Samantha Sweet - Executiva do Lar

20 abril, 2010

Terminei de ler! Tcharã! Samantha Sweet – Executiva do lar é o livro da vez, e acho que o primeiro que eu li por ser indicado por um blog. O primeiro de muitos, espero :D (indicado pelo @librosdiamore)

Mas além de tudo, resolvi ler esse livro porque, dando uma olhada na lista dos livros que eu já li esse ano, ela se resume basicamente à Vampiros (em 1º lugar, com quase 80% dela), Anjos, e livros de vestibular. Então, decidi ter uma leitura um pouco mais normalzinha, sabe? Como se o que está escrito no livro possa realmente acontecer na vida real. E aqui está, pra vocês, Samantha Sweet – Executiva do lar :D


Sinopse: “Samantha Sweet é uma jovem e dinâmica advogada corporativa, dividida entre contas e clientes, sem tempo para nada além da carreira. Relacionamentos? Só com seu blueberry, última geração. Em Samantha Sweet, Executiva do Lar, Sophie Kinsella faz uma divertida crítica à pressa - e às pressões - da vida moderna.”
(PS: Odeio sinopses curtas!)



Então, comecei a ler esse livro depois de ler a resenha de uma amiga no skoob. Ela falava que tinha amado e que tinha rido(?) um monte, então decidi ler. E amei.
No início, eu meio que fiquei com preguiça de ler, confesso. E depois também, bem no início, quando a Samantha passa o aniversário dela com dois BlackBerry me deu vontade de chorar, #fato.
E depois, quando ela percebe que fez uma burrada, e foge me deixou meio incomodada, sabe? É que eu não costumo fugir quando erro. Eu normalmente fico, e tento reparar os danos, então aquilo foi meio diferente pra mim.
Mas realmente, ADOREI o livro! É muito bom, e de fácil leitura. Confesso que só não li mais rápido por causa de preguiça, e por causa das minhas aulas de inglês e espanhol de tarde. Mas recomendo esse livro um monte, principalmente se você quer dar umas boas risadas.
E além de tudo, o livro levanta aquela questão: Executiva de sucesso, sem tempo para nada, ou Empregada doméstica, mas com tempo para tudo e finais de semana livre? Sucesso ou sossego?
Outra questão polêmica que o livro levantou foi sobre a mulher atual: executiva. Se hoje, nós, mulheres, devemos ficar em casa cuidando de tudo, ou trabalhar e ter sucesso profissional. Acho que essa é uma questão de opinião, e com certeza vai de pessoa pra pessoa. Eu, particularmente, não tenho o mínimo dom pra limpar e arrumar a casa, e acho que "funcionaria" melhor trabalhando fora. Mas como eu já disse, vai de pessoa pra pessoa, e não é só porque uma pessoa resolveu escolher aquilo, que as outras têm que escolher, certo? :D

Falando sobre o livro:
Samantha é uma advogada corporativa muito atarefada em seu trabalho. Ela tem tantas coisas pra fazer, que chega ao cúmulo de planejar sua vida/seu dia de seis em seis minutos. “Seis minutos para atender um cliente, seis minutos para revisar um contrato,...” E assim, com sua vida a mil por hora, ela espera que depois, seja recompensada sendo convidada a ser sócia da empresa, cargo de maior prestígio no campo, e com salário nem um pouco ruim.
Mas então, após um erro que comete, fazendo a empresa perder 50 milhões de libras, ela entra em estado de choque, e começa a andar, sem rumo. Ela acaba em uma casa em Gloucestershire, onde a confundem como a nova empregada.
Ela decide levar isso adiante, não revelando a ninguém que é advogada, e em vez disso, finge ter estudado em uma das escolas mais importantes de culinária do país.
Na casa, ela tem como serviço lavar, passar, cozinhar, limpar. E após algum tempo, e com ajuda da mãe de Nathaniel, o jardineiro super-hiper-mega-gato, ela acaba aprendendo a fazer tudo isso, e acha que sua vida está perfeita, do jeito que está.
Mas será que está mesmo? E quando os patrões descobrirem que ela não é uma chef formada de verdade? E quando eles descobrirem que na verdade ela era uma advogada bem sucedida em Londres, e que fez a empresa dela perder 50 milhões de libras? E Nathaniel? Como fica o romance entre eles, já que ele não suporta advogados?

Pra saber isso meus queridos, vocês tem que ler o livro! :D
(adoro deixar as pessoas morrendo de curiosidade pra ler um livro, #fato).

Agora, só pra dar mais um pouquinho de vontade, vou deixar uns “quotes” do livro (: Quem quiser ler o livro, e não ler SPOILER, BACK OFF!

“- Sem dúvida! - digo agarrando-me com alívio a essa desculpa. - Claro! Estou muito mais
acostumada a trabalhar com uma... uma... Nimbus 2000.
Trish me olha, surpresa.
- Essa não é a vassoura do Harry Potter?
Porra.
Eu sabia que tinha ouvido em algum lugar.
- É. É - digo finalmente, com o rosto em chamas. - E também uma conhecida marca de
tábua de passar roupa. Na verdade, acho que o nome da vassoura foi dado... ah... por causa
da tábua de passar.”

“- Certo. - Ela liga um ferro e vira o botão. - Quente, para algodão. Espere o ferro
esquentar. Não há sentido em começar enquanto não estiver na temperatura certa. Agora
vou lhe mostrar o modo certo de atacar uma camisa ...
Iris revira uma pilha de roupa limpa na saleta, franzindo a testa.
- Camisas ... camisas ... Nathaniel, tire a camisa um momento.
Fico rígida. Quando olho Nathaniel vejo que ele se enrijeceu também.
- Mamãe! - ele dá uma risada sem jeito.
- Ah, não seja ridículo, querido - diz Iris impaciente. - Você pode tirar a camisa um
momento. Ninguém está sem graça. Você não está sem graça, está, Samantha?
- Ah ... - Minha voz sai meio granulosa. - Ah... não, claro que não ...”

“Fantástico. Fantástico mesmo. Bastou uma olhada no seu corpo e estou com uma
paixonite completa.
Honestamente eu achava que era uma pessoa um pouco mais profunda do que isso.”

“Experimentalmente me inclino para o reflexo, estendendo as mãos ao mesmo tempo.
Estou parecendo Jesus.
Tento acrescentar um riso de flerte.
- Ha, ha, ha! - Exclamo em voz alta. - Você me mata de rir!
Agora pareço um Jesus alegre.
Realmente não sei se isso vai melhorar minhas chances.”

“- Seu cabelo. - Ela faz uma careta.
- Ah, certo. – Toco a parte descolorida, fazendo uma careta. Pensei em dar um jeito neste
fim de semana ...
- Você vai dar um jeito agora - interrompe ela. - Minha super cabeleireira está aqui.
- Agora? - Encaro-a. - Mas ... Preciso passar o aspirador.
- Não vou deixar você andando por aí feito uma bruxa. Pode compensar as horas depois.
E vou descontar do seu salário. Venha. Annabel está esperando.”

“- Foi um ... acidente com água sanitária.
- Acidente! - Ela passa os dedos pelo meu cabelo, estalando a língua. - Bom, não pode
ficar desta cor. É melhor fazermos um belo louro. Você não se incomoda de ficar loura, não
é, querida?
Loura?
- Nunca fui loura - digo alarmada. – Realmente não sei...
- Você tem a cor de pele certa para isso. - Ela está escovando meu cabelo.
- Bem, desde que não seja louro demais – disse depressa. - Não ... você sabe, aquele
louro platinado falso, de vagabunda ...
Paro ao notar que as duas outras mulheres no quarto têm louro platinado falso, de
vagabunda.”

“- Seis minutos não é sexo - ouço-o dizer enquanto meus olhos se fecham. - Seis minutos
é um ovo cozido.”


Espero que vocês apreciem o livro, e deem tantas gargalhadas quanto eu (se é que é possível HUASHUAS).

E é isso então!

Beijos :*
Thayná.

3 comentários:

  1. Gostei da resenha ! Muito legal ! Adoro os livros da Galera record ! Mas porque não tem nenhum comentario aqui? ahuahaua Bem eu adorei ! beijos !

    ResponderExcluir
  2. A capa é bem liiiinda, quero muito ler esse livro (=

    ResponderExcluir
  3. a Sophie é uma autora incrível...adoro os livros dela esse não parece ser diferente amei muito muito...Adorei o quote...

    xoxo

    ResponderExcluir

Comentários e elogios são sempre bem-vindos. Críticas são construtivas, agora, insultos e xingamentos são falta de respeito.
Desde já, obrigada pra quem comenta.

© Coisas da Amanda Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo