita vontade de ler este livro, além de ser uma história real, deve ser bem emocionante. Valeu pela dica de leitura, fiquei emocionada só de ler a sinopse e a resenha. Ele deve ser muito bom.

    ResponderExcluir
  8. esses livros de superação são ta impressionantes e emocionantes! ainda mais se tratando de uma historia real, o jeito é preparar os lencinhos :')

    ResponderExcluir
  9. Esse livro parecer se muito legal ! Mas acho que não vou ler , costumo chorar com esses tipos de livros ! E eu costumo soluçar ! Por isso eu nego este livro mas não porque a historia é ruim é porque eu vou chorar !

    ResponderExcluir
  10. A história parece mostrar uma vida de superação, e por um lado, me deixa feliz e triste ao mesmo tempo, triste por saber que este homem não terá uma vida como qualquer outra, e feliz por saber que ele está feliz, que ele está superando.
    Alyne,
    www.livrosedesejos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Não é o tipo de livro livro que eu goste ou que eu leria! D:

    ResponderExcluir
  12. Parece ser uma historia bem triste...acho que por isso não leria...

    xoxo

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo